A Garota na Névoa, um suspense repleto de reviravoltas

Em A Garota na Névoa, o detetive Vogel (Tony Servillo) é chamado a uma pequena cidade nos Alpes italianos para investigar o desparecimento de Anna Lou (Ekaterina Buscemi). A jovem de 16 anos que parece ter evaporado enquanto ia a um encontro com o grupo de jovens da igreja. Chegando lá, Vogel percebe que o caso é bem mais complicado do que ele imaginou a principio e tudo piora quando a mídia começa a pressionar a polícia por resultados.

A Garota na Névoa é o primeiro filme de Donato Carrisi, que também escreveu o livro em que o filme é baseado. Ele também é formado em direito, com uma dissertação sobre Serial Killers.

Um thriller não tão comum

A Garota na Névoa tem muito dos aspectos comuns a thrillers. Como os seus personagens, o agente determinado a descobrir o caso, a mídia sedenta por respostas, os suspeitos e claro, a jovem, bonita e inocente desparecida. Carrisi certamente entende muito do gênero, pois ele mesmo coloca isso durante o filme, numa explicação do professor de literatura Loris Martini (Alessio Boni), um dos suspeitos.

Toni Servillo em cena do filme
Toni Servillo em cena do filme

Além disso, todos os personagens são bidimensionais e tem um lado bom e um lado não tão bom. Inclusive Vogel. E cabe ao espectador desvendar isso. Vogel é sem dúvida nenhuma, um homem determinado a descobrir o que aconteceu com Anna Lou. E claro, fazer valer a justiça. Mas justamente por isso, ele é capaz de tudo para encontrar o culpado, mesmo que ele tenha que passar por cima das leis que ele mesmo deveria proteger.

O mesmo acontece com o professor, que é um homem de família e um profissional competente, mas que não recusa completamente os avanços de uma de suas alunas, menor de idade. Com o psiquiatra (Jean Reno) que atende Vogel, que julga as ações do detetive, mas não vê problemas em pescar e matar peixes por diversão e até com a própria Anna Lou, que como a maioria dos adolescentes, se porta de um jeito na frente dos pais e de outro, na frente dos amigos.

Muitos mistérios

Essa decisão faz com que ninguém no filme seja completamente confiável. O que faz sentido, uma vez que na vida, ninguém de fato é. As pessoas guardam segredos e fazem coisas das quais se arrependem. Esse tipo de filme só deixa essas ações mais a mostra. O filme também mexe muito com pontos de vista, e nós acompanhamos a história de pelo menos três pontos de vistas diferentes. O que deixa mais difícil ainda saber o que é verdade e o que não é. Deixando o filme ainda mais misterioso.

Anna Lou, aliás, aparece pouco no filme. Sua feição aparece em fotos, vídeos e eventualmente em memórias. Mas é o seu desparecimento e a personalidade da menina que empurram o filme para frente, uma vez que junto com Vogel lemos o seu diário, e acompanhamos os seus passos, fazendo com que, assim como as pessoas na pequena cidade, que conhecem Anna Lou desde pequena, o espectador também passe a se importar com ela.

O filme é cheio de reviravoltas
O filme é cheio de reviravoltas

Também é uma característica dos thrillers de que tudo está conectado. Assim, tudo que aparece é importante. Por isso, é difícil tirar os olhos da tela enquanto se assiste o filme, também porque a trama é muito interessante e o espectador quer desvendar esse mistério tanto quanto os personagens.

Aspectos técnicos de A Garota na Névoa

O filme se passa em uma cidade nos alpes italianos, por isso, vemos muita neve e muito frio. Isso aumenta a sensação de abandono que a família de Anna Lou e. consequentemente o espectador, sentem com o sumiço da garota. O filme também trabalha muito a tensão, com cenas escuras que escondem elementos. E em muitos momentos Vogel investiga lugares sinistros, que repercutem barulhos estranhos.

A direção de arte é um tanto quanto curiosa, uma vez que embora o filme se passe nos dias de hoje, porque as pessoas falam em celulares e em redes sociais, Anna Lou e o resto da sua cidadezinha usam roupas, penteados e maquiagens que remetem vagamente aos anos 70. Talvez a ideia seja dizer que aquela comunidade vive dentro de si mesma e no seu próprio tempo.

Jean Reno em cena do filme
Jean Reno em cena do filme

No elenco estão Galatea Ranzi (de A Grande Beleza), Alessio Boni e Lucrezia Guidone. Mas quem chama a atenção mesmo são Tony Servillo, que interpreta Vogel e Jean Reno, que interpreta o psiquiatra. Estes roubam a cena sempre que aparecem e funcionam muito bem quando juntos.

A Garota na Névoa tem tudo que um bom filme policial precisa. É repleto de reviravoltas interessantes e é sujeito a interpretações pessoais, o que o torna ainda mais interessante. O filme entra em cartaz no dia 8 de novembro.

A Garota na Névoa

Nome Original: La ragazza nella nebbia
Elenco: Toni Servillo, Alessio Boni, Lorenzo Richelmy, Galatea Ranzi, Jean Reno
Direção: Donato Carrisi
Gênero: Crime, Thriller
Produtora: Colorado Film Production
Distribuidora: A2 e Mares Filmes
Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close