Cemitério Maldito, outra adaptação para o livro de 1983

Baseado no livro de Stephen King, Cemitério Maldito conta a história do Dr. Louis Creed (Jason Clarke), que, depois de se mudar com sua esposa Rachel (Amy Seimetz) e seus dois filhos pequenos de Boston para a área rural do Maine, descobre um misterioso cemitério de animais escondido atrás do terreno da nova casa da família. Quando uma tragédia acontece, Louis recebe a ajuda do seu estranho vizinho Jud Crandall (John Lithgow), dando início a uma reação em cadeia perigosa que liberta um mal imprevisível.

Vamos falar sobre morte?

Louis, por ser médico, está rodeado de morte o tempo todo. Ele tenta explicar sobre o inevitável para sua filha Ellie (Jeté Laurence) de forma prática. Diferentemente de sua esposa, que fala sobre o céu e as estrelas. Tudo bem que a menina só tem 8 anos, mas concordo com a praticidade aqui. Entretanto, quando Church, o gato da garotinha, morre atropelado, Louis e Rachel fazem de tudo para esconder da filha o que realmente aconteceu.

Ellie e Church em Cemitério Maldito
Ellie e Church

Vendo a situação de Louis, o vizinho Jud resolve mostrar na prática o que é possível de se realizar naquelas terras. De solo indígena, o outro cemitério encontra o sobrenatural e traz de volta aqueles que ali são enterrados. E nem é preciso esperar muito. No dia seguinte o gato está de volta à casa. Ou seja, Ellie nem ficou sabendo da morte do bichano.

O problema maior é que brincar com a morte traz consequências. Um ser que foi e voltou, não volta igual. Isso a família Creed vai sentir na pele e não só com o gato Church. Com um comportamento estranho e violento, Ellie então passa a querer distância do animalzinho. Até que outra tragédia acomete a família e Louis resolve se meter no cemitério novamente.

Jason Clarke e John Litgow em cena do filme Cemitério Maldito
Jason Clarke e John Litgow em cena do filme

O que há de novo em Cemitério Maldito?

Cemitério Maldito é um remake do filme de 1989 e também uma nova adaptação para a obra de Stephen King. Com poucas mudanças entre os filmes e o livro, a nova produção deu uma leve modernizada na história. Ao invés da tragédia acontecer com o garotinho, acontece com a filha mais velha. Além disso, o personagem de Victor Pascow, que no original era um rapaz branco, agora é representado por um ator negro. Na minha percepção, essas mudanças foram uma tentativa de trazer representatividade ao longa. Mas o protagonista continua sendo o pai da família, o que não faz nenhuma diferença.

O filme tem um roteiro redondo e vai direto ao ponto. Logo nos primeiro cinco minutos já presenciamos a cena mais icônica do trailer. Crianças usando máscaras de animais batendo em tambores em direção ao cemitério. Mas as cenas mais assustadoras, afinal de contas, são aquelas em que Rachel lembra da irmã que morreu jovem. A moça é traumatizada até hoje por se culpar pela morte da jovem Zelda. Inclusive nos momentos de tensão do presente, como o gato trazendo animais mortos para dentro de casa, o inconsciente de Rachel insiste em mesclar o terror atual com o passado.

O ritual para enterrar os pets
O ritual para enterrar os pets

Curiosidades

Church, é baseado em Smucky, gato de Naomi, filha de Stephen King, que foi atropelado perto da casa deles e serviu como uma das inspirações para escrever Cemitério Maldito. Para os fãs do trabalho de King, principalmente das adaptações feitas para o cinema, vale ficar atento às referências que aparecem ao longo do filme.

Outro ponto interessante é a ligação com a banda Ramones. A música Pet Sematary foi escrita por Dee Dee Ramone logo após a leitura do livro. A canção entrou na trilha sonora do filme de 1989, assim como Sheena Is A Punk Rocker, que toca no rádio do caminhão. Já nesta nova versão, ao invés do caminhoneiro estar ouvindo Ramones no rádio, ele atende uma ligação de uma tal de Sheena, o que o distrai na estrada. Nos créditos, ouvimos a versão da banda Starcrawler para o clássico Pet Sematary.

Jud, o vizinho estranho e Ellie, e menina estranha
Jud, o vizinho estranho e Ellie, e menina estranha

Com a palavra, a equipe:

Fãs de King, o roteirista Jeff Buhler e os diretores acreditam que o livro O Cemitério é o melhor trabalho do escritor de todos os tempos. “Stephen King é um daqueles caras como [J.R.R.] Tolkien, os quais comecei a ler aos 11 ou 12 anos. Já havia lido diversos livros dele até então, mas não li O Cemitério porque lembrei que no verso da edição de bolso do livro estava escrito: ‘o livro mais assustador que ele jamais escreveu!’. E eu tinha um gato, e tudo relacionado ao livro sempre me assustava. Havia algo diferente sobre O Cemitério. Tive uma reação bastante inesquecível ao livro. Ele se destacava. Ele parecia ser mais perigoso do que seus outros livros”, revela Widmyer.

“Toda nossa intenção com o filme é fazer com que as pessoas pensem. Fazer um filme que irá assustar os adolescentes porque é sobrenatural e tem personagens clássicos como Pascow e Zelda. Mas também algo que assustará os pais, devido ao que acontece no filme. Cemitério Maldito realmente sempre funcionou nestes dois níveis. É um filme bastante maduro e psicológico. Ele é sobre a emoção humana tanto quanto sobre os sustos e o terror – completa Kölsch.

Amy Seimetz como Rachel com o pequeno Gage em Cemitério Maldito
Amy Seimetz como Rachel com o pequeno Gage

Gosta de terror? Leia aqui sobre Creepshow

Para o produtor Lorenzo di Bonaventura, que já supervisionou mais de 80 adaptações de livros para cinema, incluindo outra obra de King (1408), o trabalho do autor vai além do terror. “A razão de estar fazendo um filme baseado no livro de Stephen King é porque ele é sobre algo que não é terror, que é a ligação emocional entre um adulto e seu filho. Aquela dúvida sobre ‘até onde você iria para ver seu filho novamente?’ ou ‘até onde você iria para proteger seu filho?’. Foi por isso que Stephen King escreveu ‘O Cemitério’ e não o entregou para seu editor durante três anos. Porque ele estava assombrado com o livro. E eu ainda acho o livro profundamente assustador nos dias de hoje. Ele é primordial”.

Então bora pro cinema!

Cemitério Maldito é um filme que fala sobre estar ou não preparado para a morte. Além disso, traz a questão do limite do que o ser humano é capaz de fazer para manter aqueles que ama por perto. O longa tem bons sustos e também serve como entretenimento. Para aqueles que já leram o livro e/ou assistiram ao filme antigo, talvez este seja mais do mesmo. Mas, só indo ao cinema para conferir! Em cartaz a partir de 09 de maio.

Cemitério Maldito

Nome Original: Pet Sematary
Direção: Kevin Kölsch e Dennis Widmyer
Elenco: Jason Clarke, Amy Seimetz, John Lithgow, Jeté Laurence, Obssa Ahmed
Gênero: Horror, Mistério, Thriller
Produtora: Alphaville Films, Di Bonaventura Pictures, Paramount Pictures, Room 101
Distribuidora: Paramount Pictures
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar