Reparação, de Ian McEwan

Na tarde mais quente do verão de 1935, na Inglaterra, a adolescente Briony Tallis vê uma cena que vai atormentar a sua imaginação: sua irmã mais velha, sob o olhar de um amigo de infância, tira a roupa e mergulha, apenas de calcinha e sutiã, na fonte do quintal da casa de campo. A partir desse episódio e de uma sucessão de equívocos, a menina, que nutre a ambição de ser escritora, constrói uma história fantasiosa sobre uma cena que presencia. Comete um crime com efeitos devastadores na vida de toda a família e passa o resto de sua existência tentando desfazer o mal que causou.

Fonte: https://www.amazon.com.br/Repara%C3%A7%C3%A3o-Ian-McEwan/dp/853591997X

Embora tenha sido publicado em 2001, Reparação só ficou mais conhecido depois do lançamento do filme Desejo e Reparação, em 2008.

O livro conta a história da família Tallis, que se prepara para uma noite especial, com a chegada do único filho e de um amigo dele. As duas filhas, Cecília e Briony já se encontram na casa.

Além das meninas, na casa também estão a prima delas, Lola, os primos gêmeos e os empregados, Robbie e sua mãe.

Keira Knightley e James McAvoy em cena do filme

Briony é uma adolescente criativa, que está concentrada em dirigir uma peça que ela mesma escreveu e que será apresentada mais tarde, quando vê da janela do seu quarto, sua irmã Cecília tirar a roupa e entrar na fonte na frente de Robbie. Mais tarde, ela presencia outra cena que a atormenta a ponto de denunciar Robbie como um predador sexual. As ações de Briony naquela noite causam o rompimento definitivo da família e uma tragédia que é capaz de abalar todos os personagens presentes na casa.

Reparação é um livro repleto de personagens bem construídos e extremamente realistas, o que deixa o livro muito verdadeiro. Briony, a protagonista da história é retratada como uma criança inteligente, que almeja ser escritora, e até certo ponto do livro, o leitor tende a simpatizar com Briony. Ela soa exatamente como a maioria dos personagens adolescentes de vários livros, muito mais esperta que as meninas da sua idade, o que a princípio soa como uma vantagem, mas também é a inteligência de Briony e o fato dela ser extremamente criativa e o esteriótipo perfeito de uma futura escritora que a leva a cometer o erro que dá o tom à trama toda.

Além disso, Briony é uma adolescente rica e mimada, que tem um leve ciúme da irmã, por atrair a atenção de Robbie. Da mesma maneira que é fácil simpatizar com Briony, é fácil sentir raiva dela, ela é realista. Diferentemente de vários personagens crianças, que soam e se portam como adultos, Briony é madura para sua idade, mas também tem atitudes infantis.

Saoirse Ronan interpreta Briony quando adolescente

Cecília, a irmã mais velha, no começo é retratada como fria e esnobe. A princípio, parece para o leitor que ela despreza Robbie, mas conforme a história vai passando vamos perceber que ela é o exato oposto disso. Robbie também é mostrado como um possível estuprador em série e como um herói romântico, em momentos diversos do livro. Já Lola, a prima de Briony parece segura de si e madura e na verdade, ela é o exato oposto disso, Lola é tão -ou mais- criança quanto Briony e só consegue ver seu valor pelos olhos dos outros.

Isso acontece com vários personagens, porque nós lemos o livro de pontos de vista diferentes e principalmente dos mesmos pontos de vista, mas em momentos diferentes da vida. O livro começa com Briony adolescente, passa por ela adulta e termina com ela idosa. Briony passa por diversas transformações, assim como os outros personagens.

O livro também fala sobre como nossas ações, mesmo que as provindas das melhores intenções podem afetar a vida das pessoas, e muitas vezes destruí-las. A criatividade exagerada da jovem Briony acaba com a vida de Robbie e automaticamente de sua mãe, deixa em pedaços a família Tallis, gera revolta em Cecília, sela o destino de Lola e por ultimo, leva a própria Briony para uma vida de culpa e punição bem diferente da que ela imaginou para si. Nada disso acontece porque Briony é ma, ou deseja causar o mal, muito pelo contrário, ela acredita que está fazendo o bem.

Juno Temple e Benedict Cumberbatch no filme de 2008

E justamente porque Briony percebe o mal que causou, que o livro também fala sobre punição. É natural que uma menina tão criativa e capaz de criar personagens e histórias, consiga também ser empática e consiga ao longo dos anos perceber os seus erros. Briony passa a jogar a culpa de todos esses eventos e a infelicidade de todas essas pessoas sobre as suas costas e se auto inflige a uma vida que nunca a fará feliz, da mesma maneira que Cecília, Robbie, a mãe de Robbie e Lola nunca foram.

A escrita de Ian McEwan é maravilhosa, o que torna a leitura muito prazerosa. A história muito bem pensada e extremamente interessante só ajuda.

Reparação virou filme em 2008, e aqui no Brasil o título ficou Desejo e Reparação, provavelmente para atrair o público que gostou de Orgulho e Preconceito (2005), já que tanto o diretor Joe Wright, quanto a atriz Keira Knightley estão nos dois projetos. O filme é extremamente fiel ao livro e também é muito bom.

Brioney observa uma cena da janela, que a leva a conclusões precipitadas

No elenco nós temos Keira Knightley, que originalmente interpretaria Briony já adulta, mas pediu ao diretor para interpretar um papel mais adulto e diferente dos que estava acostumada e acabou ficando com o papel de Cecília, James McAvoy, como Robbie, no que provavelmente, é o seu primeiro papel de destaque, Benedict Cumberbatch e Juno Temple. O papel de Briony é divido por Saoirse Ronan, quando criança, Romola Garai, quando adulta e Vanessa Redgrave, quando mais velha.

Reparação é um romance que narra não só uma história de amor, mas também uma história de erros, culpa e punição de maneira brilhante.

Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close