Quadrinhos

Editora Veneta de portas abertas

Movida pelo mote de “bate-papo, cerveja, quadrinhos e descontos”, a editora comandada por Rogério de Campos (ex-diretor editorial da Conrad e idealizador da revista Animal, dentre outras), abriu as portas de sua sede, localizada na Rua Araújo, a poucas quadras do Metrô República, ontem, para o público e promoveu uma sempre bem-vinda interação com toda a equipe que produz suas histórias em quadrinhos.

Dividida em três momentos principais, a ‘Casa Veneta’, que teve início pela parte da manhã e se estendeu até o finzinho da tarde (mas com direito a um ‘prolongamento extra-oficial’ no bar ao lado), contou com a presença de autores, editores e colaboradores da casa. Nos intervalos, era possível adquirir qualquer obra do catálogo com descontos especiais e pegar autógrafos com os autores convidados, além, é claro, de experimentar cervejas artesanais e sanduíches feitos na hora.

Para o primeiro dos três bate-papos, os autores Wagner William (‘Bulldogma’), Tiago Judas (‘Hídrico’) e a dupla João Pinheiro e Sirlene Barbosa (‘Carolina’) prepararam uma apresentação sobre seus processos únicos de produção quadrinística.

veneta03

Durante a apresentação, foi interessante observar como o estilo ‘esquizofrênico’ de desenhar de Tiago Judas, que, segundo ele, é fruto de sua falta de técnica, foi abraçado ao longo dos anos e resultou em um livro de tirinhas tão consistente em seu conteúdo e singular em sua forma; ou como Wagner William aprendeu a respeitar seus personagens e a lhes dar o espaço necessário por eles requerido, mesmo que isso lhe custasse páginas e páginas de desenhos a mais; ou, também, como João Pinheiro, que até então vinha experimentando uma criação mais solta em seus trabalhos solos, como em ‘Burroughs’, contou com a organização acadêmica e as pesquisas de campo de Sirlene Barbosa para a criação do roteiro de ‘Carolina’.

Já no segundo momento, foi a vez do tradutor da edição brasileira de ‘Hip Hop Genealogia’, do quadrinista estadunidense Ed Piskor, Mateus Potumati, do jornalista Amauri Gonzo e do rapper Rodrigo Ogi, tomarem conta do auditório para falar brevemente sobre a correlação entre quadrinhos e a cultura Hip Hop. Uma união que, de acordo com eles, será ainda mais aprofundada nos vindouros lançamentos do selo Sumário de Rua, nos quais está incluso o próprio volume dois da ‘Genealogia’ de Piskor.

veneta02

Dando continuidade, o dono da casa Rogério de Campos apresentou seus novos moradores: o jovem Yuri Moraes, autor de ‘Garoto Mickey’, lançado em 2011, pela Dobradura Editorial, e o veterano André Toral, autor de, entre outros, ‘Os Brasileiros’ (Conrad, 2009). Conforme Rogério, os dois estreiam ainda este ano na Veneta, respectivamente, com o violento e ‘fofinho’ ‘Wasteland Scumfucks – Terra do Demônio’ e o histórico ‘Holandeses’.

Outro que também apresentou seu novo projeto foi Marcelo D’Salete, que atualmente trabalha em seu terceiro álbum gráfico pela editora de Rogério, chamado ‘Angola Janga’. Após ‘Encruzilhada’, o autor retoma a temática da resistência negra no período colonial abordada em ‘Cumbe’ (Veneta, 2016), e foca no quilombo de Palmares.

veneta04

Por fim, encerrando a primeira edição do evento, o artista gráfico Alexandre Teles lançou,  autografou e falou um pouco sobre ‘Caligari!’, o seu primeiro livro pela editora, que adapta para a linguagem das histórias em quadrinhos o roteiro original do filme marco do expressionismo alemão ‘O Gabinete do Dr. Caligari’, de 1920.

veneta05

Tags
Mostrar Mais

Tiago Melo

Jornalista 'caboquinho' que mal consegue sustentar seus vícios em cinema, HQs/mangás, livros, games e bonequinhos

Matérias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close