Livros

A Estrada da Noite, Joe Hill

Um dos melhores livros de terror dos últimos anos

Jude Coyne, uma lenda do rock que coleciona objetos macabros, descobre que um estranho leilão na internet. Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas – o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um. Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora. O espírito parece estar em todos os lugares. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar.

A Estrada da Noite é o primeiro romance de Joe Hill (o seu livro anterior foi um livro de contos chamado Fantasmas do Século XX), famoso por escrever O Pacto (que virou o filme Amaldiçoado). Nesse livro, acompanhamos a história de Jude Coyne, um rockstar que coleciona todo tipo de objetos macabros. Um dia, Jude compra pela internet, um paletó que supostamente é assombrado.

Na primeira noite em que o paletó passa na casa de Jude, ele descobre que o item em questão não só é de fato, assombrado, como também é assombrado pelo padrasto de uma ex-namorada de Jude, que cometeu suicídio.

Uma das primeiras coisas que precisam ser ditas sobre A Estrada da Noite é que esse é um livro de terror mesmo, daqueles que fazem os leitores ficarem assombrados, mas ele também tem seus momentos doces e emocionantes. O “monstro” que aterroriza o protagonista é um fantasma, que eu particularmente acho uma das criaturas mais assustadoras usadas em histórias de terror.

Os personagens do livro são muito fáceis de gostar, de uma maneira geral, começando pelo próprio Jude, que tem muitos defeitos (ele abandonou sua antiga banda, é alcoólatra, usa mulheres sem qualquer remorso), mas ele também é divertido e o personagem é construído de uma maneira que faz o leitor perceber que por baixo do Rockstar durão, que coleciona itens macabros, existe uma pessoa de verdade. Também é interessante ver a habilidade de Hill através de um personagem que mesmo cheio de defeitos, consegue agradar (e muito) a ponto do leitor torcer por ele.

A atual namorada de Jude, Geórgia (Jude chama suas namoradas pelos nomes dos estados aonde elas nasceram), que ajuda ele nas investigações também é uma personagem bem construída, ela aparece como uma gótica que não liga muito para nada, mas no fundo, ela se importa com Jude e tem uma relação muito bonita com a avó, que é outra personagem que eu gostei bastante, embora ela seja uma personagem secundária, ela tem um papel bem importante na resolução dos problemas.

Até a ex-namorada de Jude, que cometeu suicídio antes do livro começar, Florida, é uma personagem cativante, mesmo que o leitor só a conheça através das lembranças de Jude. O fato de não a “conhecermos”, não exclui a vontade de saber o que exatamente aconteceu com ela.

Embora possa parecer que o começo do livro já entrega todos os mistérios, com a revelação de que o fantasma que assombra o terno é do padrasto de Florida, não é o caso. O livro vai revelando cada vez mais mistérios, nos momentos certos e de uma maneira que faz com que o leitor não tenha vontade de largar o livro até chegar no final, que é surpreendente e chocante.

A escolha de um fantasma é ótima, já que não só assusta o leitor (e os personagens), mas também fala diretamente com a vida de Jude, que vem se escondendo dos fantasmas de todos os seus erros do passado. Jude guarda tantos esqueletos no armário que o fantasma do padrasto de sua ex não é nada.

A leitura do livro é muito tranquila e é muito fácil se perder na prosa de Hill. O livro pode facilmente ser lido em uma sentada só.

E embora a história pareça um terror mais psicológico, não é. O livro tem muitas cenas sangrentas e pesadas, que vão agradar os fãs de Gore.

O mote principal com certeza, é o terror sobrenatural, mas como todo bom livro do gênero, A Estrada da Noite fala de temas que fazem parte do cotidiano humano e que precisam ser discutidos. É ótimo ler um livro que te deixe a noite inteira prestando atenção em cada barulhinho, mas também é ótimo ver situações reais que estão nas entrelinhas e no caso desse livro, nem tão nas entrelinhas assim.

Como eu disse, esse é o primeiro romance de Joe Hill e eu acho seguro dizer que ele é um dos melhores escritores de terror dos dias atuais.

A Estrada da Noite é um terror pesado, mas com personagens adoráveis, e uma trama que deixa a opção de largar o livro quase impossível.

Tags
Mostrar Mais

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close