O Auto da Boa Mentira – Comédia nacional

Quatro histórias baseadas em fatos surreais

O Auto da Boa Mentira é uma coprodução da Cine Group com a Globo Filmes que tem direção de José Eduardo Belmonte (Carcereiros: O Filme). Baseado nos contos de Ariano Suassuna, o longa traz assim quatro histórias criadas a partir de frases clássicas do poeta paraibano, radicado no Recife. Com roteiro de João Falcão, Tatiana Maciel e Célio Porto, o lançamento do filme nos cinemas aconteceu ontem, dia 29 de abril de 2021.

Dizem que mentira tem perna curta. Se isso é verdade, a bichinha corre rápido, viu! Nessas histórias inspiradas em contos bem humorados do poeta paraibano, conhecemos Helder (Leandro Hassum), Fabiano (Renato Góes), Pierce (Chris Mason) e Lorena (Cacá Ottoni), vivendo diferentes situações onde, ironicamente, a mentira é sempre a protagonista.

Se você já viu Ariano Suassuna no programa do Jô Soares, ou então dando palestras, certamente já pensou “Se juntassem todas as histórias que esse homem contava por aí, dava até um filme…”. E foi isso, literalmente, que a equipe de O Auto da Boa Mentira fez. Ao final de cada história, podemos assistir ao mestre contando os trechos que originaram as tramas que vemos no longa.

Ariano Suassuna

Fama

A primeira história mostra o subgerente de RH Helder, um verdadeiro “zé ninguém” que, em uma convenção em um hotel, é confundido com um comediante de sucesso e passa a gostar do mal-entendido. Assim, se aproveitando da situação e pensando seriamente em aderir à vida de outra pessoa, ele conhece Caetana (Nanda Costa), uma mulher que pode fazê-lo mudar de opinião.

Leandro Hassum está no piloto automático, praticamente fazendo papel dele mesmo. O roteiro inclusive brinca com a opinião popular que diz que “ele era mais engraçado quando era gordo”. Infelizmente, devo concordar que faz alguns anos já que ele não me faz rir (tudo bem que é difícil me fazer rir mesmo), mas será que eu já ri com Leandro Hassum alguma vez na vida? Acho que só aqui.

O fato de existir muitas imagens de arquivo do comediante em tempos de stand up comedy, quando ele pesava alguns quilos a mais, ajudou e muito na elaboração da trama desse conto. A história é interessante, mas não arranca risadas. O segmento conta também com o ator Rocco Pitanga.

O Auto da Boa Mentira
Leandro Hassum e Nanda Costa em cena do filme

Vidente

Em seguida, conhecemos Fabiano, um jovem que não acredita em nada, mas fica intrigado quando ouve um mistério circense envolvendo sua mãe (Cássia Kis) e seu pai, morto há anos. Ele precisa da ajuda do palhaço Romeu (Jackson Antunes) e de ter cuidado para não ser feito de palhaço.

A história começa com um mistério, onde Fabiano, quando criança, teria uma pomba dentro do ouvido. Entretanto, quando adulto, a trama não retoma esse aspecto, deixando esquecido que o rapaz poderia ter algo em sua mente que influenciaria suas escolhas de vida.

Além disso, ficamos sem saber a real motivação daquele que lhe traz informações duvidosas sobre o paradeiro do verdadeiro pai do rapaz, que sua mãe escondeu durante muitos anos. O que aquele homem ganharia com isso? Qual é a sua real ligação com Fabiano? A história termina com mais mistério ainda.

Renato Góes e Cássia Kis

Furão

O terceiro conto se passa nas areias do Rio de Janeiro e bares do Vidigal, onde Pierce (de Pretty Little Liars) é um gringo metido a carioca. Ele vive no Brasil levando turistas para conhecer as favelas do morro, lucrando ao introduzir essas pessoas em uma cultura completamente diferente.

Ao faltar na festa de aniversário de Zeca (Sérjão Loroza), Pierce inventa que foi assaltado e por isso não compareceu, mas ele não imagina que a mentira poderia chegar ao chefe do tráfico (Jesuíta Barbosa). Entretanto, mentiras e fofocas se espalham rapidamente, fazendo com que ele tenha que ficar cara a cara com a Chefia, podendo ser desmascarado.

O Auto da Boa Mentira
Jesuita Barbosa, Serjão Loroza e Chris Mason no segmento “Furão” de O Auto da Boa Mentira

Disney

A última história brinca com uma frase de Suassuna sobre o preconceito sofrido por quem nunca foi à Disney. Nela, a estagiária Lorena se sente invisível na empresa de publicidade de Norberto (Luis Miranda), e sonha com o “pseudointelectual” Felipe (Johnny Massaro).

A moça faz de tudo na empresa, mas ninguém presta atenção nela, nem mesmo sabem seu nome. Um exagero? Será que as agências de publicidade são assim mesmo? Se forem, tenho medo delas. Todos cheios de si, contando vantagens sobre seus colegas, quem tem mais prêmios, quem recebe o melhor salário, quem já leu mais livros…

Cacá Ottoni tem que mentir para aparecer entre os colegas de trabalho

As histórias não tem cunho regional, e poderiam se passar em qualquer parte do Brasil ou até de outros países. Mas não espere um sucesso como O Auto da Compadecida. Este auto da mentira é bem inferior ao clássico nacional do ano 2000.

O filme é leve e despretensioso, mas parece que foi feito com pressa, deixando de cuidar de coisas essenciais como o som. Esse aspecto certamente pode deixar alguns espectadores confusos. Ou seja, talvez fosse melhor repensar a produção como uma série episódica, até porque daria para roteirizar mais causos de Suassuna, né? Mas vale como um entretenimento suave.

O Auto da Boa Mentira | 29 de abril nos cinemas | Trailer Oficial

O Auto da Boa Mentira

Nome Original: O Auto da Boa Mentira
Direção: José Eduardo Belmonte
Elenco: Renato Góes, Leandro Hassum, Nanda Costa, Chris Mason, Johnny Massaro
Gênero: Comédia
Produtora: Cine Group
Distribuidora: Imagem Filmes
Ano de Lançamento: 2021
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar