A Grande Jogada

Molly Bloom (Jessica Chastain) era uma esquiadora profissional, que após uma queda foi obrigada a largar a carreira. Molly, então, vai trabalhar como garçonete e como secretária em Los Angeles. Enquanto tenta juntar dinheiro para cursar uma faculdade de direito, Molly, através de seu chefe Dean (Jeremy Strong), acaba conhecendo o submundo do Pôquer, onde várias celebridades, astros do rock, milionários e até membros da realeza se reuniam para jogar apostando quantias gigantescas. Observando o jogo por algum tempo, Molly resolve abrir a sua própria mesa.

Embora a história seja linear, mesmo porque é verdadeira, o roteiro não foi escrito dessa maneira. O filme é repleto de flashbacks, que vão e voltam o tempo todo, por isso, logo no começo acompanhamos Molly no fatídico dia do acidente e no meio disso, voltamos para momentos da sua infância, mas logo depois já vemos uma parte do desfecho da história. Tudo isso pode parecer confuso quando descrito dessa maneira, mas não é. O filme é extremamente claro e é possível entender bem as passagens do tempo. Além do mais, todas essas viagens no passado, no presente e no futuro, fazem com que o filme não se torne monótono, o que poderia acontecer em uma cine biografia de 2 horas e 20 minutos! Muito pelo contrário, o telespectador se sente quase impelido a acompanhar a história de Molly.

O filme também é narrado em voz over, o que não só facilita a compreensão dos flashbacks, mas também permite utilizar o texto original do livro, escrito pela própria Molly e uma das coisas mais divertidas do filme é que Molly tem um senso de humor sarcástico e em vários momentos é capaz de tirar sarro de si mesma e das situações em que se coloca. Os pensamentos e as palavras de Molly são um dos grandes destaques do longa, e fazem com que o telespectador simpatize e torça por ela, mesmo que ela tenha se envolvido em atividades moralmente questionáveis.

Idris Elba e Jessica Chastain em A Grande Jogada
Idris Elba e Jessica Chastain em A Grande Jogada

O figurino do filme também é muito expressivo. No começo, Molly se veste como uma garota simples e até um pouco conservadora. Conforme ela vai se envolvendo no mundo do jogo e vai ganhando cada vez mais dinheiro, suas roupas se tornam mais chiques e até mais provocantes, mostrando a mudança da personagem de uma menina ingênua para uma mulher dona do seu próprio negócio e segura de si. Nesses figurinos que são quase desfilados por Chastain na tela é possível reconhecer diversas grifes famosas, como Chanel.

Outro ponto positivo do filme é o fato de ter uma protagonista mulher e a história se passar inteiramente ao redor dela. O filme não perde tempo falando de relacionamentos amorosos que Molly pode ter tido, como acontece com muitas cine biografias de mulheres. Ele foca unicamente na personalidade de Molly, nos negócios e no império de jogo que ela construiu. A personagem é inteligente, corajosa e dona do próprio nariz.

O roteiro é muito bem construído, mas a história por si só, já é incrível. O filme não cita nome de pessoas famosas, mas uma busca rápida na internet pode esclarecer as identidades trocadas e com certeza, é exatamente isso o que boa parte das pessoas vão fazer depois de saírem do cinema. Com uma vida assim, era impossível que o filme se tornasse chato ou desinteressante.

Jessica Chastain em A Grande Jogada
Jessica Chastain em A Grande Jogada

Jessica Chastain funciona muito bem no papel de Molly, e o elenco conta com outros nomes relativamente famosos, como Michael Cera no papel de um astro de cinema que frequenta todas as mesas de pôquer que Molly organiza, Kevin Costner, como o pai exigente de Molly, e Chris O’Dowd, como um jogador que tem conexões com homens mais poderosos e muito mais perigosos. Mas quem tem grande destaque no elenco é Idris Elba, que interpreta Charley Jaffey, o advogado de Molly, um homem íntegro e incorruptível que no começo não quer aceitar o caso, mas acaba vendo algo em Molly que o faz mudar de ideia. O elenco é repleto de homens, mas nenhum deles brilha mais do que Chastain e consequentemente, Molly.

A única coisa que pode ficar no caminho da interpretação do filme são as cenas que envolvem o jogo de pôquer. O roteiro faz um esforço para explicar várias das expressões usadas no jogo e as cenas focadas no pôquer não aparecem em abundância, mas para um leigo no assunto, alguns detalhes podem ser perdidos, mas nada que atrapalhe o bom trabalho dos roteiristas e que faça perder o interesse em uma história tão surpreendente.

A Grande Jogada

Um dos concorrentes ao Oscar de melhor roteiro adaptado, A Grande Jogada, que entra em cartaz no dia 22 de fevereiro, parece uma história de ficção, mas na verdade, conta parte da vida de Molly Bloom, conhecida como A Princesa do Pôquer.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar