A Odisseia dos Tontos, com Darín pai e filho

A Odisseia dos Tontos é uma história emocionante e divertida situada em um pequeno povoado da província de Buenos Aires, na Argentina, ao final de 2001. Um grupo de amigos e vizinhos perde o dinheiro que havia conseguido reunir para recuperar uma antiga cooperativa agrícola.

Logo eles descobrem que foi tudo uma fraude cometida por um advogado sem escrúpulos e um gerente de banco que tinham informações sobre o que iria acontecer no país. Após a descoberta, o grupo de vizinhos decide se organizar e elaborar um minucioso plano com o objetivo de recuperar o que lhes pertence.

Dessa forma, A Odisseia dos Tontos conta de forma humana e bem-humorada essa revanche dos perdedores.

A Odisseia dos Tontos
Os amigos sonham com a abertura de uma cooperativa

A Odisseia dos Tontos

Durante a década de 1990 e começo dos anos 2000, a Argentina passou por uma crise econômica muito grave. A situação econômica e social era muito delicada. O desemprego superava os 15% e subia implacavelmente. Assim, havia insegurança nas ruas, desconfiança de parte do mercado financeiro internacional e uma gigantesca dívida externa.

É neste cenário que nosso grupo de amigos vê em uma fábrica abandonada, a oportunidade de abrir uma cooperativa e mudar de vida. Com uma porção de sócios, eles juntam uma quantia e colocam em um cofre no banco. Mas ainda precisariam de um empréstimo para conseguir comprar o terreno. Na esperança de conseguir o dinheiro junto ao banco, Fermín Perlassi (Ricardo Darín), ex jogador de futebol, faz o que o gerente lhe recomenda: deposita o dinheiro.

Bolando um plano para recuperar o dinheiro

No dia seguinte, pânico. O “corralito” foi imposto pelo governo de Fernando de la Rúa em dezembro de 2001 para evitar a retirada de depósitos em contas correntes e poupanças. Para tanto, congelaram-se os depósitos dos poupadores e estabeleceram-se limites semanais para a retirada de fundos. Além disso, um advogado salafrário que estava de conluio com o gerente levou todos os dólares do banco.

Luto e recuperação

Depois de uma tragédia na família, o filho de Fermín, Rodrigo (Chino Darín), abandona a faculdade e volta para casa, ajudando no posto de gasolina da família. Durante muito tempo todos ficam desanimados e sem esperança, afinal, perderam tudo o que haviam juntado para um bandido de terno e gravata.

A Odisseia dos Tontos
Pai e filho em cena

Mas, num belo dia, Antonio (Luis Bradoni) escuta uma história que pode ser muito interessante para eles. Ele descobre que o tal advogado que fez o saque dos dólares comprou um terreno e construiu um cofre. Desconfiados de que ali no cofre estaria guardado todo o dinheiro roubado, o grupo de amigos e sócios resolve bolar um plano.

A trama é baseada no livro La Noche de la Usina, do escritor Eduardo Sacheri. O longa segue alguns clichês de filmes de assalto, mas sabe se adaptar bem à situação econômica argentina. Além disso, seus personagens são muito mais parecidos com pessoas reais, ou seja, nada do glamour de Hollywood. Sendo assim, os personagens são motivados não apenas por vingança, mas também por desespero. Afinal, caso não consigam recuperar o dinheiro, suas vidas não farão mais sentido.

A Odisseia dos Tontos é um filme divertido, despretensioso e com um ótimo elenco. O destaque vai para a atuação de pai e filho pela primeira vez e para Luis Brandoni, divertido como sempre. O longa é a escolha da Argentina para lhe representar no Oscar e entra em cartaz nos cinemas dia 31 de outubro.

A Odisseia dos Tontos

Nome Original: La odisea de los giles
Direção: Sebastián Borensztein
Elenco: Ricardo Darín, Luis Brandoni, Chino Darín, Verónica Llinás
Gênero: Aventura, Comédia, Crime
Produtora: K&S Films
Distribuidora: Warner Bros.
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar