A Outra Volta do Parafuso, de Henry James

Uma história de fantasmas, ou não

Em A Outra Volta do Parafuso, na véspera de natal, um grupo de homens se reúne para contar histórias de terror. Um deles, então, começa a contar a história que o leitor está prestes a ler. Uma jovem é contratada como governanta de duas crianças órfãs, que vivem na casa do tio. A jovem deve se mudar para essa casa e ser responsável por tudo que diz respeito às crianças. Ela só conta com a ajuda de uma criada, que deve cozinhar.

Quando a governanta chega à casa, ela logo conhece Flora, a irmã mais nova, com quem ela automaticamente se dá bem. A harmonia da casa acaba quando Miles, o irmão mais velho, volta do colégio interno onde estuda, porque foi expulso.

A jovem até tenta conversar com Miles, mas ele se recusa a falar sobre o que aconteceu no colégio interno. Tudo piora quando ela nota que Miles e Flora se comunicam com duas figuras misteriosas, que parecem ser Miss Jessel, a antiga governanta, e Peter Quint, um antigo empregado da casa e que ambos estão mortos.

Deborah Kerr em cena de Os Inocentes
Deborah Kerr em cena de Os Inocentes

A Outra Volta do Parafuso – Uma história de fantasma?

À primeira vista, A Outra Volta do Parafuso (também publicado como A Volta do Parafuso) é uma história clássica de fantasma, que tem vários aspectos do terror gótico. A trama começa com alguém se propondo a contar uma história que supostamente vai ser mais assustadora que a anterior. É daí que vem o nome do livro, como se essa nova história fosse mais uma volta no parafuso. Ela se passa em uma casa distante, enorme e assustadora e que tem como protagonista uma jovem que é inexperiente e possivelmente instável.

Quando conhecemos as crianças, a situação começa a ficar estranha. Flora é uma criança adorável, que gosta de aprender e respeita a governanta, mas Miles é atrevido, grosseiro, violento e, em alguns momentos, inapropriado. Quando os dois estão juntos, ele tem poder de influenciar o comportamento da irmã.

Fica claro para o leitor que tem alguma coisa estranha acontecendo na casa, mas a gente só consegue apontar o que é quando a governanta começa a desconfiar que a casa está assombrada e que Miles e Flora não só sabem disso, como também convivem com os fantasmas. Essa é a interpretação mais superficial da trama, mas o livro oferece outras possibilidades.

Cena de Através da Sombra, inspirado no livro A Outra Volta do Parafuso de James
Cena de Através da Sombra, inspirado no livro de James

A repressão sexual

O livro de James muitas vezes é interpretado como uma história que fala de repressão sexual e a trama tem muitos elementos que indicam isso. É óbvio, desde o princípio, que a governanta é reprimida, principalmente em função da época em que a história se passa. Quando ela começa a cuidar das crianças, no entanto, ela se depara com Miles, um menino pré-adolescente que acabou de ser expulso do colégio interno. O leitor, assim como a governanta, não sabe o motivo da expulsão de Miles, mas o menino se mostra cada vez mais violento e mais grosseiro. Em alguns momentos do livro, parece até que Miles está tentando seduzir a governanta.

Brooklynn Prince como Flora em Os Órfãos
Brooklynn Prince como Flora em Os Órfãos

É aí que surge o primeiro problema, uma vez que a jovem aceitou o emprego na expectativa de cuidar de duas crianças e sem esperar que fosse receber cantadas ou insinuações sexuais. O comportamento de Miles não só é perturbador porque ele é um menino que parece saber muito mais do que deveria, mas também porque seu comportamento perturba diretamente a governanta.

Confira aqui a resenha sobre o filme Os Órfãos

Mais tarde, a governanta descobre que Miss Jessell e Peter Quint, os antigos funcionários da casa, mantinham um relacionamento sexual dentro da casa. Assim que a governanta fica sabendo disso, ela começa a sonhar com o casal fazendo sexo. Esses dois também são os supostos fantasmas que assombram a casa e se comunicam com as crianças. É curioso, portanto, que os personagens que assombram a casa e consequentemente, a governanta, sejam os dois únicos personagens sexualmente ativos de todo o livro.

Quando a governanta tenta desvendar o que acontece na casa, ela descobre através da criada que Miles costumava passar muito tempo sozinho com Quint e que ninguém sabe exatamente o que os dois faziam. Isso não é falado em momento nenhum, mas o comportamento de Miles, que mudou depois da morte de Miss Jessell e de Quint, é muito próximo ao comportamento de uma criança molestada.

Cena de The Haunting of Helen Walker
Cena de The Haunting of Helen Walker

Então, o que A Outra Volta do Parafuso apresenta é uma jovem reprimida sexualmente, jogada em uma casa onde sua antecessora era sexualmente ativa e onde a criança que ela deve cuidar parece saber muito mais sobre o assunto do que ela. Um aspecto que reforça essa ideia é que o livro é escrito em primeira pessoa e por isso, só temos o ponto de vista da governanta, que certamente não é uma narradora confiável.

A Outra Volta do Parafuso na mídia

A Outra Volta do Parafuso é um dos livros mais famosos de Henry James e, por isso, já ganhou diversas adaptações. O livro já teve diversas releituras, como The Accursed Inhabitants of House Bly, de Joyce Carol Oates, Miles and Flora, de Hilary Bailey e The Turning, de Francine Prose. O livro também virou uma ópera em 1954, um balé em 1980 e uma peça, chamada The Innocents, em 1950.

Michelle Dockery e Sue Johnston em cena de Turn of The Screw - A Outra Volta do Parafuso
Michelle Dockery e Sue Johnston em cena de Turn of The Screw

Na televisão, o livro foi inspiração para um episódio da série Dark Shadows e vai ser o tema da continuação de A Maldição da Residência Hill, da Netflix, dessa vez, com o nome de The Haunting of Bly Manor.

O cinema também usou e abusou de A Outra Volta do Parafuso. O livro já foi adaptado para as telonas sete vezes e entre as versões mais famosas estão Os Inocentes, que explora bastante a interpretação da repressão sexual, o filme brasileiro Através da Sombra, que traz a história para a realidade do Brasil e o mais recente, Os Órfãos, que bebe na fonte de James, mas se perde no meio do caminho. A Outra Volta do Parafuso também foi a inspiração para diversos filmes feitos para a TV, como The Haunting of Helen Walker e The Turn of the Screw, de 2009.

Independentemente da interpretação que se dê para a trama, A Outra Volta do Parafuso é um livro que demonstra o grande talento de Henry James e que assusta o leitor de uma forma ou de outra.

Nome Original: A Outra Volta do Parafuso
Autor: Henry James
Editora: Penguin
Gênero: Terror
Ano: 1898
Número de Páginas: 200

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar