Fotografação, uma declaração de amor à fotografia

Fotografação acompanha Lauro Escorel enquanto ele analisa o impacto da fotografia nos dias de hoje, assim como a democratização da prática fotográfica, passando pela tecnologia que transforma todo mundo em fotógrafo e acaba dificultando a vida dos fotógrafos profissionais.

O filme começa falando sobre como é muito mais fácil fotografar nos dias de hoje do que era na época em que a fotografia foi inventada, mas que em função disso, o motivo pelo qual se fotografa também mudou. Para Lauro Escorel, o diretor e narrador do documentário, as pessoas atualmente tiram fotos com o intuito de postá-las nas suas redes sociais e não de documentar ou guardar lembranças e momentos.

Mas para colocar o público dentro do mundo da fotografia, o diretor também nos fala sobre a história da fotografia, começando pela sua invenção. Escorel então, escolhe focar o seu olhar na história da fotografia no Brasil. Ele cita fotógrafos brasileiros e fotógrafos estrangeiros que focaram o seu trabalho no país e que, portanto, deram o seu olhar do Brasil. Até o poeta Mario de Andrade, que se interessava por fotografia, é citado em Fotografação. Por essa visão da fotografia no Brasil, o filme se faz interessante, diferente e que preza pelos trabalhos do país.

A democratização da fotografia em Fotografação
A democratização da fotografia

Fotografação – Um documentário pessoal

A impressão que temos quando assistimos Fotografação é que ele é um documentário extremamente pessoal. Escorel, que é o diretor e também o narrador, deixa claro sua paixão por fotografia e fala sobre momentos específicos da sua vida que se relacionam com a arte fotográfica.

Isso por si só não é necessariamente ruim, e aqui funciona bem, afinal o espectador entra na história da fotografia junto com Escorel. E que melhor de maneira de entrar em contato com alguma coisa do que pelas palavras de uma pessoa que é apaixonada pelo assunto?

O documentário faz um passeio pela carreira do diretor, mostrando o seu trabalho como diretor de fotografia em vários filmes, como Bye Bye Brasil e São Bernardo e fala sobre como Escorel se relacionou com a fotografia desses filmes. Fotografação então, se torna um filme sobre fotografia quase único.

Fotografação usa de entrevistas e de opiniões pessoais do diretor
Fotografação usa de entrevistas e de opiniões pessoais do diretor

Aspectos técnicos de Fotografação

Este é um documentário clássico em muitos aspectos, isso porque ele mostra diversas pessoas de profissões e origens diferentes, dando entrevistas. Os entrevistados falam sobre o surgimento da fotografia, sua popularização e sua democratização, mas também falam como suas vidas se conectam com essa arte.

O documentário tem diversas imagens de arquivos, tanto fotografias propriamente ditas, quanto vídeos antigos que nos colocam dentro da história que Escorel quer contar. Também assistimos a algumas cenas dos filmes em que o diretor trabalhou.

Quando pensamos que Fotografação é um documentário que coloca seu diretor quase como um protagonista e que nos dá uma visão bem pessoal, fica claro que ele não é um documentário tão clássico assim, uma vez que a maioria dos documentários quer ao máximo ser imparcial. Se o filme nos mostra a opinião pessoal do diretor, ele toma alguns lados, mas apresenta uma proposta diferente para o gênero.

Lauro Escorel
Lauro Escorel

Nesse sentido, Fotografação é bem parecido com o recente Democracia em Vertigem, de Petra Costa, embora os dois filmes tenham temas bem diferentes, uma vez que Petra também coloca a sua opinião e sua história pessoal no seu documentário.

Fotografação na verdade é uma declaração apaixonada à fotografia, e vale a pena escutá-la de quem sabe do está falando. O filme entra em cartaz no dia 5 de março.

Fotografação

Nome Original: Fotografação
Direção: Lauro Escorel
Gênero: Documéntario
Distribuidora: Pandora Filmes
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar