A Vastidão da Noite, joia do cinema independente

Ficção científica é sugestiva, atmosférica e possui muita força em seus depoimentos

Nos anos 50, uma telefonista e um DJ de rádio descobrem uma misteriosa frequência de áudio que pode ameaçar sua pequena cidade, neste A Vastidão da Noite, que é o primeiro filme de Andrew Patterson, um nome a se ficar de olho a partir de agora.

A maneira como o diretor brinca com a câmera, seja no longo e alucinante tracking shot pela cidadezinha americana, seja no momento em que estaciona sua lente para que uma atriz narre uma triste história, ele demonstra grande habilidade técnica e narrativa. Nada no filme é gratuito ou deslumbrado, como geralmente ocorre nos primeiros trabalhos de um novato.

Toda sua condução serve ao enredo e colabora para criar uma poderosa atmosfera de estranheza (a princípio) e suspense (no decorrer dos eventos). Além disso, também ganha grande contribuição ora com a trilha ora com os efeitos sonoros. Assim, sem a necessidade de mostrar, Patterson faz bom uso do baixo orçamento para trabalhar com o poder da sugestão, que faz parte da gramática de longas do gênero.

A Vastidão da Noite

A Vastidão da Noite

A dupla protagonista é muito cativante. Em partes, isso se deve aos primeiros minutos que o diretor dedica a apresentá-los ao público. Temos aqui um diálogo acelerado e atordoante sobre assuntos aleatórios (incluindo sobre um gravador); por outro lado, isso se deve ao engajamento e naturalidade com que seu elenco trabalha.

Sierra McCormick ganha um grande e simples momento, quando a história se propõe a parar um pouco e mostrar sua rotina de trabalho como telefonista, além das ligações que passa a receber. O mesmo formato é replicado a Jake Horowitz que, com sua esperteza e cinismo, consegue dar gás às incertezas e expectativas que se desenham conforme a trama avança.

A Vastidão da Noite

Vale a sessão!

Duas cenas valem o destaque: a da conversa do DJ com Billy, o homem no telefone; e o quase monólogo da senhora que mora sozinha e tem um segredo a revelar. Os diálogos são poderosos e, em seu naturalismo, transmitem uma sensação desesperadora. Esse momento, inclusive, pode afastar o público comum, não acostumado com narrativas mais lentas.

Porém, os aficionados por uma suntuosa ficção científica ou que estão em busca de uma boa história, terão um prato cheio em A Vastidão da Noite. Além de brincar com os grafismos que remetem a “Além da Imaginação”, o diretor também busca evocar em sua fotografia, sonoplastia e direção, uma típica produção daquele período e tudo isso com pouco tempo de rodagem, em um final sutil e arrebatador.

A Vastidão da Noite

Nome Original: The Vast of Night
Direção: Andrew Patterson
Elenco: Sierra McCormick, Jake Horowitz, Gail Cronauer
Gênero: Drama, Mistério, Sci-Fi
Produtora: GED Cinema
Distribuidora: Amazon Studios
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar