A Felicidade das Coisas

Uma piscina e uma crise

Paula (Patrícia Saravy) está passando as férias na casa de praia da família com a mãe (Magali Biff) e com os dois filhos, Guto (Messias Gois) e Gabi (Lavinia Castelari), enquanto espera seu terceiro filho.

Ela se planejou para instalar uma piscina na casa, mas vê uma série de obstáculos surgindo e vai ficando cada vez mais frustrada em relação a isso e a vida que leva.

Uma mulher cansada

A Felicidade das Coisas é focado na vida de Paula e sua família, composta pela mãe dela, seus dois filhos, o bebê que ela espera e um marido do qual só ouvimos falar, mas que nunca vemos. A família está passando um tempo na casa de praia em uma pequena cidade litorânea que não tem muitos atrativos, mas Paula está disposta a instalar uma piscina na propriedade.

Paula e a piscina
Paula e a piscina

Enquanto isso não acontece, no entanto, acompanhamos o dia a dia, ainda que em um momento que na teoria deveria ser relaxante, daquela família. A avó, na falta do pai, que não abandonou a família oficialmente, mas é completamente ausente, ajuda Paula com as crianças, Guto é um pré-adolescente solitário que já não quer mais ficar com as mulheres da família e procura a atenção dos meninos locais, e Gabi só pensa na ida ao parque de diversões da cidade que lhe foi prometida.

Paula, a protagonista, é uma mulher extremamente sobrecarregada, que está visivelmente cansada. Ela cuida de duas crianças e carrega mais uma na barriga, tenta impedir que homens estranhos pesquem dentro de sua propriedade, que dá para um rio, lida com um marido que não parece ligar muito nem para ela e nem para os filhos e vê a sua tentativa de melhorar a casa com uma piscina totalmente frustrada, já que a família não tem dinheiro para terminar a obra.

A piscina

O elemento que movimenta quase todos os acontecimentos e os personagens de A Felicidade das Coisas é a piscina que está sendo construída no quintal da casa de praia. Quando o filme começa, a obra está caminhando, mas logo notamos que a família não tem dinheiro para terminar essa reforma.

Patrícia Saravy em cena do filme A Felicidade das Coisas
Patrícia Saravy em cena do filme

Paula, que está determinada a terminar a piscina, faz mundos e fundos para tal. Negocia com os vendedores, liga para o marido implorando por ajuda, pede paciência aos filhos e ajuda à mãe e, mesmo assim, não recebe crédito por nenhuma das coisas que faz. Em determinado momento do filme, a família até começa a achar ruim a ideia de construir a piscina e a culpá-la, mesmo que todo mundo tenha adorado a ideia inicialmente.

A piscina, na realidade, é só uma grande metáfora para a infelicidade de Paula. Para a protagonista, a piscina vai trazer felicidade automaticamente à família, e a ela mesma, que se vê presa em uma situação imobilizadora e que lida com frustrações e com o peso de ser mãe e esposa praticamente sem nenhuma ajuda.

Aspectos técnicos de A Felicidade das Coisas

O filme se passa inteiramente na cidade litorânea onde Paula e a família estão passando as férias, então, esse é praticamente o único cenário do filme. As locações incluem a casa da família, uma praia um pouco sem graça, um rio que atrai pescadores para o terreno de Paula e um clube de classe média alta ao qual Paula e sua família não têm acesso. A Felicidade das Coisas se sai muito bem não só nesse retrato da família de classe média, comandada pela mãe e ajudada pela avó, como também na maneira como mostra essa tradição brasileira de descer para a praia nas férias, sendo impossível não se reconhecer com os momentos que vemos na tela.

O filme segue o dia a dia da família
O filme segue o dia a dia da família

Mais do que isso, o longa consegue transmitir com bastante veracidade o clima das férias na praia, que se resume basicamente a um tempo no mar e o resto do dia sem muitas outras coisas para fazer além de comer e cochilar. Para combinar com essa realidade, a fotografia do filme é clara e solar, afinal, estamos em uma cidade litorânea e assumimos que aquelas são as férias de verão da família.

Também é notável a maneira com que o filme dá tempo de tela para todos os membros da família, e mostra o que cada um deles vive naquele momento. O único que não tem esse privilégio é o pai, que sabemos que existe, mas nunca ouvimos a voz ou vemos, deixando claro que ele faz parte da família, mas é completamente ausente.

A Felicidade das Coisas passa a sua mensagem nos detalhes
A Felicidade das Coisas passa a sua mensagem nos detalhes

O longa tem boas atuações, como a de Patrícia Saravy, a protagonista, a de Magali Biff e até as crianças se saem bem. O filme não tem nenhuma reviravolta e quase nenhuma ação, o telespectador acompanha apenas o dia a dia daquela família, mas ele não é parado ou cansativo, porque soa muito realista e, de certa maneira, muito próximo de casa.

A Felicidade das Coisas usa de uma trama que parece simples para falar sobre o cansaço da mulher e sobre a infelicidade com a rotina e passa sua mensagem com perfeição nos pequenos detalhes. O filme chega aos cinemas no dia 19 de maio.

A felicidade das coisas – trailer | IFFR 2021

A Felicidade das Coisas

Nome Original: A Felicidade das Coisas
Direção: Thaís Fujinaga
Elenco: Magali Biff, Patrícia Saravy, Lavinia Castelari, Messias Gois
Gênero: Drama
Produtora: Filmes de Plástico
Distribuidora: Embaúba Filmes
Ano de Lançamento: 2021
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar