Rasga Coração, a diferença entre gerações

Em Rasga Coração, Custódio (Marco Ricca) é um funcionário público que sustenta sua família composta por sua esposa Nena (Drica Moraes) e seu filho Luca (Chay Suede). Antes era um militante na época da ditadura militar, conhecido como Manguari Pistolão (interpretado nessa fase por João Pedro Zappa). Agora ele tem que lidar com a militância de Luca, que luta pelas questões de gênero.

Rasga Coração é baseado em uma peça de Oduvaldo Vianna Filho e tem direção de Jorge Furtado.

Pai x filho

O filme é estruturado da seguinte maneira: o espectador acompanha Custódio nos dias de hoje, e sua relação com o filho; e Custódio aos 20 anos, quando era militante.

O Custódio de 20 anos é idealista e quer mudar o mundo. Mas seu pai quer que ele termine a faculdade e arrume um emprego. Os dois entram em embate o tempo todo, justamente porque pensam diferente.

Luca e Custódio
Luca e Custódio

Já o Custódio dos dias de hoje está conformado com a sua rotina, e só se preocupa em trazer dinheiro para dentro de casa. Seu filho, Luca, por outro lado, questiona as predeterminações de cada gênero, usa saia, maquiagem e pinta as unhas. Custódio compreende e apoia o que o filho faz, mas como o seu pai, nos anos 70, acredita que Luca deve estudar medicina e abrir um consultório.

Quando Luca é proibido de entrar na escola porque não está vestido “como menino”, Custódio não pensa duas vezes antes de apoiar o filho. Mas as personalidades dos dois se batem quando eles percebem que Custódio já não tem mais a mesma esperança que tinha aos 20 anos e que nem seu filho, que ainda é adolescente, tem.

Luca e a mãe, Nena
Luca e a mãe, Nena

Custódio, quando jovem, não compreendia seu pai e também não era compreendido por ele. Ele acredita que quando chegar a sua vez de ser pai, ele será diferente. Mas ele repete as mesmas atitudes do seu pai. Ele também almeja um emprego para Luca apesar da opinião do filho, ele também não compreende seu filho, e também não é compreendido por ele, que ignora seu passado de luta e o considera conservador e reacionário.

O que Rasga Coração nos diz é que a vida é um ciclo vicioso, e que por mais que digamos que não, estamos condenados a repetir as atitudes de nossos pais.

“Quem não foi comunista até os vinte anos…”

O filme trabalha com aquela frase que é muito comum e que já foi dita por diversas personalidades: “quem não foi comunista até os vinte anos não tem coração, quem é depois dos trinta não tem juízo”. Claro que no contexto do filme, a palavra que mais caberia seria “idealista” e não necessariamente “comunista”.

Luisa Arraes e Chay Suede em cena do filme
Luisa Arraes e Chay Suede em cena do filme

Custódio, na época da ditadura, lutava pela democracia a ponto de participar de manifestações e protestos. Luca quer poder se vestir do jeito que quiser, e quer que todas as pessoas façam isso.

No entanto, o Custódio mais velho se parece mais com seu pai do que com seu filho. E seu filho, se parece com ele aos 20 anos. A tendência é que Luca, quando se tornar pai, tenha pensamentos mais parecidos com os de seu pai (e consequentemente de seu avô). Na peça original, o leitor também conhece a juventude do pai de Custódio, que também era idealista. Rasga Coração mostra que o idealismo e a esperança de mudança estão diretamente ligados à juventude, e que se torna cada vez mais difícil ser idealista conforme vai se envelhecendo.

Outro ponto que o filme aborda é a ideia de que cada geração tem a sua luta, que pode parecer fútil e boba para a geração anterior. Mas que faz muito sentido para quem vive aquilo. Para Custódio, a luta de sua geração era a redemocratização, para Luca, é a queda dos paradigmas de gênero, e assim por diante.

Custódio era um idealista, mas se tornou seu pai
Custódio era um idealista, mas se tornou seu pai

Modernização de Rasga Coração

O longa é inspirado em uma peça dos anos 70, por isso, algumas alterações tiveram que serem feitas para que o filme pudesse falar mais com os dias de hoje. A juventude de Custódio, por exemplo, se passa durante a ditadura militar. Isso se mantém, mas para que as épocas batam, esse período foi adiantado para 79. Por isso, a juventude de Luca, que na peça seria nos anos 80, se passa em 2013.

Com isso, diversas alterações foram feitas. Primeiro em relação à tecnologia, então, os personagens usam computadores e celulares. Embora Luca, seja completamente avesso à tecnologia; e às gírias usadas nos dois períodos retratados também foram modificadas.

Os ideais de Luca também foram modernizados, já que questões de gênero é uma pauta relativamente recente. Além disso, Jorge Furtado traz para seus personagens a questão do racismo, já que dois personagens da peça que não tem a cor de pele especificada, são interpretados por atores negros no filme (Anderson Vieira e Cinândrea Guterres), como Furtado faz com frequência em seus filmes, dando uma dimensão nova à trama.

George Sauma em cena do filme
George Sauma em cena do filme
Aspectos técnicos

Existe muito cuidado na produção do filme, uma vez que ele retrata duas épocas bem distintas e que precisam ser facilmente identificáveis. Por isso, o filme utiliza de vários elementos para distinguir os anos 70 dos anos 2010.

Um desses elementos é o figurino. Na primeira cena que se passa nos anos 70, podemos ver claramente que as roupas fazem referência à década. Nesse sentido, o figurino é muito bem feito e bem realista. Outro elemento que se modifica de uma época para a outra é a fotografia, que usa tons mais fortes para 79 e tons mais claros e mais leves para os dias de hoje.

Esse tipo de artefato pode confundir o espectador mais desatento, mas funciona para mostrar as diferentes épocas que o filme cobre.

Anderson Vieira e João Pedro Zappa em cena do filme
Anderson Vieira e João Pedro Zappa em cena do filme

O elenco

O elenco é composto por grandes nomes, que estão bem em seus papeis, como Marco Ricca e Drica Moraes. Além deles, temos jovens talentos como Chay Suede e Luisa Arraes. O grande destaque do elenco é George Sauma, que interpreta Lorde Bundinha, um amigo de juventude de Custódio. O personagem por si só, já é divertidíssimo, e o ator o interpreta muito bem.

O filme também soa extremamente moderno, mesmo depois de mais ou menos 40 anos de sua criação. E é muito fácil reconhecer Custódio ou Luca em pessoas que conhecemos.

Rasga Coração é um retrato realista da relação entre pais e filhos. Além disso, fala sobre política, ideologia, luta por ideais e claro, a distância que existe de uma geração para a outra. O filme estreia no dia 6 de dezembro.

Rasga Coração | Trailer

Rasga Coração

Nome Original: Rasga Coração
Direção: Jorge Furtado
Elenco: Marco Ricca, Drica Moraes, Chay Suede, George Sauma, João Pedro Zappa, Luisa Arraes, Kiko Mascarenhas
Gênero: Drama
Produtora: Casa de Cinema de Porto Alegre
Distribuidora: Sony Pictures
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar