A Abadia de Northanger – Romance gótico de Jane Austen

Catherine Morland é uma jovem ingênua que adora romances góticos. Ela é convidada pelo Sr. e pela Sra. Allen para ir a Bath, e lá conhece Henry Tilney, por quem se interessa. Catherine também fica amiga de Eleanor, a irmã de Henry, e acaba sendo convidada para passar um tempo na casa da família, a Abadia de Northanger.

Catherine então, se vê dentro do cenário perfeito de um dos romances que tanto gosta e passa a se sentir como uma heroína. Confundindo a realidade com fantasia, Catherine começa a procurar os supostos segredos e criar teorias sobre o lugar.

Cena do filme de 1986 - A Abadia de Northanger
Cena do filme de 1986

A Abadia de Northanger – Um romance gótico

Este é o romance de Jane Austen que mais se diferencia da sua obra. Aqui as relações amorosas não são o tema principal e muito do que aparece é influenciado pelos romances góticos que a autora costumava ler.

O livro se passa em uma propriedade grande e soturna que, na teoria, guarda segredos. Catherine é a heroína romântica que vai desvendar esses segredos, e Henry, o herói romântico. O livro também propõe uma possibilidade de vilão e tem outros personagens que complementam o enredo.

Quando se vê dentro da Abadia de Northanger, Catherine também se vê como a heroína de um dos romances que está acostumada a ler, e começa a criar teorias e procurar supostos segredos que rondam o lugar.

JJ Feild e Felicity Jones em cena de Nothanger Abbey
JJ Feild e Felicity Jones em cena de Nothanger Abbey

O que o leitor acompanha, então, é uma espécie de romance gótico que, embora pareça real, acontece basicamente na cabeça de sua protagonista. Mas, uma vez que lemos o livro do ponto de vista de Catherine – e em alguns momentos, temos acesso, inclusive aos seus pensamentos – A Abadia de Northanger soa como um romance gótico genuíno.

Paródia

A Abadia de Northanger, no entanto, não é um romance gótico e se encaixa mais no gênero da paródia. Os livros de Austen têm, em sua maioria, momentos irônicos, mas este é o que demonstra esse aspecto com mais clareza.

A protagonista é uma jovem que não sabe nada da vida, mas que leu todos os romances góticos que encontrou pela frente. Tudo que Catherine conhece, portanto, vem desses livros.

A Abadia de Northanger é uma paródia do gótico
A Abadia de Northanger é uma paródia do gótico

Sem saber nada sobre a vida real, quando se vê dentro da Abadia de Northanger, Catherine acredita que está dentro de uma história de suspense, mas o leitor consegue notar que muitas vezes ela só está fantasiando e é justamente aí que o tom irônico e a paródia entram.

A habilidade da autora é clara, ela mistura comédia com suspense e consegue entregar os dois gêneros. As partes que devem ser engraçadas são engraçadas e as partes que devem ser assustadoras são assustadoras, mesmo que saibamos que não são, necessariamente, reais.

Temas recorrentes

Embora esse seja o livro que mais se afasta do estilo de Austen e do que a maioria das pessoas se lembra quando pensa nela, A Abadia de Northanger também tem temas que são bem comuns nas suas obras.

Os enlaces românticos continuam sendo uma questão relevante. Catherine gosta de Henry, que parece retribuir sua afeição, mas ela também chama a atenção de John Thorpe. Já James, o irmão de Catherine, se interessa por Isabella Thorpe, que parece mais interessada em Frederick, irmão de Henry.

Cena do filme O Sol do Paraiso
Cena do filme O Sol do Paraiso

Mais uma vez os interesses se modificam, o que abre espaço para uma série de confusões e corações partidos. A diferença aqui é que o foco não é o casamento, uma vez que as investigações de Catherine aparecem mais.

A Abadia de Northanger também parece fazer uma crítica a literatura, uma vez que sua personagem principal é uma leitora voraz, mas que não sabe muito da vida. Entretanto, na realidade, o livro fala justamente da ideia de que os romances são voltados para as mulheres, uma ideia comum na época de Austen.

A Abadia de Northanger na mídia

Como boa parte dos livros de Jane Austen, A Abadia de Northanger já ganhou algumas adaptações.

Cecília de Orgulho e Paixão - A Abadia de Northanger
Cecília de Orgulho e Paixão

Em 1986, o livro virou um filme, estrelado por Katharine Schlesinger e Peter Firth. Já em 2007, foi a vez de virar um filme para a TV, estrelado por Felicity Jones. O filme O Sol do Paraíso é uma adaptação mais livre da trama.

Aqui no Brasil, a novela Orgulho e Paixão, que explorava o universo de Austen, também usou a história do livro. A trama da personagem Cecília (Anaju Dorigon) é inspirada na trama de Catherine.

A Abadia de Northanger passeia entre gêneros e é o romance de Austen que mais se diferencia da sua obra, por isso, pode ser uma boa pedida para quem não é tão fã da autora. O livro mistura suspense e romance, em uma trama que prende o leitor rapidamente e que prova o quanto sua autora podia ser irônica.

Nome Original: A Abadia de Northanger
Autor: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Gênero: Clássico, Romance
Ano: 1818
Número de Páginas: 263

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar