13 Reasons Why (3ª Temporada) – Ainda não é a última

Quem matou Bryce Walker?

Depois da tentativa de massacre de Tyler (Devin Druid), durante o baile de primavera, Clay (Dylan Minnette) e seus amigos estão tentando se recuperar, enquanto se mantém sempre atentos a Tyler.

Após um jogo de futebol americano, onde toda a escola se envolve em uma briga e Bryce Walker (Justin Prentice) desaparece, a cidade inteira começa a procurá-lo.

O corpo de Bryce é encontrado dentro de um rio e todos os alunos da Liberty High automaticamente viram suspeitos. Conforme a polícia investiga os eventos que levaram a morte de Bryce, segredos dos personagens começam a aparecer.

13 Reasons Why (3ª Temporada) começa oito meses depois do final da segunda
A terceira temporada começa oito meses depois do final da segunda

A investigação em 13 Reasons Why (3ª Temporada)

De certa maneira, todas as temporadas de 13 Reasons Why tem um clima de investigação e abordam algum mistério, o que muda é justamente o conteúdo desse mistério. Enquanto na primeira temporada, o telespectador tentava entender, através das fitas de Hannah Baker (Katherine Langford), o motivo de seu suicídio, e na segunda, os personagens contavam suas versões dos fatos para um juiz, na terceira, a série mergulha totalmente na investigação criminal.

Logo no primeiro episódio, Bryce Walker, o grande vilão da atração, desaparece depois de um confuso e violento jogo de futebol americano. Não muito tempo depois, o corpo dele é resgatado de um rio e a polícia começa a investigar quem poderia querer matar Bryce, mas uma vez que o telespectador acompanhou as duas primeiras temporadas, ele sabe que a questão mais pertinente é: quem não queria matar Bryce?

Automaticamente, todos os personagens principais se tornam suspeitos, uma vez que Bryce estuprou, maltratou e destratou todos eles e que, na teoria, todos eles teriam motivos. Na sua terceira temporada, 13 Reasons Why precisa, mais uma vez, se reinventar, já que como aconteceu da primeira para a segunda temporada, todos os mistérios foram resolvidos no último episódio e, de novo, a série se sai razoavelmente bem.

A série apresenta uma nova narradora
A série apresenta uma nova narradora

Seguindo a mesma lógica das duas temporadas anteriores, cada episódio é focado em um personagem, que é o principal suspeito daquele momento. Acompanhamos o passado, enquanto a série nos mostra o que aconteceu antes de Bryce morrer e na noite em que ele morreu, e o presente, onde o suspeito em questão lida com tudo que acontece.

É assim que o telespectador se inteira da história que, até aquele momento, é um mistério e vai pouco a pouco descobrindo mais segredos dos personagens. Jessica (Alisha Boe), por exemplo, teria motivos de sobra para matar Bryce, uma vez que ele a estuprou na primeira temporada e, além disso, ela recebeu uma carta do falecido, que a deixou enfurecida. Alex (Miles Heizer), aparentemente, tinha uma dívida com Bryce, porque ele vinha lhe vendendo esteroides e lhe arrumando garotas de programa. Zach (Ross Butler) estava apaixonado pela ex-namorada (Anne Winters) de Bryce e isso tinha causado uma briga entre os dois e assim a série prossegue apresentando cada um dos personagens, seus motivos e supostos álibis.

Ani Achola

13 Reasons Why (3ª Temporada), no entanto, é diferente das suas predecessoras em um aspecto: Hannah Baker não está mais presente. Sendo assim, ela também não narra mais a série. Para substituir Hannah, somos apresentados a outra personagem, Ani Achola (Grace Saif), uma aluna nova, cuja a mãe trabalha como enfermeira na casa de Bryce, cuidando do avô dele. Ani e sua mãe vivem na mesma casa que a família Walker e, de certa maneira, ela tem informações privilegiadas.

Clay e Ani
Clay e Ani

Logo que chega na escola, Ani fica muito próxima de Clay, que começa a se apaixonar por ela, e de Jessica, mas quando os dois descobrem que ela mora na mesma casa que Bryce, e que simpatiza com ele, a relação entre eles fica um pouco complicada.

O acréscimo de Ani é uma das coisas mais estranhas da terceira temporada, uma vez que ela cai de paraquedas na escola e em toda a história de Bryce, mas mesmo assim sabe o suficiente não só para participar do grupo que se forma para vigiar Tyler, como também para narrar todos os acontecimentos da temporada, no presente ou no passado. Em outras palavras, Ani sabe quem matou Bryce, os segredos de todos os suspeitos e o que cada um deles fez naquela noite.

13 Reasons Why (3ª Temporada) mergulha totalmente no suspense
A série mergulha totalmente no suspense

A sensação que se tem é que o roteiro quer forçar a barra acrescentando uma narradora e também um potencial interesse romântico para Clay, que era apaixonado por Hannah e que destruiu seu romance com Skye Miller (Sosie Bacon) na segunda temporada. Se soma a isso, o fato de Ani ser uma personagem ligeiramente irritante, que para saber tudo o que sabe, mesmo tendo acabado de chegar no colégio, se mete na vida de todo mundo, faz perguntas indiscretas e repete com uma certa frequência que ela gosta de “ajudar desconhecidos”.

É compreensível que Hannah não possa mais narrar a série, uma vez que ela morreu na primeira temporada e que talvez não fosse tão interessante insistir na ideia de Clay continuar conversando com uma adolescente morta, mas a adição de Ani deixa a plateia perguntando se não seria mais fácil transformar o próprio Clay, ou qualquer um dos personagens que estão na trama desde o começo, no novo narrador.

Existe perdão para Bryce?

Mas, na realidade, o grande problema da temporada é a maneira com que ela retrata Bryce. É importante lembrar que na primeira e na segunda temporada ele foi retratado como o vilão da escola. Ele não só cometia delitos comuns aos adolescentes, como o bullying e a violência dentro da escola, como também era de fato um criminoso sexual que tinha estuprado Hannah, Jessica, sua então namorada, Chloe e possivelmente outras garotas que só eram citadas na série. Bryce Walker foi retratado o tempo todo como um verdadeiro monstro.

Grace Saif em cena da série 13 Reasons Why (3ª Temporada)
Grace Saif em cena da série

A terceira temporada, por outro lado, resolve tentar mudar essa imagem. Bryce ainda é culpado dos estupros, da violência e do bullying, mas depois de tudo isso, ele está arrependido. Bryce se vê pensando no mal que fez a todos na escola e resolve tentar reverter os seus atos.

Ani é nova na cidade e, portanto, não sabe nada sobre o que Bryce fez. Além disso, ela vive na mesma casa que ele e tem uma visão “única” do rapaz. Para Ani, que agora é a narradora da série, Bryce é inteligente, gentil e divertido e os dois começam uma amizade que rapidamente se desenvolve para um relacionamento sexual, consensual dessa vez. Ani é completamente incapaz de ver o Bryce violento e criminoso, mesmo depois que ela fica sabendo de tudo que ele fez, porque com ela, ele se comporta de maneira diferente.

Não existe nenhum problema em Ani se envolver com Bryce, mesmo porque quando isso acontece, ela não sabe do seu passado. Também é possível comprar a ideia de que Bryce esteja arrependido, embora seja difícil, quando lembramos de tudo que ele fez e das várias frases grosseiras e criminosas que ele soltou durante as duas temporadas anteriores. A grande questão aqui é a maneira com que a série resolve retratar um estuprador nessa temporada.

A nova narradora, no entanto, não convence
A nova narradora, no entanto, não convence

Bryce não só é gentil com Ani, como também resolve defender sua mãe no divórcio de seus pais, dá uma bronca em Montgomery (Timothy Granaderos) pela agressão sexual de Tyler, fica amigo e passa a dar conselhos a Alex, escreve cartas a Jessica pedindo perdão e tenta até falar com a mãe de Hannah, Olivia (Kate Walsh).

Claro que criminosos podem se arrepender, mas a terceira temporada parece querer retratar Bryce como um bom moço, que fez tudo que fez porque estava perdido. Talvez a ideia seja tentar buscar um pouco de tristeza da plateia com a sua morte, mas não funciona, uma vez que até aquele momento, Bryce sempre foi retratado como a pior coisa que já aconteceu com cada um daqueles personagens e que a essa altura do campeonato, até a audiência sente raiva dele.

Outras questões

Além dos assuntos principais que circulam a morte de Bryce e a descoberta de seu assassino, a terceira temporada de 13 Reasons Why traz questões mais comuns, que dizem respeito a muitos adolescentes, mas nem por isso, mais leves.

Além dos assuntos principais, a temporada aposta em subtramas
Além dos assuntos principais, 13 Reasons Why (3ª Temporada) aposta em subtramas

Jessica começa a temporada namorando Alex, mas extremamente infeliz e sempre pensando no seu ex-namorado, Justin (Brandon Flynn). Então ela começa a explorar sua sexualidade. Além disso, ela mergulha fundo no movimento feminista, cria um grupo contra o assédio na escola e vira uma porta-voz ferrenha contra o machismo. Ela é a personagem que mais se desenvolve e que tem a trama mais interessante. Já Justin começa a viver com a família de Clay e continua sua luta para se livrar das drogas, enquanto fica claro que ele ainda ama Jessica.

Alex fica extremamente inseguro em relação a si mesmo depois que Jessica termina com ele, então começa a usar esteroides e se envolver com garotas de programa. Zach se machuca e entra em depressão quando percebe que não vai mais poder jogar. Enquanto isso, todos eles se unem para ficar o tempo todo de olho em Tyler, que tentou invadir o baile com uma arma na temporada passada, e que está claramente abalado.

Outro assunto que antes era só insinuado, mas que nessa temporada é mostrado com clareza é a homossexualidade de Monty, que está diretamente ligada ao comportamento violento que ele apresentava nas outras duas temporadas.

Jessica mergulha totalmente no ativismo feminista
Jessica mergulha totalmente no ativismo feminista

Embora traga temas que mais a aproximam de uma trama de suspense, a série também fala de temas que dizem respeito a adolescência, mesmo que muitas vezes isso não seja retratado da maneira mais correta ou saudável.

Aspectos técnicos de 13 Reasons Why (3ª temporada)

A terceira temporada carrega o mesmo fardo que a segunda: dar continuidade a uma história que foi pensada para um livro só e que teve todas as suas tramas praticamente fechadas na temporada anterior. A série se sai bem e, mais uma vez, mantém o formato original, trazendo novas histórias.

Ela peca, no entanto, em alguns aspectos. A mudança de narrador é brusca e não faz muito sentido. Até a segunda temporada a série era narrada por Hannah, com quem o telespectador já estava acostumado e por quem ele, certamente, nutria uma espécie de carinho, afinal, ela era a protagonista original da série. A terceira temporada acrescenta uma personagem nova, que miraculosamente sabe tudo da vida de pessoas que ela acabou de conhecer. A tentativa de transformar Bryce em um bom rapaz arrependido, que reconhece seus erros, é outro problema, ainda mais depois de ter passado duas temporadas o retratando como um monstro.

O grupo de protagonistas está mais unido em 13 Reasons Why (3ª Temporada)
O grupo de protagonistas está mais unido em 13 Reasons Why (3ª Temporada)

Embora as tramas mais importantes da segunda temporada tenham sido resolvidas no seu último episódio, as tramas mais simples permanecem, como o triângulo amoroso vai e vem entre Jessica, Justin e Alex e a saúde mental de Clay, e outras tramas surgem, que funcionam em maior ou menor medida.

O elenco se mantém constante, ninguém se destaca, mesmo que alguns momentos da série tenham uma tendência ao exagero e ao drama. 13 Reasons Why é uma série dramática que retrata assuntos como abuso sexual, estupro, bullying e suicídio mas, muitas vezes, a sensação que se tem é que a série explora tudo que pode, mesmo que isso leve a momentos desnecessários e a tramas que, às vezes, não fazem muito sentido. É difícil também comprar a ideia de que Bryce agora é bonzinho e, portanto, a atuação de Justin Prentice, soa artificial, embora o problema não seja exatamente do ator e sim do roteiro, que é irrealista mesmo.

A série também parece tentar segurar um pouco a mão em relação às doenças psicológicas apresentadas, que antes desfilavam sem muito cuidado na tela. Na terceira temporada, os personagens continuam tendo que lidar com muitos problemas e tragédias, mas eles parecem mais centrados e mais próximos um do outro.

Clay e Olivia
Clay e Olivia

Essa preocupação soa legítima, uma vez que a série é voltada para adolescentes e que o ideal seria passar informações verdadeiras para esse público. O roteiro, por outro lado, se perde um pouco e o que segura é o carisma de seus personagens, que fazem com que o público permaneça acompanhando a série, mesmo que ela apresente tramas absurdas e contraditórias.

Quando desiste de falar de questões psicológicas, que nas temporadas anteriores mereciam mais cuidado e mais atenção, 13 Reasons Why (3ª temporada) soa mais como uma série adolescente e menos como um catálogo de desastres, mas apresenta uma queda significativa na trama, ainda que tenha seus momentos interessantes.

13 REASONS WHY: 3ª TEMPORADA | Trailer Oficial Netflix (2019) Legendado HD

13 Reasons Why (3ª Temporada)

Nome Original: 13 Reasons Why
Elenco: Dylan Minnette, Grace Saif, Christian Navarro, Alisha Boe, Brandon Flynn
Gênero: Drama
Produtora: Anonymous Content, Paramount Television
Disponível: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar