A Tabacaria, um dos últimos trabalhos de Bruno Ganz

Em 2012 o escritor austríaco Robert Seethaler publicou um romance chamado Der Trafikant. A história tocante da amizade de um jovem aprendiz de tabaqueiro com o psicanalista Sigmund Freud chamou a atenção do diretor e roteirista Nikolaus Leytner. Ele foi convidado a adaptar a obra para os cinemas e assim surgiu o filme A Tabacaria, um dos últimos trabalhos de Bruno Ganz.

Franz (Simon Morzé) é um rapaz de 17 anos que é enviado pela mãe à Viena para trabalhar como aprendiz em uma tabacaria. Lá ele conhece Sigmund Freud (Bruno Ganz), um cliente frequente. Com o passar do tempo, os dois, apesar de origens muito distintas, desenvolvem uma amizade única. Quando Franz se apaixona pela dançarina Anezka (Emma Drogunova), ele busca os conselhos de seu amigo psicanalista. Mas, mesmo sendo um renomado especialista na mente humana, ele admite que o sexo feminino é um grande mistério em termos românticos.

A Tabacaria
Anezka e Franz

A Tabacaria

Por meio de cartões postais, Franz e a mãe (Regina Fritsch) não perdem o contato. Dessa forma o público não deixa de visitar o local de origem do garoto, o lago Attersee. E por falar em lago, a água é um elemento constante nos sonhos de Franz. Desde o começo do filme podemos perceber como a água é importante para ele, mas depois que Freud lhe indica que escreva seus sonhos logo depois de acordar, mergulhamos junto ao rapaz nas mais variadas formas de ambientes aquáticos. As atmosferas oníricas, sempre azuladas e melancólicas, trazem as mais belas cenas do filme.

O dono da tabacaria, Otto (Johannes Krisch), é um senhor sisudo que perdeu metade da perna ao lutar na guerra. Com a chegada de Franz, ele vê sua chance de descansar um pouco, passando seus conhecimentos adiante. Afinal, há anos no ramo, o homem sabe tudo sobre cigarros, cigarrilhas, charutos e jornais. Como eu não suporto cigarros, esqueço que uma tabacaria pode vender muito mais do que bastões de câncer. A loja de Otto também comercializa souvernirs e materiais escolares. Ou seja, tem um público bem diverso. Seu maior problema, entretanto, não são os clientes, e sim o vizinho açougueiro simpatizante do regime nazista.

A Tabacaria
Otto sofre ameaças de simpatizantes do nazismo

O amadurecimento de um jovem

Em meio aos ensinamentos de Otto referentes ao comércio na tabacaria e os conselhos de vida de Freud, Franz deve evoluir de um simples garoto para um jovem adulto. A tensão política e social aumenta dramaticamente na Áustria, piorando com a chegada dos nazistas à capital. Franz não entende muito bem o que significa tudo aquilo, até que o regime nazista realmente o atinja.

Enquanto isso não acontece, o moço tenta conquistar o coração da espivetada Anezka. A garota sobrevive de danças sensuais em uma pequena boate chamada Gato Preto (Schwarze Katze). Ele ainda não sabe muito bem como lidar com o amor ou com sua libido e acaba perseguindo a moça e não gostando do que vê. Ela é muito decidida e não leva o rapaz a sério.

Bruno Ganz como Freud
Bruno Ganz como Freud

O mais interessante em A Tabacaria é o fato de retratar um momento da história que já vimos com certa frequência no cinema (inclusive com Bruno Ganz no papel de Hitler), mas desta vez sob a perspectiva de um rapaz ingênuo. Afinal, a situação política fica em segundo plano no início da trama, até que ele se dê conta do que está acontecendo ali.

A Tabacaria nos traz uma bela história sobre amadurecimento, sobre amizade e nos coloca no meio de uma Viena sendo ocupada pelos nazistas. Além disso, cria essa relação de um jovem rapaz fictício com o famoso e real professor Freud de forma totalmente plausível. O filme entra em cartaz dia 05 de setembro.

A Tabacaria

Nome Original: Der Trafikant
Direção: Nikolaus Leytner
Elenco: Simon Morzé, Bruno Ganz, Johannes Krisch, Emma Drogunova
Gênero: Drama
Produtora: Epo-Film Produktionsgesellschaft, Glory Film
Distribuidora: A2 Filmes
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar