Dupla Explosiva 2: E a Primeira-Dama do Crime

Bom para o Supercine

O primeiro filme “Dupla Explosiva”, que marca o encontro da divertida dupla Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson, já não é lá essa Coca-Cola toda. É divertidinho, os atores estão se divertindo, os roteiristas curtiram escrever, até os câmeras devem ter gostado de filmar. Tem seus pedaços notáveis, engraçadinhos, dá para perder uma hora e meia e esquecer completamente dele depois. Ou nem precisa, já que o personagem interpretado por Reynolds resume todo ele nos primeiros cinco minutos de Dupla Explosiva 2.

Em mais uma continuação que ninguém pediu, tudo o que há de mais legal no primeiro filme perde um pouco do ritmo aqui. A história ainda tem o Samuel L. Jackson como um criminoso malandrão, o Ryan Reynolds como um guarda-costas competente e Salma Hayek puta da cara, soltando quatro palavrões por minuto.

Dupla Explosiva 2: E a Primeira-Dama do Crime
HWB_D17_05685.RAF

Dupla Explosiva 2 – Serviço AAA

Honestamente, eu esqueci do roteiro 10 minutos depois que subiram os créditos. É uma desculpa esfarrapada qualquer, completamente maluca, para colocar todos os personagens juntos de novo. É meio aceitável para quem já não esperava muita coisa do filme – e é suficiente, já que ninguém deve assisti-lo com altas expectativas mesmo.

Se a história é boba e descartável, as piadas são suficientemente decentes. Pelo menos na primeira vez que são contadas. O humor acaba ficando meio repetitivo, sem nada que se destaque. É engraçado ver a Salma Hayek xingando todo mundo, é sempre aprazível ver Samuel L. Jackson soltando seus “motherfuckers” característicos, Antonio Banderas interpreta um excelente Clodovil Hernandes, e Ryan Reynolds tem uma cara de bobo tão marcante que chega a hipnotizar, ele é bom nisso. Mas vai ficando repetitivo saber que o humor é meio que só isso.

A história já não é um trabalho maravilhosamente bem feito, as piadas não precisavam parecer que foram improvisadas no set, minutos antes das câmeras começarem a rodar.

Dupla Explosiva 2: E a Primeira-Dama do Crime

Brincadeira de gente rica

Não que o filme seja totalmente desprovido de comédia, é que o humor acaba cansando. Mas, se o público fica meio exausto das mesmas piadas, há pelo menos um grupo de pessoas que certamente se divertiu à beça com esse filme: os atores.

Inegavelmente, ninguém gostou tanto desse filme quanto seu elenco principal. Todos parecem estar se divertindo horrores e as dinâmicas entre eles ajudam muito a elevar o tom do filme. Talvez seja esse o único motivo dessa sequência existir. Os atores gostaram tanto de gravar o primeiro que fizeram questão de gravar um novo, só para poder curtir a valer. Até os sets de filmagens passam por cidadezinhas italianas adoráveis, uma escolha que parece ter sido proposital só para eles curtirem as praias ridiculamente aprazíveis do Mar Mediterrâneo.

Nesse ponto o filme é delicioso: ver a dinâmica de alguns de meus milionários favoritos brincando de teatrinho entre si é bem legal. Pena que o saldo final não vá muito além disso.

O resultado é um filme perfeito para um Supercine, para passar naquele sábado à noite na Globo e você ficar assistindo enquanto joga Valorant madrugada adentro. Não é ruim, mas não vale tanto assim a sua dedicação. O que importa é que o pessoal se divertiu gravando. Fico feliz por eles.

Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime | Trailer Oficial Legendado

Dupla Explosiva 2: E a Primeira-Dama do Crime

Nome Original: Hitman's Wife's Bodyguard
Direção: Patrick Hughes
Elenco: Ryan Reynolds, Samuel L. Jackson, Salma Hayek, Antonio Banderas
Gênero: Ação, Comédia, Crime
Produtora: Millennium Media
Distribuidora: Paris Filmes
Ano de Lançamento: 2021
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar