O Tradutor, Rodrigo Santoro vive jornada transformadora

No filme O Tradutor, Rodrigo Santoro interpreta Malin, um professor universitário de literatura russa que vê sua vida transformada ao ser designado como intérprete na ala infantil de um hospital cubano. Ele deve ajudar na comunicação entre os médicos e vítimas do acidente nuclear de Chernobil que acabaram de chegar à Havana. Relutante a princípio, Malin passará por uma profunda mudança pessoal.

Cuba e a União Soviética

As relações entre Cuba e União Soviética eram extremamente próximas desde o começo dos anos 1960, quando Fidel Castro proclamou a natureza socialista do regime cubano. Nos anos que se seguiram, a União Soviética proporcionou a Cuba uma ampla assistência econômica e militar para compensar o bloqueio e as ameaças que provinham dos Estados Unidos. Desde a ascensão de Mikhail Gorbachev ao poder na União Soviética em 1985, no entanto, as relações com Cuba haviam se deteriorado substancialmente.

Rodrigo Santoro é Malin em O Tradutor
Rodrigo Santoro é Malin

Em abril de 1989 Cuba recebe a visita de Gorbachev em uma tentativa de melhorar as relações estremecidas. Fidel se mostrava desconfiado e abertamente crítico aos esforços de Gorbachev de levar a cabo medidas de livre mercado e abertura democrática na União Soviética. O líder cubano alertou que sua nação em breve teria dificuldades vindas do campo inimigo e até mesmo dos próprios amigos.

Na casa de Malin e Isona (Yoandra Suárez), tudo corria razoavelmente bem. Eles recebiam seus vales e assim abasteciam a casa. Levavam o filho ao supermercado e ele podia escolher livremente seu cereal matinal. Malin, como professor de literatura russa, dava aulas na universidade de Havana. Sua esposa, Isona, trabalhava em uma galeria de arte. O professor também passava muito tempo trabalhando em sua tese de doutorado.

Malin e Isona em O Tradutor
Malin e Isona

O trabalho no hospital

Sem nenhum tipo de aviso, algumas aulas da universidade são suspensas e os professores encaminhados para trabalhar em um hospital. Vítimas do desastre nuclear de Chernobil haviam chegado para tratamento médico. Assim, eles precisavam de tradutores da língua russa para ajudar no trabalho. Malin é encarregado da ala infantil hospitalar no período noturno. O que logo de cara o deixa muito abalado, pois a maior parte das crianças enfermas tem a mesma idade de seu filho. Ele pensa em não participar do projeto, mas logo muda de ideia.

Malin acaba desenvolvendo uma boa relação com a enfermeira chefe de sua seção, Gladys (Maricel Álvarez). Ela, que é uma profissional firme e dedicada, admira o trabalho do professor. Afinal, seu coração falou mais alto, e o rapaz amplia sua função, realizando um trabalho cada vez mais cuidadoso e pedagógico. O tradutor até faz amizade com o pai de um paciente com leucemia que se encontra isolado. O caso desse garotinho, inclusive, é um dos mais tocantes, tendo em vista que nem os rostos daqueles que lhe assistem o menino pode ver. Todos que adentram seu quarto devem estar devidamente cobertos dos pés à cabeça para não lhe passar nenhum tipo de infecção.

A enfermeira Gladys e alguns dos pacientes da ala infantil
A enfermeira Gladys e alguns dos pacientes da ala infantil

Crise Econômica

Devido à dissolução da União Soviética, Cuba entra em um longo período de crise econômica. Assim, havia principalmente uma grave escassez de recursos energéticos como gasolina, diesel e derivados. O período transformou radicalmente a sociedade cubana e sua economia, pois exigiu a modificação da agricultura, em virtude da falta de equipamentos e insumos para a lavoura, a diminuição do uso de automóvel, e revisou a indústria, a saúde e a dieta em todo o país. As pessoas foram forçadas a viver sem muitos bens para os quais se acostumaram.

Com a crise, Malin passa a ir trabalhar de bicicleta, assim como praticamente toda a população. Não há gasolina nos postos e as prateleiras dos mercados estão vazias. Com o esforço dobrado de ter que pedalar até o hospital, Malin, que já trocava o dia pela noite, acaba passando ainda menos tempo com a família. Ou seja, a crise foi muito maior para eles. Isona já não acreditava mais no casamento e temia pela infelicidade do filho. Enquanto isso, o coração de Malin ia crescendo cada vez mais.

Rodrigo Santoro em cena do filme O Tradutor
Rodrigo Santoro em cena do filme
Curiosidades sobre O Tradutor

O filme foi dirigido pelos filhos do tradutor real da história, Rodrigo e Sebastián Barriuso. Seu pai foi professor de literatura russa na Universidade de Havana e atuou como tradutor quando crianças atingidas pelo desastre de Chernobil chegaram à Cuba para tratamento médico.

O ator brasileiro Rodrigo Santoro faz o papel do tradutor cubano. Ou seja, passa o filme todo falando espanhol e russo. Ele afirma que aprendeu russo em quatro semanas para poder interpretar Malin. De tão encantado e comovido com a história, Santoro resolveu encarar o desafio. Para tal, Rodrigo também chegou a ter conversas via Skype com o verdadeiro protagonista da história, que lhe alimentou com muito da cultura cubana e russa. Para Santoro, a profissão do professor é a mais linda que existe. Um belo exemplo!

Então, o resultado desse trabalho tão bonito vocês podem conferir nos cinemas, a partir de 04 de abril.

O Tradutor | Trailer Oficial

O Tradutor

Nome Original: Un Traductor
Direção: Rodrigo Barriuso e Sebastián Barriuso
Elenco: Rodrigo Santoro, Maricel Álvarez, Nataliya Rodina, Milda Gecaite, Genadijs Dolganovs
Gênero: Drama
Produtora: Creative Artisans Media, Involving Pictures
Distribuidora: Galeria Distribuidora
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar