Livros

O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald

Sinopse: Eleito um dos maiores romances de língua inglesa de todos os tempos, o livro traz o relato de uma história de amor com toques quixotescos. Gatsby e Daisy se conheceram há cinco anos, quando ela era apenas uma bela garota de Lousville e ele um reles oficial da marinha. Apesar da grande paixão, enquanto Gatsby está numa viagem pelos mares, Daisy se casa com o rico Tom Buchanan, embora ele seja bruto e insensível.
Depois da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para assim reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha a de seu amor em Long Island. Promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. Ainda apaixonada, Daisy vai a sua procura e uma grande tragédia se anuncia.

Fonte:https://www.amazon.com.br/Grande-Gatsby-F-Scott-Fitzgerald/dp/8501063517?tag=kns00-20&ascsubtag=31dfeebf-4bf9-4bb3-bafd-abf7abb93e8a

Publicado em 1925, O Grande Gatsby é o romance mais famoso de F. Scott Fitzgerald e é também conhecido por retratar com fidelidade a era do Jazz. O próprio Fitzgerald era um frequentador das festas e comemorações que ele retrata no livro.

O Grande Gatsby é narrado por Nick Carraway, um jovem comerciante que fica muito amigo de seu vizinho, Jay Gatsby, um bilionário que dá festas homéricas, mas que ninguém sabe muito bem da onde surgiu ou como ficou tão rico. Nick também freqüenta a casa de sua prima Daisy e de seu marido, Tom Buchanan.

Uma das muitas capas do livro
Uma das muitas capas do livro

Ao longo do livro descobrimos que Daisy e Gatsby tiveram um relacionamento na adolescência, mas que ela acabou se casando com Tom porque ele era rico, e que a partir desse momento, se tornou o objetivo de vida de Gatsby: ficar milionário para reconquistar Daisy.

Não é a toa que o livro é considerado um grande marco dos anos 20, porque ele retrata com perfeição esse período. É claro que o livro se limita a uma parcela muito especifica da população americana: a maioria dos personagens são bilionários, por isso, nós lemos sobre festas regadas a muitas bebidas, jazz e sexo, refeições em restaurantes caríssimos e compras absurdas. Esses são temas recorrentes na obra de Fitzgerald.

Mia Farrow e Robert Redford no filme de 1974.

A trama é quase uma metáfora para a década de 20, ela descreve com perfeição toda a euforia de uma era aonde praticamente tudo era liberado, mas existe um clima de tragédia que ronda a história. Desde as primeiras páginas do livro, o leitor percebe que aquela festa toda não pode durar para sempre. É como se fosse uma premonição do que significaria para os Estados Unidos, a quebra da bolsa de valores em 1929.

Outro assunto que permeia a obra é o cinismo. Em certo momento do livro, Daisy começa um caso com Gatsby, que não é segredo para quase ninguém, da mesma maneira que Tom, mantém uma amante com o conhecimento de Daisy e Nick. Posteriormente, Nick, que é possivelmente o personagem mais inocente da história inteira, percebe que embora os personagens do livro jurem amor eterno um ao outro, a única coisa que interessa a maioria deles é o dinheiro.

O papel da mulher na sociedade também é debatido no livro. Daisy e Tom tem uma filha, e a única coisa que a mãe deseja para a filha é: “que ela seja uma tola. Essa é a melhor coisa que uma garota pode ser neste mundo, uma linda tolinha‘”, porque a própria Daisy não tem nada de tola, muito pelo contrário, e ela sabe o preço que ser inteligente cobra de uma mulher na década de 20.

O enriquecimento de Gatsby, para que possa participar da sociedade e ser merecedor do amor de Daisy representa com perfeição a vontade da população de mudar de vida a qualquer custo, o que se desenrola posteriormente, por sua vez, mostrando como a ideia do sonho americano pode falhar miseravelmente.

Leonardo Dicaprio, Joel Edgerton, Tobey Maguire e Carey Mulligan no filme de 2013.

Na verdade, O Grande Gatsby é um livro repleto de desencontros: Daisy é casada com Tom, mas ama Gatsby, Tom é casado com Daisy, mas ama Myrtle, que é casada com George, que nem desconfia do caso e essa idéia acompanha o leitor até o final fatídico do livro, que nos apresenta ainda mais desencontros.

Todos os personagens do livro são incrivelmente bem escritos, Gatsby é um homem simples e relativamente inocente que arrisca tudo que tem em busca do amor de Daisy, e que por isso, entra em um mundo do qual não faz parte e que talvez nunca irá fazer, Nick é o narrador devotado, que não consegue ver mal nas pessoas, até que elas provem o contrário incontáveis vezes, Daisy, a moça dividida entre o amor que sente por Gatsby e o amor que sente pelo luxo, Tom, um homem violento e agressivo, que não ama a mulher, mas não abre mão do casamento, Myrtle, a amante de Tom, que embora tenha um bom marido, prefere passar seu tempo com o amante.

O Grande Gatsby já foi adaptado 5 vezes e as versões mais famosas com certeza são a de 1974, com Robert Redford no papel de Gatsby e Mia Farrow, no papel de Daisy e a de 2013, com Leonardo DiCaprio como Gatsby e Carey Mulligan, como Daisy.

Já faz quase 100 anos que O Grande Gatsby foi publicado e até hoje a obra prima de Fitzgerald continua sendo lida, a ponto de ser considerada um clássico da literatura mundial.

Tags
Mostrar Mais

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close