Desbravando Calvin e Haroldo – A Exposição Bill Watterson

De Jenny Robb e Bill Watterson, Conrad Editora

Fãs pelo mundo inteiro sempre quiseram saber por que Bill Watterson encerrou Calvin e Haroldo, sua tira de maior sucesso (e uma das maiores do mundo), quando completou dez anos de publicação. Esse belíssimo livro não só responde essa pergunta (da maneira mais simples e ordinária possível, a maneira do autor), como também revela tantas outras coisas, algumas que sequer imaginamos: das suas origens, das primeiras tentativas em charges e tirinhas, de suas principais inspirações, dos materiais que usava nos trabalhos, na sua paixão pela pintura, no quão ele pouco se importa com super-heróis ou quadrinhos num geral, e do que pretende para o futuro.

O grande trunfo dessa publicação é, de fato, a longa entrevista que a curadora Jenny Robb realiza olho no olho com o cartunista. São horas de bate-papo presencial entre os dois, na sede do museu que expõe várias artes originais de Watterson, inclusive da carreira pré-Calvin.

Muito do que é colocado nessa conversa solta e sem demagogias, sem armadilhas e sem floreiros, parece não só enriquecer ainda mais essa brilhante tirinha, como ressignificar algumas fases ao longo de sua década. Aliás, muito do que ele fala por aqui (o papo rolou em 17 abril de 2014, quase dez anos depois do encerramento da obra e é bem contemporâneo), pode refletir mesmo para os dias de hoje, inclusive para o mercado de tirinhas e quadrinhos (incluindo o brasileiro). Ainda que desprovido de vaidades ou qualquer ambição, Watterson acaba se portando como um bom e “velho mestre” ao transmitir conselhos e levantar raciocínios, mesmo não intencionalmente e vale o aprendizado.

Calvin e Haroldo

Desbravando Calvin e Haroldo

Eu teria pago por esse livro mesmo que ele tivesse só essa entrevista, que é de fato o principal chamariz da edição. Mas, sendo ela oriunda da tal “Exposição Bill Watterson” (na Biblioteca e Museu de Cartuns e Quadrinhos Billy Ireland, da Universidade Ohio State), acaba trazendo alguns outros extras para fãs da tirinha e que, principalmente, podem servir como material de estudo para muitos cartunistas.

Na seção “Influências”, ele discorre sobre trabalhos de terceiros, alguns bem improváveis, como Charles Schulz com ”Peanuts” ou Walt Kelly com ”Pogo”, mas também Herriman/ Krazy Kat, Raymond/ Flash Gordon etc. O interessante de “Primeiros Trabalhos” é ver não só a versão franjinha do Calvin, como também tudo o que ele fez antes até chegar em sua obra máxima e dá para notar o reflexo disso tudo com o passar das produções. E “Ferramentas”, uma seção curta, mas eficiente, onde ele expõe os simples materiais que usava nas tirinhas.

Seguido a isso, Jenny exemplifica sobre personagens, filosofias, tipos de tiras, crítica social, artifícios narrativos, o simbolismo das estações do ano e outros elementos, que não chegam a ser novidades para quem conhece minimamente Calvin e Haroldo, mas acaba sendo um tratado válido de resgate e fundamento desse universo.

Tudo ricamente ilustrado tanto com artes famosas, quanto com outras inéditas, a edição da Conrad (que é a casa do moleque sagaz desde o começo do século) é simplérrima e sem frescuras, o que contribui para a facilidade de acesso por todos (que pode refletir numa melhora do preço), reproduzindo inclusive algumas tiras dominicais como um tipo de scan (que traduz os balões, mas não o título, uma escolha estranha, mas que não estraga a experiência final), tudo embalado no clássico formato horizontal, nesse que é o último livro da coleção, fechando com chave de outro uma tirinha que mora em nossos corações.

Essa sim é uma leitura que dá para se classificar como “obrigatória”.

Desbravando Calvin e Haroldo - A Exposição Bill Watterson

Nome Original: Desbravando Calvin e Haroldo
Autor: Bill Watterson
Editora: Conrad Editora
Gênero: Catálogo
Ano: 2020
Número de Páginas: 160

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar