Freaky – Um “Se Eu Fosse Você” bem mais sangrento

Freaky - No Corpo de um Assassino

Eu não sou propriamente fã do cinema terror-gore, mas me interessei honestamente por “Freaky – No Corpo de Um Assassino” (com o subtítulo nacional totalmente desnecessário). Primeiro por ser dos estúdios Blumhouse, que mantém uma qualidade de trabalho muito alta, mas também por ser o novo filme de Christopher Landon, responsável por “A Morte Te Dá Parabéns”, filme que mistura “Feitiço do Tempo” com “Pânico” – uma premissa tão legal que é surpreendente que não tenha sido feita antes. É o mesmo sentimento com Freaky: uma espécie de “Se Eu Fosse Você”, mas com o Tony Ramos sendo um assassino serial e a Glória Pires como uma cheerleader de colégio.

A troca de corpos é um dos enredos mais manjados de Hollywood. Desde “Freaky Friday”, de 1976, o tema ganhou diversos arranjos e temas diferentes. O próprio Freaky Friday teve um remake numa pegada sessão-da-tarde, em 2003, estrelando Jamie Lee Curtis e Lindsay Lohan no ápice de sua carreira (mentira, todo mundo sabe que o ápice da carreira de Lindsay Lohan é, e sempre vai ser, “Meninas Malvadas”, de 2004).

Mas mesmo sendo um plot tão comum, dificilmente a roupagem muda. Quando isso acontece, porém, os resultados costumam ser extremamente positivos, como no malucaço “Quero Ser John Malkovich” ou no melhor filme de todos os tempos (é claro que estamos falando de “A Outra Face” – obviamente que um filme com Nicolas Cage trocando de cara com John Travolta é garantia de sucesso).

Com altas expectativas por conta do estúdio, do diretor, da temática tão óbvia que é surpreendente que não tenha sido feita antes, e da presença de Vince Vaughn, é até um alívio que o filme não decepcione.

Freaky

A vítima

A personagem principal é Millie, interpretada pela Kathryn Newton, que não tem grande destaque mas não desaponta. Millie é a típica classe média de colégio americano que é linda e sofre um bullying pesadíssimo só por ser linda. Finalmente um filme no qual as milhares de garotas que sofrem com o mesmo problema vão conseguir se identificar.

Ela também tem seus probleminhas familiares, tretas colegiais, e amigos etnicamente e sexualmente diversificados. Millie também é burra feito vítima de filme de suspense e é atacada pelo maníaco, que esfaqueia ela com uma faca mágica. Isso ninguém se preocupa em explicar direito, até porque é só uma desculpa pra dar o pontapé de partida do filme.

O assassino

Vince Vaughn precisa de um quiroprata ou um ortopedista para fazer um checkup urgente nas juntas depois de carregar o filme inteiro nas costas. Eu nunca fui particularmente fã do cara, mas a partir do momento que ele se transforma na cheerleader de colegial, toda cena que ele participa é uma delícia de ser assistida.

Não poderia ser diferente: esse filme precisava de um ator nesse nível. Um cara que pudesse ter a aparência assassina de um ministro do governo Bolsonaro mas com a desenvoltura de uma bailarina do Domingão do Faustão.

Ele foi a escolha perfeita para o papel. Até as expressões faciais do cara mudam quando ele está possuído pela garota e em algumas cenas ele até parece meigo. Talvez, se ele não tivesse mandado tão bem, Kathryn Newton poderia até se destacar mais. Entretanto, fica difícil competir com um brutamontes gritando feito uma mocinha.

Freaky

Visão geral de Freaky

Mesmo não sendo um grande fã do gênero, o filme é exatamente o que eu esperava, e, dado o estúdio e o diretor por trás, eu tinha expectativas razoáveis com ele. É um terror/comédia cheio de sangue perfeito para grupos de jovens se reunirem no cinema depois das provas finais do ano letivo. O que é uma pena, porque esse ano letivo não teve provas finais, jovem nenhum deve se reunir em grupos e ir ao cinema em tempos atuais nem é recomendável.

Freaky é outro filme que vai sofrer com o tempo corongado em que vivemos. Ele cumpre com maestria ao papel que se propõem. Mesmo com a péssima bilheteria que ele fatalmente deverá receber por conta da pandemia que vivemos, ele conseguiu manter minha atenção ligada em tudo que os estúdios Blumhouse ou que Christopher Landon vierem a produzir daqui pra frente. E até me fez olhar diferente para Vince Vaughn.

Freaky estreia dia 10 de dezembro nos cinemas.

Freaky: No Corpo de um Assassino – Trailer Oficial (Universal Pictures) HD

Freaky - No Corpo de um Assassino

Nome Original: Freaky
Direção: Christopher Landon
Elenco: Vince Vaughn, Kathryn Newton, Celeste O'Connor
Gênero: Comédia, Horror, Thriller
Produtora: Blumhouse Productions
Distribuidora: Universal
Ano de Lançamento: 2020
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar