CríticasFilmes

Vidas à Deriva, uma história real

Em Vidas à Deriva conhecemos Tami (Shailene Woodley), uma jovem corajosa e inquieta, que deseja conhecer o mundo. Quando ela está passando um tempo no Taiti, ela conhece e se apaixona por Richard (Sam Claflin), que tem o mesmo espírito aventureiro que ela. Os dois resolvem velejar pelo mundo, mas uma tempestade os atinge, deixando Tami na embarcação completamente em ruínas, tentando salvar a vida dos dois.

A primeira coisa que se tem que saber sobre Vidas à Deriva é que a história de fato aconteceu e que o filme é baseado em um livro, escrito pela própria Tami. Então, tudo que vemos no filme é com certeza, uma história de superação e de sobrevivência. O longa também se preocupa em falar do romance entre Tami e Richard, mas isso não se torna o foco principal, o filme é bem dividido entre a relação dos protagonistas e os momentos no barco.

Para isso, o filme usa de vários flashbacks, que mostram como Tami chegou ao Taiti, como ela e Richard se conheceram e como começaram a namorar. É verdade que tudo isso passa de maneira bem rápida, mas é porque o filme precisa mostrar os dois momentos. Também é interessante o contraponto que o longa nos dá entre os momentos felizes e apaixonados do casal, e os momentos de luta pela sobrevivência dentro do barco destruído.

Sam Claflin e Shailene Woodley se apaixonam em Vidas à Deriva
Sam Claflin e Shailene Woodley se apaixonam em Vidas à Deriva

Outro ponto interessante do filme é que ele apresenta uma protagonista feminina forte e independente, que é inspirada em uma mulher real, e que não se anula em função do personagem masculino, na verdade, os dois se completam em muitos sentidos, inclusive nos momentos de tensão do filme, onde um dá apoio ao outro.

O filme é predominantemente um romance, com toques de drama, mas ele é repleto de momentos de tensão, uma vez que os personagens estão lidando com uma força muito maior do que a do ser humano: a força da natureza. O filme é cheio de cenas com ondas enormes e com perigos que só o fundo do mar pode prover, o que pode deixar os telespectadores mais ansiosos roendo as unhas.

Vidas à Deriva também é um filme bem produzido, ele usa de muitos efeitos para as cenas que se passam dentro do barco e se preocupa em fazer uma boa maquiagem nos atores, uma vez que eles estão desidratados, machucados e cada vez enfrentando mais desafios, tornando tudo mais realista.

A luta pela sobrevivência
A luta pela sobrevivência

De resto, Vidas à Deriva é um filme de romance que apresenta pontos e situações um pouco diferentes dos filmes do estilo, uma vez que precisa falar da incrível história de superação de Tami. O longa entretém e é uma ótima pedida para os fãs do gênero.

Vidas à Deriva entra em cartaz no dia 9 de agosto.

Vidas à Deriva

Nome original: Adrift

Elenco: Shailene Woodley, Sam Claflin, Grace Palmer, Jeffrey Thomas, Elizabeth Hawthorne

Gênero: Ação, Aventura, Drama

Distribuição: Diamond Filmes

Direção: Baltasar Kormákur

Tags
Mostrar Mais

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close