Esquadrão Suicida: Acerto de Contas

Tudo o que o live-action poderia ter sido

Não sou um grande conhecedor dos quadrinhos do Esquadrão Suicida, jamais li algum gibi do grupo, mas conheço suficientemente bem o conceito por trás de seu funcionamento e também alguns dos vilões (ou antivilões, como quiser) que participam da equipe, a ponto de compreender que não precisa de muito para contar uma história decente dessa turma.

Considero, tranquilamente, a versão em live-action de 2016, como um dos piores filmes da década (dentre qualquer gênero). Apesar do competente diretor por trás, ele comete erros crassos e básicos, que nem sequer um estudante de cinema seria capaz de realizar (isso que acontece quando se tem a mão de produtores no comando da edição e decisões).

Sam Liu, por outro lado, é um velho de guerra dirigindo as animações contemporâneas da DC e aqui acerta a mão em uma adaptação ultraviolenta (muito mais do que outras versões animadas, se aproximando tranquilamente de animes adultos) e de enredo enxuto, escrito pelo seu parceiro Alan Burnett, que conhece bem cada uma das figuras em tela.

Esquadrão Suicida: Acerto de Contas
Esquadrão Suicida: Acerto de Contas

Esquadrão Suicida: Acerto de Contas

Depois de uma missão inicial que termina com muita morte e uma traição, Amanda Waller remonta seu Esquadrão Suicida mantendo o Pistoleiro e agora trazendo outros integrantes, como Arlequina, Capitão Bumerangue, Cobra Venenosa, Nevasca e Tigre de Bronze para encontrar um homem chamado Maxum Steel, para que ele os dê um misterioso cartão místico.

A trama fica espertamente intricada, com vilões de interesses diversos, incluindo mais personagens da DC, como Professor Zoom, Vandal Savage, Doutor Destino, entre outros. E mesmo com divergências e questões morais bastante distintas, o grupo formado consegue trabalhar em equipe, trazendo um momento emocional e bastante empático, que dá de dez a zero no sacrifício débil de El Diablo. Claro que dentre todos, só dois do grupo sobrevivem ao final e nem preciso dar spoilers pela obviedade, não é?

Visceral, sagaz e divertido, Esquadrão Suicida: Acerto de Contas não só foi tudo o que seu antecessor não conseguiu, como pode servir de diretriz para outras produções animadas mais adultas da DC. Vamos torcer.

Esquadrão Suicida: Acerto de Contas - Trailer Legendado

Esquadrão Suicida: Acerto de Contas

Nome Original: Suicide Squad: Hell to Pay
Direção: Sam Liu
Elenco: Vozes de Christian Slater, Vanessa Williams, Billy Brown
Gênero: Animação, Ação, Fantasia
Produtora: DC Entertainment
Distribuidora: HBO Max
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar