Cry Macho: O Caminho para Redenção

Chora Male man

Está estreando o novo filme dirigido, estrelado e produzido por Clint Eastwood. Com o estranho nome de “Cry Macho” (que infelizmente não chega ao Brasil como “Chora, man”), é um daqueles westerns melodramáticos típicos do diretor com muitas imagens de velhos de chapéu ao entardecer.

É o 39º filme do diretor, vindo depois de um discreto, mas muito bom “Richard Jewell“, o que só alimentou as expectativas nesta obra, já que seria seu retorno aos filmes de cowboy e sua volta à frente das câmeras, uma vez que ele apenas dirigiu o anterior.

Com 50 anos de carreira, Clint Eastwood não precisa mais se esforçar muito para vender um filme. O problema é que ele também não precisa se esforçar para dirigir e nem atuar; e, bem, ele não se esforça.

Cry Macho

Cry Macho – Maria Del Barrio

Em Cry Macho, Clint interpreta um cowboy que vai pro México resgatar o filho de um cara que ele nem gosta. Tanto faz; ele tem que ir, senão não tem filme. Ambientado lá pela década de 1970-80, o México ainda não ganhou o tom alaranjado Hollywoodiano, mas tá com a criminalidade e a corrupção policial lá no alto, já que todo mundo fica contra o nosso herói.

Todo mundo exceto o moleque, que, tal qual todo mexicano, adorou a ideia de entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Então, ele foge com um desconhecido, por que não? Une-se à dupla um galo chamado Macho, que é de longe o melhor ator do filme e dono dos melhores diálogos em tela (o galo não fala nada).

O filme é um dramalhão mexicano daqueles que faria a Thalía soltar um “calma, pega leve aí”. Com umas tomadas muito bizarras aqui e ali, um astro das rinhas de galo como grande estrela, e um jeitão de episódio de Chapolin Colorado, o filme parece que é uma obra conjunta da Televisa com a TV Maresol, constatação que tem uma pontada de elogio, já que eu adoro a TV Maresol.

Não só o ritmo do filme é lento, mas metade dos personagens não fala inglês e a outra metade não fala espanhol, então cada frase do filme tem que ser dita duas vezes, traduzida pelos personagens bilíngues.

Cry Macho

De fazer chorar

Somando tudo: sequências lentas, meia dúzia de cavalos, personagens indo de carro de um lado a outro, uma paisagem tediosa e um diretor que não tava muito a fim de fazer nada muito memorável mesmo, o resultado é sofrível.

Nem mesmo o melhor galo-ator de Hollywood consegue dar fôlego a Cry Macho.

E, assim, Clint Eastwood já pode se aposentar. Ou nem precisa, já que ele prova com este filme que consegue fazer um trabalho mantendo a mesma dedicação dos aposentados que vão alimentar os pombos na praça – e ainda assim alguém vai comprar.

CRY MACHO: O CAMINHO PARA REDENÇÃO | Trailer Oficial Legendado

Cry Macho: O Caminho para Redenção

Nome Original: Cry Macho
Direção: Clint Eastwood
Elenco: Clint Eastwood, Natalia Traven, Eduardo Minett
Gênero: Drama, Thriller, Western
Produtora: Warner Bros.
Distribuidora: Warner Bros.
Ano de Lançamento: 2021
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar