Jovens Titãs: Ravena, de Kami Garcia e Gabriel Picolo

Sem novidades, HQ funciona justamente por replicar fórmulas e mesclar com charme e personalidade para seu público jovem

O primeiro grande acerto dessa publicação começa pela iniciativa da DC em investir mais em quadrinhos para o público jovem e assim formar novos leitores, de maneira desprendida das complexas e falhas cronologias. O segundo atributo vai pela estratégia de colocar uma escritora do gênero jovem-adulto e consagrada (Kami Garcia, da série literária ”Dezesseis Luas”) para roteirizar Ravena, essa HQ fechadinha, ao invés de colocar mais um bom e velho roteirista de super-herói, repleto de cacoetes, que não tornariam esse material algo diferente na proposta. A terceira virtude veio na escolha do brasileiro Gabriel Picolo para desenhar o gibi; o rapaz fez seu próprio caminho e carreira ilustrando principalmente os personagens de Jovens Titãs em contexto comum aos adolescentes através de suas redes sociais.

E replicando o formato original, a Panini ainda acerta ao lançar o quadrinho na medida padrão de livro, que é mais próximo ao clássico “formatinho” e, portanto, naturalmente mais acessível para quem está chegando agora (além da sempre bem-vinda capa cartonada e papel couchê). Nada de bobagens deslumbrantes envolvendo capas dura, lombadas de luxo e hot stamp no logo. A molecada é fisgada pela arte vistosa, pela personagem conhecida das animações, tudo isso embalado certeiramente em uma edição barata (como deve ser), bem acabada e gostosa de ler.

Ravena

Jovens Titãs: Ravena

Claro que Garcia não escapa dos clichês de comédias românticas adolescentes norte-americanas (e posso colocar ”Glee” e ”Riverdale” como exemplos mais contemporâneos), nem mesmo tenta reinventar a roda com Ravena. Sim, a autora faz um reconto das origens da personagem trevosa, incluindo novos personagens tanto entre amigos, quanto no núcleo familiar, então algumas nuances referentes em como a mocinha descobre seus poderes e sua herança maligna.

Portanto, quem conhece a figura, não verá nada de novo no front – e nem deve chegar a esse título buscando isso. Claro, a HQ é voltada para novos leitores (especialmente garotas pré-adolescentes e adolescentes), gente que mal conhece a Ravena ou pouco o suficiente, oriunda dos desenhos animados; mas mesmo o velho nerd pode alargar um sorriso com algumas liberdades criativas que a autora tomou, para trazer mais de sua personalidade à narrativa, assim também como para criar um microuniverso particular, que seguirá na “continuação indireta” com o Mutano. E outra, o criador da personagem, Marv Wolfman, aprovou essa versão, então relaxa e curta.

Mais considerações

A arte de Picolo segue competente e ele brilha especialmente quando lhe oferecem painéis poéticos e contemplativos, já que o artista se prova muito mais um ilustrador do que quadrinista, mas não faz feio na linguagem entre quadros e fica ok na avaliação geral, sem qualquer grande impacto que o destaque.

Provavelmente o ritmo longo das mais de 190 páginas dessa HQ o tenham desafiado e dá para se cogitar melhorias ao longo dos títulos, como o próximo, que não deve demorar a chegar. Mas um ponto baixo da publicação são as escolhas de cores, com o colorista David Calderon sendo instruído a manter os holofotes somente sobre a Ravena, deixando todos os demais personagens e cenários em um púrpura sem vida. E dá para se compreender a ideia mais “obscura” proposta aqui, dado o perfil da personagem, mas ela jamais funciona e parece completamente destoante para um gibi que mira nos jovens (e que portanto, demanda cores; como este não é um mangá, então o argumento a favor da monocromia não me desce). Por outro lado, colorista e demais envolvidos parecem ter percebido o erro e já na prévia de Mutano temos belíssimas cores para todos os lados.

Com uma história redondinha, familiar e divertida, Jovens Titãs: Ravena deixa interessantes ganchos para o futuro, sendo uma das principais publicações para um novo leitor entrar de cabeça no mundo dos gibis. Então, dê de presente para seu filho ou para aquela sua sobrinha, que tanto quer ter uma heroína para chamar de sua!

Ravena

Jovens Titãs: Ravena

Nome Original: Jovens Titãs: Ravena
Autor: Kami Garcia
Editora: Editora Panini
Gênero: Quadrinhos
Ano: 2020
Número de Páginas: 192

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar