CríticasFilmes

Estreia da Semana: Tully

Tully acompanha a vida de Marlo (Charlize Theron), mãe de três filhos, que é presenteada pelo seu irmão (Mark Duplass) com uma babá noturna. No começo Marlo reluta, mas depois de perceber que está completamente esgotada, ela finalmente chama Tully (Mackenzie Davis) e as duas sentem uma conexão quase que instantânea.

Pela sinopse, Tully parece um filme bem simples, que retrata o dia a dia de uma mãe, mas o filme tem muitos pontos positivos. O roteiro é de autoria de Diablo Cody (de Juno e Jovens Adultos), e como é característico da autora, Tully é cheio de piadas e tiradas bem feitas, que de fato fazem o cinema rir, e o filme também é cheio de referências a cultura atual, deixando o longa mais próximo da audiência.

Marlo tem uma personalidade divertida, o que permite que ela tire sarro da sua situação em diversos momentos. Mesmo se tratando de uma comédia, o filme é extremamente realista em relação à maternidade e não poupa o espectador de nenhum detalhe, por mais constrangedor e cotidiano que seja, vemos cenas de Charlize Theron de fraldas após dar a luz e dela tirando seu próprio leite, com uma bombinha. O filme deixa muito claro que embora digam aos quatro ventos que ter filhos é um paraíso, isso não é verdade em todos os momentos.

Charlize Theron em cena do filme.

Também é interessante ver um filme que fale sobre as coisas boas e ruins da maternidade, e como é cobrado da mulher que ela seja capaz de trabalhar, cuidar dos filhos, da casa e ainda assim estar bonita e sorridente. Tully toca ainda em outro assunto delicado: a participação do pai na criação dos filhos. Embora o marido de Marlo seja dedicado, a trate bem e claramente a apoie, ele quase não passa tempo com os filhos, ou ele está trabalhando, ou quando está em casa, ele está no quarto jogando vídeo game com os fones de ouvido. Em um certo momento do filme, ele comenta que não sabe como Marlo pode deixar os filhos sozinhos em casa e ouve a pergunta “mas você não estava em casa?”.

Quando Tully, a babá, entra em cena, vemos o oposto direto de Marlo. Enquanto a segunda está exausta e não consegue realizar mais nenhuma tarefa sem perder a paciência, a primeira parece a definição da calma. Ela cuida das crianças, limpa a casa e faz cupcakes, ela é despojada e divertida e como todos os jovens de 20 e tantos anos, ela tem sonhos muito maiores que a sua própria vida. Tully e Marlo representam respectivamente a vida que sonhamos em ter quando somos jovens e a vida que conseguimos ter depois que nos conformamos.

O filme é muito sensível em falar sobre as mudanças de pensamentos e de sentimentos que todas as pessoas tem. O que queremos aos 20 anos, não é o mesmo que queremos aos 40.

A trilha sonora também é um ponto alto do filme, repleta de músicas dos anos 80, é divertida e interessante.

Mackenzie Davis é Tully
Mackenzie Davis é Tully

Como sempre, Charlize Theron é um caso a parte. Nesse filme ela interpreta uma mãe cansada e frustrada, a atriz aparece quase sem maquiagem, com o cabelo sujo, desarrumada, com roupas que não a favorecem, e não tem medo de parecer ridícula em muitas das cenas do filme, entregando assim, uma performance maravilhosa e extremamente convincente.

O filme tem um final surpreendente e que pode gerar diversas interpretações, dependendo de quem assiste, o que torna tudo mais interessante.

Tully é uma comédia, que diverte, mas também é capaz de fazer pensar sobre a vida e sobre como a idéia que fazemos de nós mesmos (e do que queremos) pode mudar com o tempo.

Tully

Data de Lançamento: 24 de Maio

Elenco: Charlize Theron, Mackenzie Davis, Ron Livingston, Mark Duplass

Gênero: Comédia, Drama

Distribuidora: Diamond Filmes

Direção: Jason Reitman

Tags
Mostrar Mais

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close