Dois Papas, Fernando Meirelles e Netflix

A melhor qualificação de um líder é não querer ser um líder

O diretor Fernando Meirelles, indicado ao Oscar por Cidade de Deus, e o roteirista Anthony McCarten, três vezes indicado ao Oscar, trazem a história dos bastidores de uma das mais dramáticas transições de poder nos últimos 2000 anos em Dois Papas.

Frustrado com a direção da Igreja, o cardeal Bergoglio (Jonathan Pryce) pede permissão ao papa Bento XVI (Anthony Hopkins) para se aposentar em 2012. Ao invés disso, enfrentando escândalos e sua própria insegurança, o introspectivo papa chama seu maior crítico e futuro sucessor a Roma para revelar um segredo que abalaria os alicerces da Igreja Católica.

Dois Papas
Anthony Hopkins e Jonathan Pryce

O que se vê dentro dos muros do Vaticano, então, é a disputa entre a tradição e o progresso, a culpa e o perdão, e dois homens muito diferentes confrontando seus passados em busca de terreno comum para forjar o futuro de um bilhão de seguidores em todo o mundo.

Dois Papas

O filme é um grande acerto tanto de produção, quanto de direção. Os sensacionais atores principais se encaixaram tão bem em seus papéis que até mesmo esquecemos que a trama se trata de uma problematização da igreja católica.

Religiosos também curtem ABBA e Beatles

Assim, a escolha dos cortes, da trilha sonora, dos belos planos e até de algumas piadas bem agradáveis faz com que o filme seja leve e divertido. Mesmo quem não simpatiza com a igreja ou com religiões no geral pode sair feliz do cinema. Sim, do cinema, pois além de ser um filme Netflix, o longa está em cartaz em alguns cinemas selecionados. E olha, vale a sessão!

Igreja conservadora vs. diversão

Dois Papas conta uma parte da história da troca de papas que aconteceu em 2005 com Bento XVI e em 2013 com Bergoglio, posteriormente nomeado Papa Francisco. Os dois são extremos opostos, tanto em ideais de vida, regras da igreja, como em comportamento.

Dois PaPas
Quem imaginaria que eles poderiam até se divertir juntos?

Enquanto um é acusado de simpatizar com o nazismo, o outro ajuda a construir igrejas junto à sua comunidade na Argentina. Ratzinger (nomeado posteriormente como Bento XVI) é alemão e sempre foi associado ao seu passado hitlerista. Já Bergoglio é associado à sua visão de mundo mais humanizada e tolerante.

O encontro desses dois velhinhos que são vistos como santos pela população católica nos traz questionamentos sobre a vida em cenas lindas e diálogos astutos. Dessa forma, é possível inclusive deixar a religião de lado para curtir a bela atuação desses mestres sob as batutas de um dos nossos melhores diretores brasileiros. Em cartaz nos cinemas e na Netflix a partir de 20 de dezembro.

Dois Papas

Nome Original: The Two Popes
Direção: Fernando Meirelles
Elenco: Jonathan Pryce, Anthony Hopkins, Juan Minujín
Gênero: Biografia, Comédia, Drama
Produtora: Netflix
Distribuidora: Netflix
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar