Gostosas, Lindas e Sexies, comédia nacional

Moderno e atrasado ao mesmo tempo

As amigas gostosas, lindas e sexies Beatriz (Carolinie Figueiredo), Tânia (Lyv Ziese), Ivone (Cacau Protásio) e Marilu (Mariana Xavier) são inseparáveis. Todas são mulheres fora dos padrões de beleza impostos pela sociedade, mas isso não as impede de saírem, se divertirem e se amarem como são.

O grande chamariz do filme é o fato das quatro protagonistas serem mulheres consideradas acima do peso. A ideia por trás do filme é justamente essa: dar voz às pessoas que, no cinema, geralmente são relegadas ao segundo plano, isso quando não são motivos de piadas e de cenas depreciativas.

Gostosas, Lindas e Sexies

As histórias das protagonistas não são especificamente ligadas aos seus corpos, embora isso apareça em alguns momentos do filme. Beatriz, por exemplo, escreve para uma revista de saúde e boa forma e é pressionada o tempo todo para perder peso por sua chefe (Eliane Giardini) e por suas colegas de trabalho. Tânia vive querendo chamar a atenção do marido, mas é sempre ignorada. Ivone é dona de uma rede de salões de beleza e mãe de dois filhos. Jjá Marilu tem uma série de bicos e mantém um caso com um garoto bem mais jovem.

Mariana Xavier em cena do filme Gostosas, Lindas e Sexies
Mariana Xavier em cena do filme

O que é interessante é que as quatro mulheres parecem muito bem resolvidas com seus corpos e suas sexualidades, o que é certamente um ponto alto e inovador quando se trata da maneira com que as mulheres fora dos padrões geralmente são retratadas. Tânia pode não se sentir segura em relação ao seu casamento e Ivone pode ter dificuldade de se apaixonar, mas nenhuma delas fala em nenhum momento que está infeliz com  seu corpo ou que deseja emagrecer.

Moderno, mas nem tanto

Se o filme acerta por um lado, peca por vários outros. Gostosas, Lindas e Sexies se vende como um filme pautado no feminismo e que quer quebrar padrões, mas repete uma série de erros que o feminismo condena e que aparecem aos montes em outras comédias baseadas em estereótipos.

Para começo de conversa, todas as mulheres magras do filme são malvadas, cruéis e não perdem uma chance de menosprezar as protagonistas. Não é porque a gente quer dar o protagonismo para as mulheres gordas que devemos transformar as mulheres magras em vilãs, primeiro porque isso é bater mais uma vez na tecla da rivalidade feminina, segundo porque não é realista.

O filme Gostosas, Lindas e Sexies parte de uma boa ideia
O filme parte de uma boa ideia

Ai, ai, ai…

As mulheres magras do filme, por exemplo, parecem não ter qualquer problema em chamar as quatro protagonistas de “gordas” “enormes” “baleias” em público e a todo momento. Claro que a gordofobia é um assunto sério e real, que precisa ser discutido, mas também soa absurdo pensar que pessoas adultas passariam o dia praticando bullying uma com as outras no meio do ambiente de trabalho.

Em outro momento, Beatriz toma uma bebida batizada – claro, pelas mulheres magras – e faz uma dança sensual em uma festa. Primeiro é preciso dizer que a dança, embora sensual, não é pornográfica e nem explícita e que ninguém na festa parece chocado com a apresentação de Beatriz, mas no dia seguinte ela diz que se comportou como “uma vadia alucinada”. Por que o filme que se diz feminista, acha que é plausível chamar uma personagem de vadia ou julgar uma dança – seja ela de qual tipo for – que ela fez?

Boas intenções

É notável que o filme parte de uma boa intenção e que o tema é importante, mas justamente por isso que o roteiro deveria ser mais cuidadoso. Não adianta empoderar as mulheres fora dos padrões, dando a elas muita autoestima, vidas sexuais movimentadas e carreiras importantes, ao mesmo tempo em que se escreve diálogos onde elas mesmas se chamam de vadias ou determinar que mulheres gordas e mulheres magras são inimigas e que só é possível fazer amizade entre pessoas com o mesmo tipo físico que o seu.

Gostosas, Lindas e Sexies repete preconceitos e esteriótipos
Gostosas, Lindas e Sexies repete preconceitos e esteriótipos

Para além dessas questões, o filme, que é uma comédia, tem poucas cenas de fato engraçadas e as tramas parecem bobas e quase sem sentido. Enquanto Beatriz e Tânia têm histórias um pouco mais claras e desenvolvidas, as tramas de Marilu e Ivone parecem perdidas e pensadas de última hora.

Marilu tem uma série de empregos, se relaciona com um garoto mais jovem, e tem um quarto secreto onde ninguém pode entrar. O telespectador fica o filme inteiro se perguntando o que será que ela tanto esconde e quando descobre, se sente até meio estúpido. Já Ivone, que tem uma carreira bem-sucedida, se envolve em uma prática sexual, que ela considera vergonhosa, mas que na realidade, não é nada demais. Certamente o filme é bem-intencionado, mas infelizmente, só isso não é o suficiente.

O filme acompanha um grupo de amigas fora dos padrões estéticos impostos
O filme acompanha um grupo de amigas fora dos padrões estéticos impostos
Aspectos técnico de Gostosas, Lindas e Sexies

A produção é bem-feita e relativamente cuidadosa. O filme tem bons cenários, bons figurinos e retrata suas protagonistas como glamourosas, bonitas e sexies, o que é o seu intento. As quatro protagonistas, que são boas atrizes, também se saem bem, parecem focadas em suas personagens. No entanto, nenhuma delas é engraçada ou especialmente divertida, o que é um problema em um filme de comédia.

A produção é cuidadosa
A produção é cuidadosa

O grande problema aqui é o roteiro, que além dos problemas em relação às mensagens que ele passa, parece não ter muito sentido. O filme foi feito para exaltar as quatro protagonistas, o que por si só, não é um problema. O problema mesmo é ele não ter uma história clara e ficar vagando entre assuntos, geralmente ligado a relacionamentos.

A ideia por trás de Gostosas, Lindas e Sexies não é só ótima, como também é necessária, mas infelizmente, o filme não entrega quase nada do que promete e acaba sendo muito mais conservador do que filmes que não se dizem modernos ou feministas.

Gostosas, Lindas e Sexies

Nome Original: Gostosas, Lindas e Sexies
Direção: Ernani Nunes
Elenco: Carolinie Figueiredo, Mariana Xavier, Cacau Protásio, Marcos Pasquim, Eliane Giardini
Gênero: Comédia
Produtora: Paramount Pictures
Distribuidora: Paris Filmes
Ano de Lançamento: 2017
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar