Colette, a cinebiografia da artista francesa

A vida da escritora Sidonie-Gabrielle Colette e seu relacionamento com o marido, um famoso escritor parisiense, são tema de Colette, com Keira Knightley. Sua luta pela propriedade criativa e pelos papéis de gênero a levam a revolucionar a literatura e a expressão sexual no início do século XX.

A jovem do interior se casou com o carismático e egocêntrico escritor Willy, 14 anos mais velho. Assim, rapidamente, ela foi introduzida ao mundo artístico de Paris, onde teve sua criatividade estimulada e capitalizada pelo marido. Willy a colocou para escrever livros em seu nome. — Ai, esses homens que não conseguem criar arte por si próprios… (tsc, tsc)… Me lembrou Grandes Olhos. Aquele em que a mulher pinta quadros e o marido que leva o crédito. Mas no caso de Colette, são livros que ela escreve. Livros com uma camada de autobiografia.

Willy e Colette antes de se casarem
Willy e Colette antes de se casarem

Os sinais de Colette

A garota já dava sinais de que era uma pessoa à frente de seu tempo. Ao se vestir para uma festa, se recusou a usar um vestido apertado, prezando por seu conforto e não se importando com a opinião dos outros. Em outra ocasião festiva, depois de descobrir as traições do marido com prostitutas, Colette começa a flertar com a esposa de um rapaz.

Ao escrever livros de sucesso em nome do marido, Colette começa a se incomodar pela falta de reconhecimento. Sua personagem e alter-ego “Claudine” conquista as jovens leitoras e toma as vitrines das livrarias de Paris. Seu casamento então, entra em declínio, alimentado pelo crescente interesse dela por outras mulheres. Há, inclusive, uma jovem senhora casada que começa a se relacionar com Colette (com o consentimento de Willy) e que em horários alternados, também abre as portas para o empreendedor literário. Porém, pelas costas de Colette. Mulher fogosa e insaciável essa.

"<yoastmark

Cenas quentes

O sucesso da série de livros “Claudine” transformou Willy num famoso escritor, e a ambos em um célebre casal moderno. Colette tinha seus casos com mulheres, e Willy também. Sem impedimento. Prepare-se para algumas cenas mais quentes entre Keira Knightley e outras atrizes. Mas, a falta de reconhecimento pelo seu trabalho árduo, no entanto, começou a incomodar Colette. Willy chegava a trancar a esposa em uma sala para que ela escrevesse por quatro horas seguidas, sem descanso. Num momento de desespero para pagar suas dívidas, Willy decidiu sabotar sua esposa, mas ela já havia desenvolvido sua autoconfiança e recursos próprios.

O casal moderno vivido por Dominic West e Keira Knightley
O casal moderno vivido por Dominic West e Keira Knightley

Para Willy, mulheres não vendem livros. Ainda bem que os tempos mudaram, não? Colette aos poucos vai conquistando sua liberdade. Até que ela conhece Missy, um homem trans (não existia este termo na época, mas já que hoje existe, posso denominá-lo assim). O papel de Missy ficou para a atriz irlandesa Denise Gough. Juntas, elas exploram outros lados artísticos possíveis para Colette, como o teatro e a dança.

Willy era um marido misógino e machista. Nada muito diferente do padrão da época. Porém, suas atitudes mostradas no filme nos deixam com dúvidas. Ele pode se mostrar ora compreensivo, ora sexista. Ele é um vilão, mas ao mesmo tempo, muito amigo de Colette. Afinal, essa é uma história real e na vida, as pessoas nunca são completamente boas ou completamente ruins.

Colette e Missy fazendo uma performance no Moulin Rouge
Colette e Missy fazendo uma performance no Moulin Rouge

Filme de época com temática atual

O filme foi dirigido por Wash Westmoreland (Para Sempre Alice), e foi exibido nos festivais de Sundance, Toronto e Londres. Conquistou elogios da crítica pela interpretação da protagonista. O longa aborda a vida da escritora, seu relacionamento com o marido e sua luta pela propriedade intelectual. Além disso, aborda os papéis de gênero no início do século XX. Sua estreia oficial está marcada para 13 de dezembro, mas antes disso, já está na programação do Festival Mix Brasil 2018.

Colette, que estreia no Brasil com distribuição da Diamond Films, é a história de uma mulher que teve sua voz negada e precisou lutar para reconquistá-la.

Colette

Nome Original: Colette
Direção: Wash Westmoreland
Elenco: Keira Knightley, Eleanor Tomlinson, Dominic West, Fiona Shaw, Denise Gough
Gênero: Biografia, Drama, História
Produtora: Number 9 Films, Killer Films, Bold Films, BFI Film Fund
Distribuidora: Diamond Films
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar