O Mandaloriano – 1ª temporada – Disney Plus

Tributo apaixonado de Star Wars acerta ao mirar nos leigos, sem deixar os fãs de lado

Você não precisa saber muito ou praticamente nada sobre Star Wars para aproveitar essa série do Disney+. Ela traz aventura escapista da melhor qualidade com toques de faroeste, além de fortes inspirações no clássico mangá ”Lobo Solitário”.

Um protagonista de poucas palavras, bom no que faz, mas que também guarda gentileza, educação e honra, virtudes básicas de heróis das eras passadas e que funcionam até os dias de hoje. Sem ficar presa às complicadas mitologias desse rico universo, a série triunfa justamente ao se preocupar em contar uma boa história, com personagens interessantes, com começo, meio e fim, redondinha e com pequenos ganchos para o futuro. Tudo o que vier de easter-egg (e aqui eles não estão em falta), é lucro para fãs, mas não um distanciador para os leigos.

O Mandaloriano

A equipe de O Mandaloriano

Junta-se a isso um grande contador de histórias e diretor, Jon Favreau (que sinceramente nunca teve uma mancha em seu currículo, variando de comédias leves, ficções científicas para molecada, até filmes de ação com super-heróis, de ”Um Duende em Nova York” a ”Zathura”, de ”Homem de Ferro” ao formidável ”Mogli” etc), com um grande conhecedor do universo criado por George Lucas, Dave Filone (os fãs o idolatram pelas animações ”Clone Wars” e ”Rebels”), com outros apaixonados por Star Wars rodeando a produção, entre os nomes mais conhecidos, Taika Waititi e Bryce Dallas Howard (cada um ganhou um episódio, dos 8, para dirigir e conseguiu imprimir seu estilo ali).

Colocando um caçador de recompensas pertencente a um clã adorado pelos fãs da franquia (os tais “mandalorianos”), realizando missões pela galáxia e logo assumindo uma responsabilidade improvável (a de ficar com a guarda de uma criança, a quem se afeiçoa, lembrando do próprio passado trágico, quando também foi adotado por um adulto), Favreau reconstrói uma estrutura de seriado que vinha sendo abandonada nos últimos anos, quando as maratonas assumiram de vez nos streaming: os episódios procedurais, com o “monstro da semana”.

Assim, de maneira simples e descomplicada, o autor sustenta a mesma fórmula em todo o episódio. Com essa batida: o protagonista é chamado para uma missão, sai para realizá-la, se depara com um problema e um (ou mais parceiros), é traído, resolve a questão, volta para a nave. É claro que, nesse miolo, pequenos eventos, termos, cenários, espaçonaves e equipamentos aparecem para amansar a fanbase, mas que são indiferentes para os leigos, que podem aproveitar a história de maneira independente.

O que esperar

Mesmo com o roteiro enxuto, a série carrega um alto valor de produção e não fica devendo em nada aos filmes da franquia. Tem cenografias, figurinos, animatrônicos e efeitos especiais de grande nível. Embalada por uma trilha sonora sucinta e intimista, de Ludwig Göransson, O Mandaloriano ganha ares pulps, das aventuras do passado, que nossos avós acompanhavam, o que confere um charme especial para a produção.

O elenco também está à vontade, a começar por Pedro Pascal, que compreende seu protagonista e cria aqui, desde já, uma figura icônica, justamente por sua humanidade, repleta de falhas e virtudes em igual medida (só lamento que, num ato de recompensa desnecessária, tenham optado em revelar seu rosto, o que quebra toda a magia proposta).

O Mandaloriano
Werner Herzog faz uma ponta em O Mandaloriano

Quem mais dá as caras?

Gina Carano e Carl Weathers operam muito bem em seus papéis, enquanto Waititi se diverte como um droid mais do que complexo (e atenção ao episódio que ele dirige, onde sacaneia dois troppers sobre seus problemas de mira, logo no início, é completamente impagável). Nick Nolte acaba se tornando um dos melhores, com seu sensato, confiante e preciso Kuiil.

O grande cineasta alemão, Werner Herzog, faz uma ponta poderosa, ainda que desperdiçada. E por fim, Giancarlo Esposito, único ponto fraco dos escalados, mas que por conta de seu papel em ”Breaking Bad”, ficou marcado para sempre e, portanto, é adorado em qualquer trabalho, mesmo naqueles nos quais não se dedica. Ele simplesmente não me desce, nem consegue me convencer como um grande e potencial vilão de temporada. Mesmo assim, não tira o brilho dos demais.

Concisa e bem escrita, aventuresca e com bom ritmo, a série O Mandaloriano é uma carta de amor de fã para fãs, mas sem esquecer do valor de entretenimento e do que realmente vale: o alcance de Star Wars para outros públicos, permitindo assim que essa obra perdure por anos dentro de sua fórmula segura.

The Mandalorian • Trailer 1ª Temporada (legendado)

O Mandaloriano - 1ª Temporada

Nome Original: The Mandalorian
Elenco: Pedro Pascal, Carl Weathers, Gina Carano, Giancarlo Esposito
Gênero: Ação, Aventura, Ficção Científica
Produtora: Lucasfilm
Disponível: Disney+
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar