Host – Cuidado Com Quem Chama

Sem firulas, terror acerta em cheio pela simplicidade, praticidade e boa execução

Quem diria que um filme independente, com elenco desconhecido, rodado durante a pandemia com parcos recursos e trazendo a quarentena como parte de seu enredo, poderia funcionar tão bem? Na história de Host, um grupo de cinco amigas contrata uma médium para fazer uma sessão espírita através do Zoom, e assim mudar um pouco a rotina noturna do isolamento social, com cada uma em sua respectiva casa, o que também amplia as possibilidades.

Misturando os melhores atributos do pioneiro “A Bruxa de Blair” (1999) com o contundente “Atividade Paranormal” (2007) e ainda emprestando o formato de “Amizade Desfeita” (2014), o diretor Rob Savage (que co-roteiriza ao lado de Gemma Hurley e Jed Shepherd) consegue reinventar o já desgastado subgênero do terror, o found footage, através de simplicidade e boas sacadas.

Ele aloca as câmeras das webcams dos notebooks nos lugares certos, assim, cada ambiente tem sua particularidade… nada bizarra e sim comum e mundana, e exatamente por isso perturba tanto, pois poderia ser o quarto ou a sala de qualquer um de nós.

Host

Host

Também deixa seus personagens interagindo como pessoas e não como… personagens, então todos os atores utilizam de seus próprios nomes e, assim, existe muita brincadeira sem graça no início para trazer empatia ou antipatia por alguém e mesmo para criar um senso de “normalidade” entre os pares.

Além disso, cria uma narrativa enxuta, mas coesa e que progressivamente vai escalando a tensão. Os pequenos frames no canto de uma cena e até mesmo os inevitáveis jump scares funcionam aqui justamente por aparecerem em poucas vezes e sempre num momento específico.

A direção também é sagaz ao deslocar a atenção do público para um elemento inútil, enquanto tem outro ocorrendo em outra parte da tela. Por isso é recomendável que o espectador fique atento a qualquer mero detalhe, sem sair pra pegar um copo d´água ou sequer piscar.

Com apenas 55 minutos de duração, Host não é mais longo do que um episódio de uma série e funciona do começo ao fim como um baita filme de terror, sim, daqueles de sustos fáceis, caras feias saltando para a tela e pessoas fazendo imbecilidades. Mas amarra tudo tão bem em suas composições simplistas, que quase vira uma cartilha para diretores renomados do gênero aprenderem e entenderem como realizar algo brutalmente eficaz, sem depender de muito vaivém ou firulas. Recomendo fortemente.

HOST Trailer Legendado | Filme Terror 2020

Host - Cuidado Com Quem Chama

Nome Original: Host
Direção: Rob Savage
Elenco: Haley Bishop, Jemma Moore, Emma Louise Webb
Gênero: Horror, Mistério
Produtora: Shadowhouse Films
Distribuidora: Netflix
Ano de Lançamento: 2020
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar