A Saga Hannibal, de Thomas Harris

A Saga Hannibal, de Thomas Harris é composta de quatro livros: Dragão Vermelho (1981), O Silêncio dos Inocentes (1988), Hannibal (1999) e Hannibal: A origem do Mal (2006). O que os livros tem em comum é o personagem Hannibal Lecter.

Os livros

Em Dragão Vermelho acompanhamos a investigação de vários crimes cometidos por um assassino que entra na casa de suas vítimas na época de lua cheia, quebra os espelhos e insere os cacos de vidros nos olhos dos moradores. Jack Crawford, o chefe da investigação, entra em contato com Will Graham, um agente do FBI que entrou em colapso depois de prender Hannibal Lecter, um psiquiatra acusado de matar e canibalizar seus pacientes.

Para conseguir entender a mente do Fada do Dente (o assassino da lua cheia), Will tem que, mais uma vez, entrar em contato com Hannibal.

Anthony Hopkins em seu papel mais icônico
Anthony Hopkins em seu papel mais icônico

O segundo livro

O Silêncio dos Inocentes, por sua vez, tem uma história um pouco parecida. O FBI investiga a morte de cinco jovens que foram encontradas escalpeladas e com um casulo de mariposa dentro da boca. Primeiramente, a investigação corre em um ritmo um pouco vagaroso. Até que uma sexta jovem desaparece: Ruth Martin, filha de uma senadora.

Então, Clarice Starling, uma jovem e brilhante agente do FBI, é escalada para ir conversar com Hannibal. O serial killer, então, insiste que Clarice conte a sua vida em troca de informações sobre o assassino, apelidado de Buffalo Bill.

O terceiro livro

Hannibal se passa mais ou menos 10 anos depois de O Silêncio dos Inocentes. Dessa vez, uma das poucas vítimas sobreviventes de Hannibal resolve se vingar do serial killer, por tudo que ele lhe causou.

Hopkins em cena de O Silêncio dos Inocentes
Hopkins em cena de O Silêncio dos Inocentes

O último livro da saga

Hannibal: A Origem do Mal, foi escrito depois, mas se passa antes de Dragão Vermelho. Nele conhecemos a infância e a juventude de Hannibal, no Leste Europeu. Quando em plena segunda guerra mundial, ele vê seus pais serem assassinados e sua irmã mais nova ser canibalizada por um grupo de soldados.

Thomas Harris, o autor dos livros, foi repórter de generalidades no começo de carreira. Dessa maneira, ele conheceu o mundo do crime. Para escrever a saga de Hannibal, ele pesquisou extensamente o trabalho investigativo da polícia, tornando assim seus livros bem realistas.

Hannibal Lecter

O mote de toda a série é sem dúvida nenhuma, o personagem Hannibal Lecter. Provavelmente porque ele é diferente de qualquer serial killer que já vimos nos livros ou nos filmes e, justamente por isso, ele não parece um assassino.

Brian Cox na primeira aparição de Lecter no cinema
Brian Cox na primeira aparição de Lecter no cinema

Hannibal Lecter é um psiquiatra que tem em torno de 50 anos, culto, inteligente e apreciador das artes. Tudo na sua personalidade o distancia da ideia que fazemos de um psicopata. Primeiramente, quem vai pensar na possibilidade de um psiquiatra, que supostamente entende a mente humana e pode reconhecer maníacos, ser na realidade, o criminoso? Mas é justamente isso que ajuda Hannibal na hora de cometer seus crimes.

O psiquiatra psicopata

Hannibal consegue convencer suas vítimas de muitas coisas, inclusive de participar dos seus crimes. É o que acontece, por exemplo, com Mason Verger, o sobrevivente que aparece no livro Hannibal, que foi convencido pelo psiquiatra a cortar pedaços da sua carne e alimentar Lecter, em um momento quase sexual.

Também é porque ele compreende a mente humana e mais especificamente, a mente de um psicopata (afinal, além de psiquiatra, ele também é psicopata) que ele é capaz de ajudar tanto Will, em Dragão Vermelho, quanto Clarice, em O Silêncio dos Inocentes. Já que ele sabe explicar o que cada atitude, crime e pista deixadas pelos assassinos querem dizer.

Hopkins na versão mais famosa de Lecter
Hopkins na versão mais famosa de Lecter

Mais sobre o canibal

Outro aspecto que torna Hannibal interessante é o fato dele ser extremamente irônico. Os livros são repletos de falas engraçadinhas que tornam Hannibal, aos olhos do público, humano. Essa seria uma boa explicação de porque o personagem é tão popular. Afinal, ele é um monstro que mata e come suas vítimas.

Hannibal está preso, tanto em Dragão Vermelho, quanto em O Silêncio dos Inocentes. Mas isso não o impede de ser a estrela dos dois livros.

Em Dragão Vermelho existe uma relação entre Will e Hannibal, uma vez que Will foi o agente responsável por capturá-lo. Mas mesmo que ele tenha conseguido o seu intento, Will não saiu imune disso. Tanto que foi afastado do trabalho depois da prisão de Hannibal. É dessa forma que Hannibal mexe com a cabeça de Will. Os dois são obrigados a se relacionarem quando o Fada do Dente aparece e Will precisa de ajuda para encontrá-lo.

Mads Mikkelsen como Hannibal na série
Mads Mikkelsen como Hannibal na série

Hannibal e Clarice

Já em O Silêncio dos Inocentes, a dinâmica é um pouco diferente. Hannibal e Clarice não se conhecem pessoalmente, a agente apenas conhece a fama de Hannibal. Mas a tensão que surge entre os dois é palpável e beira a tensão sexual.

Hannibal parece verdadeiramente encantado por Clarice, e por isso, em troca das informações que ele tem, ele pede que ela compartilhe com ele, histórias da sua vida. É dessa maneira que Hannibal entra na cabeça de Clarice. Ele não se limita a analisar Buffalo Bill, mas também a analisar Clarice e entender porque ela está aonde ela está.

Gaspard Ulliel como Hannibal em Hannibal: A Origem do Mal
Gaspard Ulliel como Hannibal em Hannibal: A Origem do Mal

Em Hannibal, também acompanhamos Clarice, mas somos mais uma vez apresentados a outra pessoa que caiu na lábia de Lecter, Verger. E em Hannibal: A Origem do Mal, o autor tenta nos explicar como Hannibal ficou do jeito que é. Ele atribui as patologias de Lecter à guerra, à fome que adveio dela e claro, ele ter presenciado sua irmã mais nova sendo canibalizada por soldados. Mas até que ponto, todas essas situações horríveis seriam responsáveis pelo que ele se tornou e quanto dessa essência já estava dentro dele, mesmo antes de isso acontecer? Talvez se sua irmã não tivesse morrido nas mãos de soldados, ele não se tornasse um canibal. Mas será que se tornaria um assassino, mesmo assim?

Clarice Starling

Outra personagem importante na saga é Clarice Starling. A maioria dos personagens entra e sai da história sem reaparecer em outros livros. Não é o que acontece com Clarice, que é a protagonista tanto em O Silêncio dos Inocentes, quanto em Hannibal.

Clarice é uma personagem extremamente bem escrita. Ela é recém-formada na academia do FBI, filha de um delegado de cidade pequena, que faleceu quando ela era criança. Clarice passou um tempo na fazenda dos seus tios, onde ela ouvia os carneiros balindo a noite toda. É daí que vem o título do livro, no original, Silence of The Lambs, que significa, em tradução literal, O Silêncio dos Cordeiros. Cordeiro é um símbolo de inocência. Ela é inteligente, determinada, corajosa, correta e é claro que ela é muito mais competente que seus colegas.

Jodie Foster como Clarice Starling
Jodie Foster como Clarice Starling

É interessante ler sobre uma personagem feminina que é tão forte e inteligente, em uma carreira tradicionalmente masculina, especialmente em um livro escrito no final dos anos 80. O livro também fala sobre machismo, uma vez que os colegas homens de Clarice, que estão em maioria, não a levam a sério e na primeira vez que ela visita a cadeia aonde Hannibal está, ela sai de lá humilhada, em função de insinuações sexuais que os outros prisioneiros fizeram.

Clarice e Hannibal

O motivo para Clarice permanecer tanto tempo na história de Hannibal é porque o psicopata não só se sente atraído por ela, como também se sente intrigado. Na mente de Hannibal, Clarice é a única pessoa que é tão inteligente quanto ele, portanto, a única que está no mesmo nível que ele.

Ela também é uma das poucas pessoas que consegue despertar algum tipo de sentimento em Lecter, que é frio, e só sentiu algo por poucas pessoas ao longo da vida.

Julianne Moore como Clarice Starling
Julianne Moore como Clarice Starling

O Silêncio dos Inocentes

O segundo livro da saga é certamente o melhor livro dos quatro e ele pode tranquilamente ser lido separadamente. O livro explica o que aconteceu em Dragão Vermelho no começo, por isso, o leitor não fica confuso.

Além de ter Clarice como protagonista e Lecter na sua melhor forma, O Silêncio dos Inocentes tem um assassino que foi inspirado em Ed Gein, um serial killer real, que também inspirou Psicose (1960) e O Massacre da Serra Elétrica (1987). Ed Gein matava, esfolava e fazia troféus com suas vítimas. Ele também roubava túmulos.

Buffalo Bill, o assassino de O Silêncio dos Inocentes também esfola suas vítimas, que são todas garotas gordinhas. Outra coisa interessante, é que a solução dos crimes é impressionante e que Buffalo Bill é um assassino tão fora dos clichês quanto Lecter.

Foster e Hopkins como Clarice e Lecter
Foster e Hopkins como Clarice e Lecter

Hannibal

É verdade que embora os dois primeiros livros sejam incríveis, a história vai decaindo um pouco ao longo dos livros. Hannibal, mesmo com Clarice, não é tão interessante quanto os livros anteriores. Embora ele conte com Verger, que é um personagem sinistro por si só, já que ele é um homem preso a uma cadeira de rodas e que não tem pele em diversas partes do corpo, ele aposta muito mais na violência explícita, do que nas investigações.

Hannibal não é um livro ruim, só não é tão bom quanto Dragão Vermelho e O Silêncio dos Inocentes. Mas com certeza, vale a pena para quem gosta do personagem e para quem está interessado em ler a série toda.

Hannibal: A Origem do Mal

Já o último livro da série, Hannibal: A Origem do Mal é dispensável. A ideia de Harris ao escrever o livro era tentar explicar as patologias de Lecter, mas o livro soa mais como uma forma de lucrar mais em cima de um personagem que faz sucesso. Além do mais, é muito complicado tentar explicar os motivos por trás da maldade de uma pessoa. Talvez a única explicação plausível seja que ele apenas nasceu mal.

Independentemente desses erros finais, Hannibal Lecter é um personagem extremamente bem construído. Os livros de Harris não só retratam com fidelidade uma investigação, como também falam muito sobre psicologia criminosa e patologias. Os livros são praticamente aulas sobre o comportamento de serial killers.

Gary Oldman como Mason Verger
Gary Oldman como Mason Verger
Adaptações

Naturalmente que uma saga que fez tanto sucesso, já ganhou diversas adaptações para diversas mídias. A primeira vez que um dos livros de Hannibal Lecter chegou ao cinema foi em 1986, com o filme Caçador de Assassinos (quando ele chegou em VHS no Brasil, foi chamado de Dragão Vermelho). Esse filme é uma adaptação do livro Dragão Vermelho e é a primeira vez que Lecter aparece no cinema. Ele é interpretado por Brian Cox, com o nome de Lekter.

O filme de 1986 não fez muito sucesso e não é muito conhecido. Mesmo porque é difícil bater o sucesso dos filmes inspirados nas obras que vieram depois. Em 1991, O Silêncio dos Inocentes chegou ao cinema, em uma grande produção. Dessa vez quem interpretava Lecter era Anthony Hopkins e o papel de Clarice ficou para Jodie Foster.

O filme é extremamente fiel ao livro e eu diria que é tão bom quanto a obra original. Tanto Foster, quanto Hopkins estão ótimos no filme. A atuação de Hopkins acabou se tornando a referência universal para Lecter.

O Silêncio dos Inocentes foi indicado a sete Oscars. Ganhou o de melhor filme, melhor diretor (Jonathan Demme), melhor ator (Hopkins), melhor atriz (Foster) e melhor roteiro adaptado.

Edward Norton como Will Graham em Dragão Vermelho
Edward Norton como Will Graham em Dragão Vermelho

Mais adaptações

Em 2001, Hannibal ganhou sua adaptação para o cinema. Hopkins voltou para o papel de Lecter, mas Foster não quis reprisar seu papel de Clarice. Foi então substituída por Julianne Moore. O elenco ainda conta com Gary Oldman (como Mason Verger) e Ray Liotta. O longa foi dirigido por Ridley Scott e é relativamente fiel ao livro. Mas altera o final, que talvez seja um pouco pesado para o cinema.

Em 2002, Dragão Vermelho foi adaptado para o cinema. Embora esse seja o primeiro livro da série, é o terceiro filme da saga. Mas se passa antes de O Silêncio dos Inocentes. Anthony Hopkins retornou no papel de Lecter e Edward Norton interpreta Will Graham. Também estão no elenco Ralph Fiennes, Emily Watson, Mary-Louise Parker, Harvey Keitel e Philip Seymour Hoffman.

Então, em 2007, Hannibal: A Origem do Mal chegou aos cinemas. Dessa vez sem Anthony Hopkins e com o francês, Gaspard Ulliel no papel do psicopata quando jovem.

O elenco da série
O elenco da série

E aí…

Quando parecia que Hannibal Lecter não teria mais chances no audiovisual, ele voltou em uma série que teve três temporadas (2013 a 2015). A série retrata a relação de Will Graham (Hugh Dancy) e Hannibal (Mads Mikkelsen) antes do segundo ser preso. Portanto, se passa antes de Dragão Vermelho. A série também apresenta alguns outros personagens do livro como Jack Crawford (Laurence Fishburne) e Mason Verger (Michael Pitt, na segunda temporada e Joe Anderson, na terceira).

Depois de mais de 30 anos da primeira publicação de Dragão Vermelho, Hannibal Lecter continua tão presente no imaginário popular quanto na primeira vez em que apareceu nas páginas do livro de Harris. Não é difícil de imaginar o porquê quando se entra em contato com a trama incrível que o escritor criou. Bem escrito, com ótimos personagens e com cenas de tirar o folego, a saga de Hannibal Lecter ainda tem muito o que mostrar.

Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close