Animais Fantásticos e Onde Habitam

Quando enfim chegou o último filme de Harry Potter ao cinema, em julho de 2011, jamais pensei que veria aquela introdução de novo para apresentar uma nova história! Aquela introdução com as notas clássicas de John Williams enquanto o logo da Warner Bros. Studios desliza entre as nuvens!

Agora, o logo está lá de novo, algumas das notas também, mas a trilha, assinada por James Newton Howard, logo acrescenta notas novas misturadas com algumas outras conhecidas. Tudo isso contribui para um sentimento de estranha familiaridade com o novo filme do Mundo Mágico. Como quando visitamos um outro estado ou país: Ao mesmo tempo que algumas coisas são bem comuns, é tudo muito novo!

Animais FantásticosAo contrário do livro intitulado a oitava história de Harry Potter, Animais Fantásticos e Onde Habitam é roteirizado pela autora e criadora desse universo, JK Rowling. Isso garante a autenticidade e originalidade desse universo que poderia, facilmente, cometer o mesmo erro do livro ao se sustentar pela nostalgia. Os fãs da obra poderão reconhecer a narrativa característica da autora, o que também contribui para a estranha familiaridade.
Porém, o filme é autêntico e não tenta replicar sua franquia predecessora ou causar nostalgia gratuita. Tão logo o filme começa, somos ambientados em outra era, em outro continente com um novo e cativante protagonista. Para auxiliar na ambientação, JK Rowling publicou alguns textos sobre a História da Magia na America do Norte. A leitura não é fundamental para apreciar ao filme, mas fornecem informações bônus ao que vemos em tela.

Uma nova história

Harry Potter ficou para trás e agora Newt Scamander (Eddie Redmayne) rouba a cena. Um bruxo amante das criaturas mágicas e que dedica sua vida em viagens para encontra-las e estuda-las. Ele carrega consigo uma maleta com diversos habitats onde guarda muitas dessas criaturas. Uma espécie de Safári portátil. A história começa quando alguns eventos estranhos – até para os bruxos – começam em Nova York no mesmo dia que Newt desembarca com sua maleta na cidade. Para sua infelicidade, algumas criaturas escapam de sua maleta e ele logo é responsabilizado por esses eventos destruidores.

Ao contrário do que muitos acreditam, Animais Fantásticos e Onde Habitam não é uma adaptação do livro de mesmo nome. Ele também não aborda somente a busca e captura das criaturas foragidas da maleta. É uma história completamente nova e original. Ele é um pontapé em uma nova franquia (são 5 filmes confirmados!) sob o ponto de vista, até então, de Newt, enquanto ele aprende sobre as criaturas para escrever seu livro.

Em sua estreia como roteirista, JK Rowling tem sucesso em desenvolver uma narrativa envolvente, sem explicações em excesso, com um bom balanço entre os diálogos e construção dos personagens. O ritmo do filme é similar ao de uma montanha russa, com momentos de muita ação e excelentes diálogos. O divertido Dan Fogler representa cada um de nós no papel de Jacob Kowalski. Um No-Maj, nome dado na América para quem não é bruxo, que se vê arrastado para o meio de todos esses eventos mágicos. Em uma frase do filme ele expressa o que nós sentimos assistindo: “Eu queria ser um bruxo”.

Há alguns itens no filme, porém, que poderiam ser mais explorados. O Congresso Mágico dos Estados Unidos da América (MACUSA) é um exemplo. Mas talvez esse seja o desejo por mais de um Potterhead! Animais Fantásticos veio para expandir universo mágico e conquistar um público ainda maior. Depois desse filme, temos de sua extensão e do porque de mais 4 filmes. Agora é só aguardar até 2018 para mais um capítulo… Falta muito?

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar