Pirataria até que ponto? baixar ou não baixar jogos e filmes piratas

Olá Vitanerds, quando o assunto é pirataria a primeira coisa que me vem a cabeça é aquelas propagandas toscas como a tradicional “posso dar o troco em bala” ou “ uma salva de tiros pra tia”.

Mas se tratando de conflitos morais chegamos a seguinte pergunta, fazer ou não fazer download da versão “pitchuchu” de nossos jogos e filmes favoritos? Alguém muito inteligente disse em um passado que não poderíamos mais vender conteúdo e sim apenas o serviço, este pensamento é de Gottfrid Svartholm nada mais nada menos que o co-fundador do thepiratebay.

Hoje torna-se muito mais atrativo a aquisição de um game original baseado em seu serviço multiplayer por exemplo, o que faz com que seu conteúdo seja muito mais atraente e também necessário. Além da tentação de ter de graça o que normalmente teria de se pagar, existe também a questão do “será que eu vou gostar?” e também o “será que roda?”.

A mesma tendência pode ser observada em filmes e séries disponíveis nos serviços de streaming como Netflix e Snag films, onde o serviço e a qualidade com que são prestados realmente são peças fundamentais para nos fazer tirar as verdinhas do bolso.

Apesar de todo marketing para fazer com que a pirataria pareça algo horrível e envergonhador, o que temos visto é exatamente ao contrario.Toda industria deve se atualizar, o que seria da Kodak se continuasse a vender filmes para câmeras antigas por exemplo?

O fato é que a industria deve se adaptar para cativar de alguma forma seus interessados e assim não terminar em um baú do tesouro perdido.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar