#Alive – Fique em casa! (com Netflix hehe)

Com um proposta intimista na primeira metade, esta produção sul-coreana de Il Cho, é mais um filme sobre zumbis, mas ganha diferencial justamente por isolar seu protagonista (Yoo Ah-In), um streamer típico de meninão que mora com os pais e está rodeado de super tecnologia, acordando num dia comum e descobrindo que o mundo foi tomado por criaturas descerebradas após um vírus, que espertamente não precisa de explicação, afinal o roteiro não se propõe a justificar as coisas, mas sim em como lidar com elas.

Para tanto e em tempos de pandemia, #Alive ganha contornos ainda mais significativos sendo lançado recentemente. Afinal, parece (mesmo não sendo intencionalmente) uma metáfora sobre o isolamento social e, quem sobrevive, é justamente quem se mantém em casa, em quarentena. Enquanto isso, os negacionistas saem às ruas só para serem devorados em seguida.

E dentro dessa construção focada numa pessoa só, Il Cho realiza um suspense de primeira. O filme é, ao mesmo tempo, estiloso e sufocante. Existem edições moderninhas e inserções cabíveis de linguagem de smartphones e, além disso, a comida e água acabando, o pequeno espaço servindo como único refúgio, a agonia do que se vê janela afora, das invasões inesperadas etc.

#alive

#Alive

Nesse sentido, #Alive se posiciona como um dos melhores longas contemporâneos do gênero. Certamente, não por reinventar a roda, mas por saber usar os clichês a favor de sua narrativa. Ele traz novos elementos, que fazem parte da atual sociedade, como drones, celulares e fones de ouvido – para o bem e para o mal, afinal o excesso de tecnologia pode ser terrível quando não se tem sinal ou energia.

Mas o cineasta não abre mão de outros tropos e os repete aqui à exaustão, com seus zumbis rápidos, de ouvido sensível e até com habilidades de abrir portas e escalar com cordas. Por outro lado, a segunda parte apresenta a fofinha personagem de Park Shin-hye, que mesmo trazendo novas dinâmicas e coração ao filme, parece também retirar parte de seu charme intimista e começa a caminhar para outros rumos, chegando a uma finalização batida (de um sobrevivente traidor, com um propósito besta) e um clímax apreensivo, mas recompensador para os protagonistas e para um público mais mole, mesmo que não exatamente condizente com a proposta.

E nesse aspecto de tira-e-põe, apesar de entregar sequências super tensas, o cineasta desequilibra quando faz um dos personagens enfrentar vários zumbis e sair ileso. As mensagens aqui funcionam no discurso final e mesmo que escolha saídas fáceis, #Alive refresca o gênero com novas propostas e acerta na metáfora improvável: enquanto não tiver uma solução, fique em casa.

#Alive | Official Trailer | Netflix

#Alive

Nome Original: #Saraitda
Direção: Il Cho
Elenco: Ah-In Yoo, Park Shin-Hye, Jeon Bae-soo
Gênero: Ação, Drama, Horror
Produtora: Zip Cinema
Distribuidora: Netflix
Ano de Lançamento: 2020
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar