Não Desligue – Mais um terror genérico

Em Não Desligue, Sam (Gregg Sulkin) e Brady (Garrett Clayton) são dois jovens que passam trotes e postam as reações no YouTube. Em uma noite, depois dos dois fazerem uma brincadeira com uma pizzaria local, eles recebem uma ligação que pede para eles não desligarem. O estranho sabe todos os detalhes sobre suas vidas e então, vira o jogo contra eles.

Os protagonistas são Sam e Brady, dois jovens que se divertem passando trotes para números aleatórios ou para amigos. Nesse aspecto, eles não são diferentes de qualquer jovem que já fez o mesmo. No entanto, as brincadeiras que Sam e Brady fazem são muito problemáticas, porque eles não se limitam a brincadeiras inocentes. Na primeira cena do filme, por exemplo, eles passam um trote para uma mulher que mora sozinha com a filha pequena, dizendo que tem um homem na casa dela e que ela não deve sair do quarto ou chamar a polícia.

Sam
Sam

O que acontece é que fica muito difícil sentir qualquer empatia por dois personagens que são capazes de fazer coisas assim. Tudo bem que a ideia é que a gente compreenda porque um estranho ligaria para esses personagens para reverter as brincadeiras, mas quando o estranho começa a exigir coisas, a plateia não sente dó desses garotos, uma vez que eles parecem não sentir dó de ninguém.

Não Desligue – Um terror genérico

Outro grande problema do filme é que ele não acrescenta nada de novo. É um terror bem clichê para adolescentes, como qualquer outro. Embora ele até parta de uma ideia interessante, ele recorre a muletas extremamente comuns no gênero do terror e pode facilmente ser comparado com filmes como A Casa de Cera, Quando um Estranho Chama e Verdade ou Desafio.

O filme aposta em clichês do gênero
O filme aposta em clichês do gênero

Isso por si só não é um problema, uma vez que muitos desses filmes nem querem ser grandes filmes de terror, mas só arrastar multidões de jovens ao cinema e que mesmo com uma história fraca e clichê, eles ainda têm muito público.

O que acontece com Não Desligue é que ele também é chato. O estranho entra em contato com Brady e Sam relativamente cedo, mas demora muito para mostrar a que veio. Então, ao invés do filme jogar um monte de cenas violentas e sanguinolentas, o que é esperado de um filme de terror, o filme passa um tempo quase em um marasmo, sem nenhum acontecimento muito importante, o que é um grande problema.

É muito difícil simpatizar com os protagonistas de Não Desligue
É muito difícil simpatizar com os protagonistas

Aspectos técnicos

O roteiro é simples e bem bobo, este é mais um daqueles filmes de terror feito para o público adolescente. A questão é que, na maioria desses filmes, é fácil se identificar ou torcer, por pelo menos um dos personagens. Entretanto, não é o que acontece aqui, pois os dois personagens têm comportamentos terríveis desde o começo.

Em relação aos efeitos, o filme se sai relativamente bem e no momento em que ele fica um pouco assustador, temos bons efeitos e boas maquiagens, mas que não compensam o resto do filme.

A ação demora a acontecer em Não Desligue
A ação demora a acontecer

O grande problema aqui, além da dificuldade de simpatizar com os protagonistas, é que o filme é muito parado, especialmente para um filme de terror, onde se espera que muitas coisas aconteçam e com uma certa rapidez, e o telespectador acaba ficando entediado.

Não Desligue tem a intenção de ser um filme de terror adolescente, feito apenas com o intuito de trazer um grande público ao cinema, mas peca em aspectos básicos do gênero e acaba deixando o telespectador cansado.

Não Desligue

Nome Original: Don't Hang Up
Direção: Damien Macé, Alexis Wajsbrot
Elenco: Gregg Sulkin, Garrett Clayton, Bella Dayne, Sienna Guillory, Parker Sawyers
Gênero: Terror, Suspense
Produtora: Bigscope Films, Wild Spark
Distribuidora: Bigscope Films
Ano de Lançamento: 2016
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar