Convenção das Bruxas – o mais novo

A cinematografia de Robert Zemeckis é, junto com o clima em São Paulo e o Twitter de Eduardo Cunha, uma das coisas mais randômicas que existem. Ele foi diretor de clássicos pop, como “De Volta para o Futuro”, dramas premiados como “Náufrago” e bombas como “Beowulf”. Era grande minha curiosidade ao entrar no cinema para assistir seu novo filme infantil, muito bem traduzido como “Convenção das Bruxas” (The Witches), baseado numa das obras de Roald Dahl.

Ronald quem?

Não é Ronald. É Roald Dahl. Ele foi um escritor britânico que viveu entre 1942 e 1990. Você pode não conhecer o cara, mas certamente conhece uma ou outra obra dele: entre as adaptações para o cinema, tiveram os clássicos de 1996 “James e o Pêssego Gigante”, da Disney ou o eterno Sessão da Tarde “Matilda”.

Mais recente, em 2016, Spielberg adaptou a obra “The BFG”, que eu sempre traduzo na minha cabeça como “Big Fucking Giant”, mas na verdade significa “Big Friendly Giant”. E, se você ainda não conseguiu identificar o cara, você certamente já ouviu falar de uma outra obra dele que chegou aqui no Brasil com o título de “A Fantástica Fábrica de Chocolates”.

Convenção das Bruxas

Pensando nessas histórias, dá pra montar uma expectativa: um filme bem infantil, mas divertidão, com uma dose ou outra de magia, um punhado de absurdo e potencial para marcar a memória cinematográfica de uma geração.

Isso, aliado ao já citado renomado diretor, à presença de Anne Hathaway e à assinatura de roteiro de Guillermo del Toro foram o suficiente para me convencerem a meter uma máscara, tomar um banho de álcool gel e ir me arriscar em mais uma cabine de imprensa.

Ratos e bruxas

Um garoto de 7 anos vai pra um hotel (no Alabama, seguindo uma estrada de terra muito parecida com aquela do filme “Forrest Gump” e, considerando que é o mesmo diretor, pode ser até a mesma estrada) onde tá rolando uma convenção de bruxas. Enxerido que é, ele descobre que as bruxas têm um plano maligno de transformar todas as crianças do mundo em ratos, o que certamente resolveria o problema da pedofilia, mas aumentaria os casos de leptospirose e o desemprego na área pediátrica.

O plot não parece novo e, bem, ele já foi usado em um filme de 1990 com Anjelica Huston. Sim, “Convenção das Bruxas” é mais um remake.

Convenção das Bruxas

Family Horror

Como um exemplar do inusitado gênero “horror infantil”, o filme se encaixa no que se espera, com órfãos, magias e um toque meio assustador. Para rolar o visual das bruxas, inclusive, deve ter tido um pitaco do Guillermo del Toro, o que pode acabar amedrontando de verdade os miúdos mais novos.

Anne Hathaway, que interpreta a bruxa mais bruxona da convenção até veio recentemente a público pedir desculpas pelas alterações corporais de seu personagem, coisa que poderia ofender pessoas com deficiência – uma notícia que fez meus olhos revirarem tanto que eu estou esperando ela vir me pedir desculpas por isso.

Atrizes e Efeitos

Se já é um prazer ver Anne Hathaway em tela, quem rouba toda cena que aparece é Octavia Spencer, que interpreta a avó do protagonista. A grande atualização desta versão em relação ao mesmo filme de 1990 são os animais em CG, em oposição aos fantoches do estúdio de Jim Henson. E, talvez seja minha paixão platônica por tudo que o Jim Henson faz, mas os bonecos toscos do original trazem uma magia a mais ao filme.

Mas os ratos em computação ainda são fofinhos e convencem, apesar do filme ter me deixado com vontade de ver mais Octavia Spencer e menos efeitos especiais. As relações entre os personagens dão lugar ao visual e ação divertida que ainda encantam.

Mesmo não estando entre os grandes trabalhos de Robert Zemeckis (peço desculpas aos fãs de “De volta para o Futuro”, mas a melhor coisa que o Zemeckis já fez foi “Uma cilada para Roger Rabbit”), o filme teria tudo para se tornar uma grande Sessão da Tarde para esta geração, se esta geração ainda assistisse Sessão da Tarde ao invés de perder a vida em vídeos dos irmãos Neto no Youtube.

Durante e depois do filme, eu lembrei das tardes preguiçosas que eu passei assistindo “Mafalda” na casa de minha falecida vovózinha lá na Brasilândia. E acho que era isso que eu esperava. Atendeu minhas expectativas e isso é bom.

Convencão das Bruxas

Nome Original: The Witches
Direção: Robert Zemeckis
Elenco: Anne Hathaway, Octavia Spencer, Stanley Tucci
Gênero: Aventura, Comédia, Família
Produtora: Warner Bros.
Distribuidora: Warner Bros.
Ano de Lançamento: 2020
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar