Sex Education – 2ª temporada, narrativa amadurecida

Uma das melhores séries contemporâneas retorna mais complexa, desenvolvendo a individualidade de seus personagens

Sem perder as linhas dos discursos (e os temas são vários), a criadora Laurie Nunn mantém este segundo ano com a mesma qualidade do primeiro, que quebrava o clichê do gênero ao mostrar como é realmente a realidade (também sexual) dos adolescentes, muito distante do deslumbramento e limitação que vimos por décadas em produções jovens de Hollywood. Dessa vez, abre-se mão um pouco do companheirismo e da terapia sexual amadora, em detrimento de tramas paralelas e de um amadurecimento inevitável por parte de todos. Até mesmo de quem menos o espectador imaginava.

O novo ano se inicia com uma histeria coletiva sobre os perigos das DSTs. Assim, Jean (Gillian Anderson, cada vez mais à vontade) é levada à escola para aconselhar os alunos. Com a psicóloga exercendo sua profissão e arriscando os negócios da clínica sexual do filho, a temporada explora o protagonista mais como um adolescente prepotente do que genial. Dessa forma, coloca Jean em um papel que lhe pertence naturalmente, mexendo no jogo da narrativa em prol de uma temporada que não repete os mesmos elementos da anterior.

Sex Education – 2ª temporada

Otis (Asa Butterfield, na medida), então, é colocado em uma nova posição, à beira do surto, ao se identificar com os erros do pai. Ele não enxerga o que os outros sentem por si, busca ser um cara bacana o tempo todo e nem sempre chega perto disso. Maeve (da ótima Emma Mackey), por exemplo, se distancia mais do protagonista para voltar a lidar com problemas familiares complexos; enquanto a Eric (Ncuti Gatwa, um dos melhores do elenco) é dado sequências mais leves e românticas depois de tudo o que passou anteriormente, quando ele fica então dividido entre duas paixões.

Sex Education - 2ª temporada

Mas Sex Education nunca caminhou por terrenos fáceis. Dessa vez explora estradas ainda mais esburacadas, mas tematicamente relevantes, debatendo questões com força, propriedade e sem cair em panfletagem barata. Aimee (Aimee Lou Wood) lida com uma experiência traumática, infelizmente mais do que comum, inclusive entre as brasileiras. Esse arco da personagem leva a um dos momentos mais sensíveis e poderosos da série (que ainda acha espaço para homenagear “Clube dos Cinco”), com a discussão sobre assédio unindo diversas garotas em um momento de raiva brilhantemente representado, evidenciando a ideia de que sororidade está acima da amizade feminina.

Adam (Connor Swindells), uma das figuras mais complexas do enredo, está em busca de autoconhecimento e encontra respostas durante o clímax (que força a barra na super exposição em público, justamente indo de encontro aos clichês holllywoodianos e quase desliza nesse ponto); o mesmo acontece com Ola (Patricia Allison), que sai do padrãozinho de moça bem resolvida para descobrir novos desejos.

Sex Education - 2ª temporada

E tem mais

Jackson (Kedar Williams-Stirling), por sua vez, começa a dar novos passos sobre o que realmente quer para sua carreira. Até mesmo o diretor Groff e os professores, Miss Sands e Mr. Hendricks ganham arcos próprios. E o espectador ainda pode esperar grandes momentos com outros, como Ruby, Viv, Remi, Lily, o novato cadeirante Isaac, a senhora Maureen etc, todos envolvidos em contextos impactantes e emocionantes.

O sexto episódio é um dos grandes momentos da produção. Outras sequências menores, intimistas e poderosas, são como divisoras de águas do enredo. Assim, Sex Education – 2ª temporada mantém seus personagens principais separados a maior parte do tempo, para amadurecerem sozinhos. Enquanto isso, prepara o terreno para o promissor terceiro ano, de uma das melhores séries da década.

Sex Education - 2ª temporada

Nome Original: Sex Education
Elenco: Asa Butterfield, Gillian Anderson, Ncuti Gatwa
Gênero: Comédia, Drama
Produtora: Eleven
Disponível: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar