Dica de Filme: Sangre de Mi Sangre

Flashbacks e reflexões que exigem atenção redobrada

capa-sangre-de-mi

Sangre de Mi Sangre é uma obra espanhola (não confundir com outra de mesmo nome, de 2007) e facilmente um dos MELHORES filmes de 2015. Imprevisível, diferente e inteligente, a sugestão de horror aqui se dá de maneira única e claustrofóbica, utilizando poucos cenários e uma excelente construção de personagens (a dona da casa, a irmã mais jovem e o homem misterioso — sem contar a casa, um persona por si só), com alguns flashbacks certeiros, que vão desfragmentando no decorrer do enredo.

A trama foi trabalhada de maneira que você vá desvendando e sacando todos os mistérios escondidos nos cantos da história. Desde o princípio dará pra notar que algo estabelecido ali não se encaixa direito e tudo fará sentido no desfecho. Contudo, este não é um “filme-de-final”, como os primeiros do Shyamalan. Durante toda a uma hora e meia, você terá surpresas que vão se revelando no tempo certo, até o último frame. Mesmo assim, sugiro que você não saia pra pegar um copo d´água, nem pare pra olhar o “Whats”, nem se distraia. Pause, faça o que tem de fazer, e volte. E quando terminar, reflita. Você vai achar que entendeu todo o filme, mas eu mesmo só fui sacar tudo porque tava acompanhado, e duas cabeças pescaram tudo que essa obra-prima tinha pra entregar. Sozinho, talvez, eu precisasse ver novamente (o que não seria nenhum problema, pelo contrário). O que parece, até pode ser, mas será mais do que você consegue enxergar.

A imagem pode conter: 1 pessoa

O filme não duvida da inteligência do espectador, por isso se sustenta na sugestão, em vez da explicação (algo que Hollywood é incapaz de compreender). Mas isso tudo não faz de Sangre de mi sangre um “filme difícil”, apenas pede atenção redobrada durante a sessão (o que é o mínimo, né, por favor). Recomendadíssimo! Depois que assistir, venha aqui pra gente falar do assunto — to louco pra debater sobre esse filme 

Douglas MCT
Douglas MCT já escreveu para os gibis da "Turma da Mônica", roteirizou o desenho animado "Galera Animal" da TV Globo, participou do enredo do game "Chico Bento" para as redes sociais, é autor dos quadrinhos “Edgar Alan Corvo”, "SUPER" e “Hansel&Gretel”, e dos livros "O Coletor de Almas" e da série "Necrópolis".