Quando Margot Encontra Margot, comédia francesa

A premiada atriz francesa Sandrine Kimberlain interpreta Margot, uma mulher de 45 anos que, numa festa encontra Margot, uma jovem de 25, interpretada por Agathe Bonitzer. Depois de algumas conversas, e da descoberta de muitas coincidências, constatam que são a mesma pessoa em momentos diferentes de suas vidas. Assim, Quando Margot Encontra Margot, dirigido por Sophie Fillières, investiga como as decisões do presente influenciam o nosso futuro.

Margot, 25 anos, tem uma vida despreocupada, pontuada por frequentes noitadas em Paris. Uma noite, durante uma festa, ela conhece outra Margot, 20 anos mais velha. Detalhes curiosos e grandes semelhanças fazem com que elas descubram que são, inegavelmente, a mesma pessoa em fases diferentes. E não surtam por conta disso. Então, na manhã seguinte, no mesmo trem para Lyon, elas se deparam com Marc (Melvil Poupaud), o ex de uma delas, cujo charme desperta grande atração em ambas. Daí em diante, Margot e Margot se encontrarão cada vez mais ligadas.

Quando Margot Encontra Margot pela primeira vez
Quando Margot Encontra Margot pela primeira vez

Um ótimo argumento

Como seria reencontrar o seu próprio eu? Apesar desta premissa fantasiosa, a diretora tem um registro realista que, para ela, foi um desafio na encenação. Mas foi nessa combinação, do real com o fantástico, conforme confessa, que ela encontrou a graça de seu filme: a possibilidade de saber como seremos no futuro, e assim questionarmos qual caminho seguir. Encontrar seu “eu” de 45, faz a jovem Margot pensar nas escolhas que fará a partir de então; enquanto a outra Margot tem a chance de rever sua trajetória.

Quando entra em cena Marc , o ex-namorado de uma delas, Margot e Margot acabam se interessando pelo rapaz e, afinal, as duas acharão cada vez mais difícil se desligar uma da outra e também dele. O rapaz também não entra em pane quando descobre o ocorrido. Ele, inclusive, se envolve romanticamente com as duas. O que deveria ser algo inacreditável para ele, soa como simples e banal. “Surpreendentemente, estou tranquilo, tenho duas versões de uma namorada para escolher.”

As Margots e Marc
As Margots e Marc

Quando Margot Encontra Margot

Este é um filme leve e divertido. Sem julgamentos, a trama vai nos mostrando como é o dia a dia das duas moças. A mais jovem tem vários namorados, parece não estar preocupada com nada, sempre transa no primeiro encontro e tem uma melhor amiga chamada Esther. Já a mais velha, um pouco menos impulsiva, não via a amiga há anos, e acaba chamando atenção em seu velório. É a única vestida de vermelho no meio de todos os figurinos escuros e tristes.

Aos poucos vamos então conhecendo as Margots. A jovem, sempre vestida de azul. A mais madura, sempre de vermelho. A partir do encontro e da surpresa de ambas, as cores começam a se mesclar. As duas vão utilizar vermelho e azul na vestimenta, como uma simbologia da completude que uma traz à outra. De fato, uma acaba precisando da outra para tomar decisões, sejam sobre o futuro, quanto sobre o passado.

O filme não arranca gargalhadas da plateia, mas a leveza do tom e a delicadeza da escrita e do tema fazem de Quando Margot Encontra Margot um filme gostoso de se assistir. Estreia dia 04 de abril e também será o primeiro filme a ser exibido pelo projeto Caixa de Pandora.

Se você gosta de comédias francesas, leia aqui sobre Um Banho de Vida

Quando Margot Encontra Margot

Nome Original: La belle et la belle
Direção: Sophie Fillières
Elenco: Sandrine Kiberlain, Agathe Bonitzer, Melvil Poupaud, Lucie Desclozeaux
Gênero: Comédia
Produtora: Christmas In July
Distribuidora: Pandora Filmes
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar