Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Estocolmo, Suécia. Graças às matérias escritas por Mikael Blomkvist (Sverrir Gudnason) para a revista Millennium, Lisbeth Salander (Claire Foy) ficou conhecida como uma espécie de anti-heroína. Afinal, ela ataca homens que agridem mulheres. Apesar da fama repentina, ela se mantém distante da mídia em geral e leva uma vida às escondidas.

Um dia, Lisbeth é contratada por Balder (Stephen Merchant) para recuperar um programa de computador chamado Firefall, que dá ao usuário acesso a um imenso arsenal bélico. Balder criou o programa para o governo dos Estados Unidos, mas agora deseja deletá-lo por considerá-lo perigoso demais. Lisbeth aceita a tarefa e consegue roubá-lo da Agência de Segurança Nacional. Mas não esperava que um outro grupo, os Aranhas, também estivesse interessado nele.

Claire Foy é Lisbeth Salander em Millennium: A Garota na Teia de Aranha
Claire Foy é Lisbeth Salander em Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Lisbeth Salander e a revista Millennium

Pra quem não sabe, Lisbeth ficou famosa pela sensacional trilogia Millennium, do jornalista sueco Stieg Larsson. O primeiro livro, Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, é o melhor de todos. Ganhou versão no cinema sueco e americano. Quando eu li o primeiro livro, logo assisti ao filme sueco e em seguida fui ao cinema para ver a versão americana. Meu cérebro explodiu e eu amei! Principalmente a abertura do filme dirigido por David Fincher. Com uma versão muito louca de “Immigrant Song” do Led Zeppelin, essa abertura é memorável, vale conferir ou relembrar.

Os outros dois livros, A Menina Que Brincava com Fogo e A Rainha do Castelo de Ar, também viraram filmes. Só que somente por diretores suecos. A Lisbeth dos filmes suecos é muito bem interpretada pela atriz Noomi Rapace. Mikael Blomkvist foi interpretato pelo querido Michael Nyqvist, que infelizmente faleceu ano passado.

Sylvia Hoeks é Camilla, a irmã de Lisbeth
Sylvia Hoeks é Camilla, a irmã de Lisbeth

Na versão americana, Rooney Mara deu vida à Lisbeth, e Daniel Craig foi o jornalista Blomkvist. A química deu certo também. Porém, os estúdios americanos não quiseram filmar as continuações de Larsson, e resolveram pular direto para o quarto livro. Oi? Sim, depois que Stieg Larsson morreu, um outro autor resolveu continuar a saga de Lisbeth e da revista Millennium. Ele escreveu A Garota na Teia de Aranha e O Homem Que Buscava Sua Sombra.

Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Então, temos Lisbeth de volta fazendo justiça com as próprias mãos; e também Mikael Blomqvist, mais apagado do que nunca. Claire Foy não deu tanta credibilidade assim à Lisbeth, que já conhecíamos como uma mulher muito forte. Além de uma Lisbeth meio fraca, o roteiro não é nem um pouco envolvente, parecendo até desnecessário.

Lisbeth e sua equipe quase insignificante
Lisbeth e sua equipe quase insignificante

A abertura foi claramente inspirada naquela que falei acima. Tensa e bonita, porém sem uma trilha tão memorável e mais curta. O filme começa nos apresentando Lisbeth criança, ao lado da irmã Camilla. Ambas devem fugir do pai pedófilo. Porém, Camilla obedece ao pai enquanto Lisbeth se joga no mundo, deixando a irmã para trás. Literalmente.

Em seguida já vemos como Lisbeth está nos dias atuais, atacando homens covardes que agridem mulheres. Ela é contratada por suas habilidades como hacker, mas se envolve numa guerra muito maior com uma gangue que tem uma ligação com seu passado sombrio.

As Lisbeths e os Blomqvists dos filmes
As Lisbeths e os Blomqvists dos filmes

Não agradou muito…

Com uma porção de coadjuvantes desnecessários, a história segue sem envolver o espectador, que está ali mais por ser fã da franquia do que qualquer outra coisa. Ficamos decepcionados com as poucas aparições de Blomqvist, que deu uma bela de uma rejuvenescida. Não entendi bem o porquê.

A própria Lisbeth também está meio padronizada, perdeu um pouco seu encanto. Acho que essa continuação foi bem dispensável e não vai agradar muito os fãs da hacker com a tatuagem de dragão. A não ser que você curta uma coisa meio 007, que é o que parece que estão fazendo com Lisbeth Salander e a saga Millennium. Eu confesso que fiquei com sono.

Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Nome Original: The Girl in the Spider's Web
Elenco: Claire Foy, Sylvia Hoeks, Lakeith Stanfield, Stephen Merchant, Sverrir Gudnason
Direção: Fede Alvarez
Gênero: Crime, Drama, Thriller
Produtora: Metro-Goldwyn-Mayer
Distribuidora: Sony Pictures
Tags

Veri Luna

Veri Luna é fotógrafa, videomaker, formada em pedagogia e audiovisual, ama cinema, livros, comida e gatos.

Matérias Relacionadas

Close