A Vida de Diane, filme de Kent Jones

A Vida de Diane conta, como o nome já diz, um pouco sobre Diane, uma mulher que preenche seus dias ajudando os outros, cuidando de amigos e familiares e sempre se colocando em último lugar. Ela também tenta desesperadamente se relacionar com seu filho, que é viciado em drogas.

Neste processo, Diane chega a um novo entendimento de si mesma e de seu passado. Conforme esses pedaços de sua existência começam a desaparecer, ela se vê confrontando suas próprias memórias.

Diane visita regularmente a prima doente em A Vida de Diane
Diane visita regularmente a prima doente

Kent Jones

Este é o primeiro longa-metragem de ficção de Kent Jones, diretor do documentário Hitchcock/Truffaut, inspirado pelo livro de entrevistas de mesmo nome. Martin Scorsese é um dos produtores executivos do filme. Ele e Kent dirigiram juntos outro documentário, Uma Carta para Elia.

O diretor afirma que se inspirou nas suas tias avós e na sua infância para escrever A Vida de Diane. Ele nos traz personagens ora engraçados, ora cruéis. Parentes e amigos carinhosos e também duros. Ou seja, pessoas comuns. Com personagens femininas mais fortes e dominantes, os homens parecem sempre mais quietos.

Diane e o filho em A Vida de Diane
Diane e o filho

A Vida de Diane

A estrela do filme é Mary Kay Place. Ela dá vida a uma Diane que com certeza todos nós já conhecemos. Aquela pessoa que está sempre rodeada de amigos e familiares, sempre ajudando todo mundo. Ela passa horas com a prima no hospital, jogando cartas e conversando. Também leva comida para o filho, que é viciado em drogas e não gosta quando a mãe aparece. Além disso, ela ajuda amigos e vizinhos e serve comida a moradores de rua. Sua atuação é natural e fluida, merecendo reconhecimento.

Apesar de tudo isso, o filme é um tanto parado, pois mostra algo comum na vida das pessoas. A vida, como nós a conhecemos, desaparecendo diante de nossos olhos enquanto o tempo passa.

Mary Kay Place é Diane
Mary Kay Place é Diane

Poesia no dia a dia

Diane fica remoendo sentimentos antigos de decisões que tomou quando jovem, que ela acredita que moldam sua vida como é hoje. Questões que tanto a prima quanto o filho trazem à tona de vez em quando. Sombras do passado que voltam em sonhos e dúvidas. Essa talvez seja a parte mais sombria do longa. Mesmo rodeada de morte e das durezas da vida, Diane é uma pessoa firme, porém cansada. Ela enfrenta com garra a perda de pessoas queridas e assim confronta seu próprio envelhecimento.

Entretanto, com algumas mortes e outras melhoras, Diane se vê quase que sem propósito. E na segunda metade do filme vamos finalmente sentir um pouco mais do que Diane sente. Assim, ocorrem algumas explosões de sentimentos reprimidos. Uma parte bem interessante é aquela que mostra seu filho recuperado, porém fanático religioso. Diane também não aprova tal comportamento, afinal, ele está substituindo um vício por outro. Uma ótima fala.

A Vida de Diane é um filme sensível e poético, mas sem grandes surpresas. O longa entra em cartaz dia 09 de maio.

A Vida de Diane

Nome Original: Diane
Direção: Kent Jones
Elenco: Mary Kay Place, Jake Lacy, Estelle Parsons, Andrea Martin, Deirdre O'Connell
Gênero: Drama
Produtora: AgX, Sight Unseen Pictures
Distribuidora: Supo Mungam Films
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar