Críticas

O Sacrifício do Cervo Sagrado

O novo filme de Yorgos Lanthimos

Em O Sacrifício do Cervo Sagrado, Colin Farrell interpreta Steven Murphy, um cardiologista bem sucedido, casado com Anna (Nicole Kidman) e pai de dois filhos. Steven se encontra com freqüência com Martin (Barry Keoghan), um adolescente cujo o pai morreu na mesa de operação de Steven durante uma cirurgia no coração. Martin demanda atenção quase completa de Steven, mas quando o segundo começa a prestar mais atenção na sua própria família, Martin planeja uma vingança.

O Sacrifício do Cervo Sagrado é escrito e dirigido por Yorgos Lanthimos, que também escreveu e dirigiu O Lagosta. Os dois filmes tem a marca do diretor, da mesma maneira que os dois tratam de temas peculiares, mas diferente de O Lagosta, O Sacrifício do Cervo Sagrado tem um roteiro um pouco mais linear e se passa, nos dias atuais, portanto é mais fácil reconhecer e se prender na história.

Mesmo assim, o tema desse filme também é quase sobrenatural e não tem uma explicação natural ou lógica. O filme já começa com uma situação mal explicada, que é a relação de Steven e Martin. Os dois se encontram com freqüência e o homem mais velho presenteia o mais novo, levando o telespectador primeiro a pensar que eles são pai e filho e depois, quando Steven começa a esconder os encontros, que os dois mantém algum tipo de relação amorosa ou sexual.

O trabalho com o elenco é espetacular, todos estão completamente dentro dos seus personagens. As atuações de Colin Farrell, que soa um pouco artificial, mas faz muito sentido no papel e de Barry Keoghan, que é naturalmente sinistro desde o inicio do filme chamam atenção especialmente.

Os enquadramentos também se destacam, muitos dos planos não mostram tudo de uma vez e vão revelando as cenas aos poucos, outros mostram só o rosto de Farrell olhando para as pessoas com quem conversa e uma cena, especificamente, mostra Nicole Kidman e o filho (Sunny Sujic) vistos de cima descendo uma escada rolante. A música também contribui muito para o clima do filme, ao fundo pode-se sempre ouvir uma música pesada e trágica, que dá ao telespectador a sensação de que algo ruim vai acontecer a qualquer minuto, mesmo que a gente não saiba exatamente o que, deixando o público nervoso e ansioso.

O filme engrena bem no começo e prende a atenção durante bastante tempo, mas no meio ele se alonga um pouco e fica um tanto parado, se a duração fosse um pouco menor, talvez fosse mais interessante.

O importante é assistir ao filme sem esperar alguma explicação, o que pode ser difícil para quem está acostumado a filmes Americanos/Hollywoodianos, mas quando assistido com a mente aberta O Sacrifício do Cervo Sagrado pode se tornar uma experiência diferente e interessante.

O roteiro fala de situações absurdas que refletem situações inimagináveis para qualquer pessoa e usa os temas surreais para falar de coisas do nosso dia a dia, como solidão, luto, medo, culpa e vingança e o preço que ela cobra.

O Sacrifício do Cervo Sagrado

O filme engrena bem no começo e prende a atenção durante bastante tempo, o importante é assistir ao filme sem esperar alguma explicação. Quando assistido com a mente aberta O Sacrifício do Cervo Sagrado pode se tornar uma experiência diferente e interessante.

Tags
Mostrar Mais

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close