O que é a estética brasileira?

Como uma tornozeleira pôde irritar tanta gente?

Fotografia é uma área que me interessa bastante, tanto pelo olhar teórico de estudante, como também de espectador, e uma coisa que me bugou a cabeça nos últimos dias foi uma foto postada pelo perfil “Estética Brasileira” de alguém utilizando a tornozeleira para quem tem restrição de locomoção determinada pela justiça, ou para quem cumpre prisão domiciliar, etc. Mas isso não vem ao caso, o assunto aqui é outro.

Houve quem se indignasse com a foto a condenando por não se tratar de uma “estética brasileira”.

Segundo eles, não deveríamos estereotipar o brasileiro a algo que é “dado a bandidos” pois nosso povo não deveria ser visto dessa maneira, muito menos “glamourizar” algo assim, mas vamos a alguns detalhes que acabam passando despercebido pela maioria que decide não refletir sobre o que vê e apenas sente o ódio fluir pela pele.

De quem é o perfil

O perfil do Twitter pertence a uma fotógrafa nascida e criada na favela da Rocinha no Rio de Janeiro que tem como objetivo registrar o cotidiano em que vive e, consequentemente, as pessoas ao redor dela, assim vemos muitas fotos dos morros da Rocinha, crianças nas ruas, gente em bailes e lajes, enfim, situações do cotidiano.

Segundo ela mesma, “…cresceu cansada de retratações exclusivamente negativas sobre sua comunidade e decidiu captar a beleza entre os becos e vielas através da sua ótica de moradora para mostrar a realidade“. E não tem como não ver isso em suas fotos, pois tem de tudo: gente sorrindo, criança brincando e até uma pessoa com tornozeleira lutando para recomeçar na vida.

Fazendo uma breve analogia com uma frase que o Chico Anysio usava quando lhe perguntavam “o que é comédia” e ele respondia: “A comédia é tudo, até engraçada”, “A arte é tudo, até a realidade alheia” exemplifica bem a situação.

A fotografia como forma de arte vai além do que o Instagram é capaz de nos mostrar, pois ela pode ser tudo o que o artista queira passar. Pode ser amor, ódio, medo, realidade, entre tantas outras coisas que cabem na lente de uma câmera.

Estamos tão condicionados a receber conteúdo que nos agrade que quando vemos algo que quebra esse padrão, perdemos o rumo e esquecemos totalmente que a arte pode (e em alguns momentos deve) ser desconfortável.

Esta é a foto que causou a fúria em muita gente e queria trazer pra você que lê e acompanha o Vitamina Nerd, uma reflexão:

Por que esta foto não pertenceria a uma ‘estética brasileira’?

O numero de presos no pais é absurdo de enorme e cerca de 30% deles são provisórios então, como que alguém com uma tornozeleira não faria parte da nossa estética?

Muitos se levaram pela indignação seletiva e se sentiram no direito de esbravejar nos comentários, ignorando uma realidade que lhe incomoda, pois ele é brasileiro e não é bandido (como se o sistema criminal não cometesse erros, mas enfim…). O problema é que essa é uma lógica falha e assim como é rápida de fazê-la, é fácil de quebrá-la.

As redes sociais nos fizeram esquecer de que a realidade é diversa, e que nem tudo nos agrada ou é bom de se viver. Fora a alegria e o padrão de vida feliz que postamos, existem pessoas superando adversidades muito mais rotineiras do que podemos imaginar, então é sempre bom lembrar que as redes sociais foram feitas para duas coisas:

Gerar discussões (para não dizer brigas), ou inveja do perfil ao lado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar