As Invisíveis, comédia dramática francesa

Com personagens de pouco espaço

Em As Invisíveis, Manu (Corinne Masiero) e Audrey (Audrey Lamy) cuidam de um abrigo para mulheres. Quando a prefeitura decide que o abrigo vai fechar as portas, as duas mulheres estão dispostas a tudo para reintegrar essas mulheres a sociedade.

O grande mérito de As Invisíveis é ser um filme que fala de mulheres. Existem pouquíssimos personagens masculinos, que geralmente orbitam as personagens femininas. O filme vai mais além porque explora personagens que quase nunca aparecem em filmes, mulheres que vivem na rua e dependem de abrigos, e que são, como o título diz, invisíveis.

Noémie Lvovsky em cena do filme As Invisíveis
Noémie Lvovsky em cena do filme

Essa invisibilidade não se limita às telas de cinema, mas também ao mundo real, afinal, uma vez que os homens que vivem na rua sofrem preconceito, esse preconceito ainda é maior entre as mulheres, e poucas vezes se analisa as questões femininas nesse contexto.

As Invisíveis

O longa também gira em torno de temas que, muitas vezes, fazem parte do universo feminino Algumas das mulheres que estão no abrigo, por exemplo, sofreram violência doméstica por parte de seus maridos, outras abandonaram suas carreiras e acabaram não retornando a elas.

Embora o abrigo funcione de maneira relativamente organizada, as mulheres que o frequentam vão e voltam e parecem quase dependentes do lugar. Assim, é quando o estado anuncia que o abrigo vai fechar, que todas elas começam a se unir para reintegrar as mulheres na sociedade.

As Invisíveis fala sobre um gripo de pessoas que não costuma ter destaque
As Invisíveis fala sobre um gripo de pessoas que não costuma ter destaque

Manu e Audrey então, passam a fazer de tudo, inclusive burlar leis para ajudar as mulheres do abrigo. Claro que essa atitude pode ser questionada, mas fica óbvio no filme que elas são e estão determinadas a estimularem essas mulheres a terem a melhor vida possível.

Gosta de comédias francesas?

É aí que o filme acrescenta toques de comédia, mesmo que retrate vidas e situações trágicas. Nesse aspecto, As Invisíveis funciona bem, o filme tem momentos divertidos, e inclusive faz piadas com as situações que retrata e elas não soam de mau gosto. Dessa forma, o filme fala sobre união e apoio para as pessoas que mais precisam.

As Invisíveis fala sobre a união entre as mulheres
O filme fala sobre a união entre as mulheres

Aspectos técnicos de As Invisíveis

O longa certamente tem um tema interessante e fala de pessoas que normalmente não tem voz. O filme também é muito competente em inserir humor em situações onde não há humor algum. Essa é uma forma leve de trazer esses assuntos à tona, e antes que pareça que o filme é um besteirol, não é o caso. As Invisíveis sabe tratar temas pesados quando é necessário.

As atuações também são boas e é ótimo ver um elenco encabeçado só por mulheres, uma vez que o assunto do filme é justamente esse e que os personagens masculinos são todos secundários. No entanto, o filme parece sair de lugar nenhum e terminar no mesmo lugar, não existe nenhuma mudança significativa nos personagens e de uma certa maneira, tudo parece meio plano.

Audrey
Audrey

É claro que as intenções por trás do filme parecem ser boas, mas talvez falte alguma reviravolta ou alguma trama que segure melhor o espectador.

As Invisíveis consegue fazer comédia de situações trágicas, mas mesmo assim, perde seu potencial ao longo do tempo. O filme entre em cartaz no dia 20 de janeiro.

As Invisíveis

Nome Original: Les Invisibles
Direção: Louis-Julien Petit
Elenco: Audrey Lamy, Corinne Masiero, Noémie Lvovsky, Déborah Lukumuena, Sarah Suco
Gênero: Comédia
Produtora: Elemiah, France 3 Cinéma, Canal +, Ciné +
Distribuidora: Supo Mungam Films
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar