Alan Turing: The Enigma, de Andrew Hodges

A biografia de Alan Turing

Alan Turing: The Enigma acompanha a vida de Alan Turing, matemático britânico, considerado o pai do computador. O livro examina seu trabalho, assim como seus esforços durante a segunda guerra mundial e sua vida pessoal, marcada por medo e por tratamentos e condenações em função da sua homossexualidade.

Alan Turing nasceu em Londres, no dia 23 de junho de 1912. Ele era matemático, lógico, criptoanalista e cientista da computação. Ao longo da sua vida, ele se envolveu em uma série de projetos importantes, que são usados, em maior ou menor medida, até hoje.

Alan Turing
Alan Turing

Durante a segunda guerra mundial, Turing trabalhou para a inteligência britânica, na seção de quebra de códigos. Inclusive chegou a ser chefe da Hut 8, especialista em criptoanálise da frota naval alemã. Depois da guerra, ele passou a trabalhar no Laboratório Nacional de Física do Reino Unido, onde desenvolveu um projeto que mais tarde se tornaria o computador, que usamos até hoje.

Alan Turing: The Enigma

A importância de Turing é inegável em diversos aspectos, no entanto, ele era um nome meio esquecido do público geral. Esse é um dos motivos pelo qual o livro de Andrew Hodges é importante.

A maquina de Turing
A máquina de Turing

Alan Turing: The Enigma é uma biografia completa, que acompanha Turing desde o seu nascimento, até a sua morte, em 1954. O livro traz a infância e adolescência do biografado, explicando ao leitor como surgiu o seu interesse em matemática e chega a sua vida adulta, onde passa bastante tempo contando como era o trabalho de Turing na época da segunda guerra mundial e o que ele fez depois disso.

Hodges dá tanta importância ao trabalho de Turing, quanto à sua vida pessoal, dando detalhes de seus anos na escola e de seus relacionamentos. O leitor então, tem uma visão completa de quem era Turing.

Bela pesquisa

Fica claro enquanto se lê que Hodges pesquisou a vida de Turing a fundo, porque ele nos passa detalhes muito específicos e informações extremamente pessoais. O livro é uma boa escolha para quem se interessa pelos temas que Turing estudava, mas também para quem gosta de biografias e quer conhecer ou se aprofundar na vida de uma figura importante que nunca teve o reconhecimento que merecia.

Turing na adolescência
Turing na adolescência

No entanto, como acompanhamos a vida toda de Turing e pelo livro ser longo (768 páginas), existem partes que são um pouco mais paradas e menos interessantes. Certamente isso pode variar de pessoa para pessoa. Outra questão é que o livro muitas vezes apresenta as fórmulas de Turing por escrito, no meio da leitura, o que pode dar uma travada e desagradar quem não gosta muito de números.

Infelizmente o livro não foi publicado aqui no Brasil, o que limita a sua leitura a pessoas que leiam em inglês.

A vida pessoal

No livro, a vida pessoal de Turing tem quase o mesmo peso que seus feitos, isso porque essa é uma questão que é importante inclusive para a sua história. Turing era homossexual, mas não era assumido e nem poderia ser, uma vez que na época em que ele viveu, ser gay era crime na Inglaterra e poderia até ser motivo de prisão. O livro então, acompanha esse homem brilhante, responsável por ajudar – para dizer o mínimo – na segunda guerra mundial, que passou a vida toda escondendo quem ele era.

Cena de O Jogo da Imitação
Cena de O Jogo da Imitação

Lemos sobre as primeiras paixões de Turing, quando ele ainda era adolescente e como ele lidou com o fato de perceber que ele era considerado um criminoso, apenas por nascer como ele nasceu. Mais tarde, ele até tenta se relacionar com mulheres, mas não consegue.

Em 1952, Turing foi de fato acusado de ter cometido “atos homossexuais” e, para evitar a prisão, ele aceitou fazer um tratamento com hormônios femininos e uma castração química, o que muitas pessoas acreditam que foi a motivação por trás de sua misteriosa morte por envenenamento, que ninguém sabe precisar muito bem se foi acidental ou proposital.

Benedict Cumberbatch como Alan Turing
Benedict Cumberbatch como Alan Turing

A história de Turing é triste e cruel, e é absurdo pensar que um homem que foi responsável por tantas coisas importantes e que deveria ser homenageado, teve que se submeter a um procedimento humilhante e sem qualquer sentido, e morreu como um criminoso, e que isso nem faz tanto tempo assim, mas esse é mais um dos motivos pelos quais contar a sua história é tão importante: para que isso não se repita.

O legado de Alan Turing

O trabalho de Turing, que estava muito à frente do seu tempo, é importante até hoje, seja em questões mais cientificas que não atingem o público geral diretamente, seja em questões que estão próximas de nós. Sem o projeto de Turing, por exemplo, o computador não existiria ou teria demorado um pouco mais para ser inventado.

Em 2009, o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown pediu desculpas em nome do governo pelo tratamento que Turing recebeu. Entretanto, ele só foi oficialmente perdoado pela Rainha Elizabeth, em 2013, depois de ativistas da tecnologia da informação, do meio político e do público LGBT pedirem incessantemente que os trabalhos de Turing fossem reconhecidos e que o comportamento preconceituoso do governo fosse retratado. Infelizmente, isso só aconteceu 59 anos depois da morte de Turing.

Alex Lawther no papel de Turing na adolescência
Alex Lawther no papel de Turing na adolescência

Na mídia

A vida de Turing também foi representada na TV e no cinema. Em 1996, o telefilme Breaking the Code contou um pedaço da vida do matemático, que foi interpretado por Derek Jacobi. Já o livro Alan Turing: The Enigma virou o filme O Jogo da Imitação em 2005, onde Turing é interpretado por Benedict Cumberbatch na sua versão adulta e por Alex Lawther na versão adolescente. O elenco ainda conta com Keira Knightley e Matthew Goode.

O fato de que Alan Turing era genial é incontestável, assim como também o são as injustiças que foram cometidas contra ele. Alan Turing: The Enigma entra nessa vida extraordinária e se faz importante justamente porque tira da sombra essa figura importante e nos mostra que certas coisas não podem voltar a acontecer nunca mais.

Nome Original: Alan Turing: The Enigma
Autor: Andrew Hodges
Editora: Princeton University Press
Gênero: Biografia
Ano: 1983
Número de Páginas: 768

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar