Boardgames: Ameritrash ou Eurogame?

Sorte ou influência?

ameri_euro

Bolacha ou biscoito? DC ou Marvel? Pokémon ou Digimon? J.R.R. Tolkien ou George Martin? Estamos repletos de dicotomias, acalentando as mais violentas batalhas de textão pelas redes sociais. No mundo dos jogadores de jogos de tabuleiros modernos – jogadores estes também conhecidos como boardgamers – existe também essa disputa dualista entre os grandes grupos de jogos: os Ameritrash e os Eurogames.
Acredito que a maioria de nós, nascidos nas décadas de 80 ou 90, curtiu ótimas tardes de domingo, muitas vezes chuvosos, de nossas infâncias jogando alguns clássicos como Banco Imobiliário, Detetive, War e Jogo da Vida. Esses jogos quase sempre envolviam o uso de dados, e apesar de alguns terem mecânicas envolvendo tática, estratégia, negociação ou blefe, em sua maioria a sorte era o fator determinante para se chegar à vitória. Esses jogos evoluíram tanto em suas mecânicas como em suas temáticas, se tornaram mais encorpados, talvez até mesmo mais adultos, e continuam criando incríveis momentos de lazer e socialização para as crianças de outrora.

Faça sua jogada humano!

Faça sua jogada humano!

Durante essa evolução, esses jogos foram ganhando algumas características regionais, e duas grandes escolas, ou dois grandes estilos de jogos, surgiram na Europa (em especial na Alemanha) e nos Estados Unidos. Foi assim que surgiram, respectivamente, os Eurogames e os Ameritrash. Vou explicar algumas características de cada um e suas principais diferenças:

Ameritrash

Apesar do nome aparentemente pejorativo, os jogos considerados Ameritrash contam com uma legião de fãs. Esses jogos normalmente possuem uma temática completamente implantada em sua mecânica; ela quase sempre é o ponto central do jogo. Conflito direto entre os jogadores também é uma de suas principais características: ao melhor estilo War, no Ameritrash você ataca seus inimigos diretamente!
Um ponto polêmico no Ameritrash é o uso da sorte: quase sempre ela está presente, em maior ou em menor escala. Por isso o uso de dados é quase onipresente nesse estilo de jogo.
É interessante notar que apesar do conflito direto ser uma característica do Ameritrash, os jogos cooperativos, aqueles em que jogadores se ajudam para derrotar o tabuleiro, costumam também cair nesta categoria.
Alguns jogos Ameritrash são:

  •  Arkham Horror (quase um RPG sem mestre baseado nos contos de H.P. Lovecraft)
  • Game of Thrones: The Board Game (obrigatório para os fãs de George Martin)
  • Zombicide (matar zumbis! Aos montes!)
  • XCom: Board Game (lembra desse jogo no computador?)

Eurogames

O estilo alemão dos jogos analógicos difere praticamente em tudo dos jogos americanos: a mecânica prevalece sobre a temática, a sorte costuma ser zero ou próxima de zero e a influência de um jogador em outro jogador normalmente é indireta. Uma característica bem interessante dos Eurogames é a quase ausência da eliminação de jogadores: você não corre o risco de ter de passar a segunda metade da partida comendo Cheetos e só olhando os amiguinhos jogarem porque você morreu no meio do jogo. Por essas características os jogos europeus dificilmente envolvem temas militares.
Ah, mas tio Jonathan, seu filhote de mamute albino, como diabos funciona essa influência indireta que você nos contou? Funciona assim: ao invés de atacar ou de usar, digamos que uma carta para diretamente enfraquecer o outro jogador, você vai pegar recursos que seriam importantes para seu oponente fazer pontos antes que ele mesmo os pegue, ou vai fazer com que o jogo siga uma ordem que será melhor pra você do que pra ele, ou até mesmo deixar de fazer uma ação que te ajudaria, mas ajudaria mais ao seu oponente. Por isso, Eurogames também costumam envolver pontos de vitória, onde vence o jogador que ao longo da partida fez as jogadas mais lucrativas.
Bons exemplos de Eurogames são:

  • Puerto Rico (um jogo que liderou por 10 anos o ranking dos melhores jogos dispensa qualquer apresentação)
  • Carcassone (você joga construindo o mapa em uma mecânica de dominó)
  • Terra Mystica (o queridinho do momento)
  • Caverna (cuide de uma família de anões, plantando e minerando uma montanha)

Qual é o melhor?

E aí, vocês se identificaram mais com os Eurogames ou com os Ameritrash? Existem tanto Eurogames incríveis como Ameritrash fantásticos, e uma predileção por um estilo não lhe impede de desfrutar dos ótimos jogos disponíveis “do outro lado”. Particularmente, eu tenho uma inclinação para os Eurogames, mas isso reflete mais a minha personalidade do que uma diferença de qualidade entre os estilos. E antes que você escreva um textão me mostrando o quanto os Ameritrash são superiores, vou logo lhe dizendo: É bolacha, Marvel, Pokémon e George Martin!

 

Jonathan Diego
Programador, colecionador de jogos de tabuleiros, mergulhador, inventor de garagem e oficial do império galáctico. Sou apaixonado por física, astronomia, tecnologia, games e cinema. Desejo um dia criar uma Inteligência Artificial capaz de subjugar a humanidade.