A Voz Suprema do Blues – Disponível na Netflix

O último filme de Chadwick Boseman

Na Chicago de 1927, Ma Rainey (Viola Davis) é a maior cantora de Blues do país, que deve fazer uma gravação com uma banda contratada.

No entanto, a convivência entre Ma e os outros integrantes da banda vai se tornando cada vez mais tensa, ainda mais quando a ambição do trompetista Levee (Chadwick Boseman) começa a surgir pouco a pouco.

A Voz Suprema do Blues é inspirado na peça de August Wilson.

A banda de A Voz Suprema do Blues
A banda

Ma Rainey

Nascida em 1886, a verdadeira Ma Rainey foi uma cantora de Blues conhecida como “a mãe do Blues”. Ela esteve entre os primeiros artistas negros a gravarem o gênero, ainda nos anos 1920.

No filme, Ma é a protagonista e o longa já a acompanha em uma fase mais avançada da vida, onde ela já é conhecida como uma das cantoras mais importantes de Blues dos Estados Unidos.

Ma não pede desculpas por ser quem é, e é, obviamente, uma pessoa difícil. Ela se comporta como a chefe da gravação. Ignora a gerência do estúdio – composta só por homens brancos – e interrompe a música quando não fazem o que ela quer. Além disso, Ma não é só negra, como também bissexual e não esconde isso. Sua namorada, Dussie Mae (Taylour Paige) está com ela o tempo todo. Certamente a relação dela com o resto da banda e com os gerentes não é das melhores.

Chadwick Boseman em cena do filme A Voz Suprema do Blues
Chadwick Boseman em cena do filme

A tensão

Embora fale sobre Ma e um pouco sobre a vida do trompetista da banda, Levee, o longa se dedica mesmo a retratar a relação da banda e dos seus acompanhantes durante a gravação.

Além da banda, dos gerentes e de Ma, Dussie e o sobrinho de Ma, Sylvester (Dusan Brown) também estão presentes na gravação e a tensão entre todos é palpável. A cantora se recusa a abaixar a cabeça para os gerentes, que conhecendo o temperamento dela, tentam ao máximo não pisar no seu calo. A banda faz a mesma coisa e aceita tudo que ela pede, inclusive a inclusão de Sylvester na introdução da música, mesmo que ele nunca consiga fazer sua parte correta, mas Levee não parece disposto a entrar nessa.

Viola Davis como Ma Rainey em A Voz Suprema do Blues
Viola Davis como Ma Rainey

Entre todos os integrantes da banda, Levee é o que mais ganha destaque. Ele conta aos outros membros da banda sobre seu passado e sobre seus sonhos. Dessa forma, fica claro que ele é muito ambicioso e que não está satisfeito em ser só o trompetista da banda de Ma. Ele é o maior responsável pela tensão que vai aumentando visivelmente, já que não aceita com facilidade nenhuma das ideias de Ma e, ainda por cima, mostra interesse em Dussie.

A Voz Suprema do Blues cobre, basicamente, um dia da vida de todas essas pessoas e como as suas personalidade, suas vidas e suas aspirações colidem uma com a outra.

As músicas

O longa se dedica a registrar vários músicos, portanto é um musical onde os personagens só cantam nos palcos e, nesse caso, no estúdio. Isso faz com que o filme possa agradar quem não gosta tanto de musicais clássicos. Embora a música seja uma questão bem importante, o filme não tem tantas músicas assim.

Boa parte do longa se passa no estúdio
Boa parte do longa se passa no estúdio

Entre as músicas que fazem parte da trilha sonora estão Deep Moaning Blues, Lazy Mama, Jump Song, The Story of Memphis Green, In the Shadow of Joe Oliver e Hear Me Talking to You.

Como boa parte do filme se passa no estúdio, A Voz Suprema do Blues também não tem números musicais elaborados ou danças, mas isso não impede que as performances dos atores em cena sejam ótimas.

A Voz Suprema do Blues tem um figurino muito realista
A Voz Suprema do Blues tem um figurino muito realista

Aspectos técnicos de A Voz Suprema do Blues

O que temos aqui é uma grande produção, que se dedica bastante a colocar o seu telespectador na década de 1920. Os figurinos são muito bonitos e realistas, assim como os penteados e as maquiagens.

Dussie, a namorada mais nova de Ma, é retratada como uma femme fatale e usa um vestido e uma maquiagem provocante, enquanto Ma, que já é uma mulher mais velha, usa uma roupa mais sóbria, embora a maquiagem ainda seja exagerada. Viola Davis está caraterizada de uma maneira que a deixa muito parecida com a verdadeira Ma.

As atuações também são um ponto positivo do longa. O elenco, de uma maneira geral, se sai muito bem, mas os grandes destaques são Viola Davis, que interpreta uma Ma que é difícil e cruel, mas também gentil quando quer e Chadwick Boseman que, em seu último papel, entrega uma atuação contundente, que nos deixa encantados pelo personagem, embora ele seja quase tão orgulhoso e implicante quando Ma.

Chadwick Boseman entrega uma grande atuação
Chadwick Boseman entrega uma grande atuação

É certo que o filme retrata um momento importante da música e que tem como protagonista uma mulher negra e bissexual, além de contar com um grande elenco, composto, em sua maioria, por atores negros, mas o longa tem pouca ação e como não tem quase nenhuma mudança de cenário, ele vai se tornando um pouco lento com o tempo.

Isso não impede, no entanto, que o filme agrade os fãs de Ma Rainey e quem se interessa e entende de música, e nem tira a importância da obra, mas ele pode decepcionar quem espera um musical um pouco mais animado. A Voz Suprema do Blues está disponível na Netflix.

A Voz Suprema do Blues | Trailer oficial | Netflix

A Voz Suprema do Blues

Nome Original: Ma Rainey's Black Bottom
Direção: George C. Wolfe
Elenco: Viola Davis, Chadwick Boseman, Colman Domingo, Glynn Turman, Jeremy Shamos
Gênero: Musical, Drama
Produtora: Netflix
Distribuidora: Netflix
Ano de Lançamento: 2020
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar