Baki, os melhores em busca da derrota

Quem é o mais forte do mundo?

Animes trazem a oportunidade de ver roteiros inusitados, o esforço dos escritores em idealizar histórias que explorem o impensável, a construção de universos alternativos e desafios que fogem do cotidiano. Isso acontece, por exemplo, quando titãs invadem cidades e coloca-se humanos para enfrentá-los em Attack of Titans. Ou então quando o super-herói mais forte precisa ser derrotado em Boku no Hero. Ou quando em One Punch Man os verdadeiros inimigos de Saitama vão além da força e poder. Baki ou New Grappler Baki: In Search of Our Strongest Hero é um desses animes, que junta animações cheias de sangue e violência com o objetivo de alcançar aquilo que é mais difícil para os personagens dessa série: a derrota.

Capa de Grappler Baki: Saidai Tournament-hen
Capa de Grappler Baki: Saidai Tournament-hen

História de Baki

Não é de hoje que a obra de Keisuke Itagaki circula pelo mundo dos animes. Se você olhar lá atrás vai encontrar uma série de 2001 chamada Grappler Baki: Saidai Tournament-hen que conta com personagens similares, mas uma história um pouco diferente. Assisti ao começo da série de 2001. Essa versão envolve inúmeras tramas onde inclusive Yujiro Hanma (pai) e o governo estão ligados, de certa forma. A trama final apresenta Baki recebendo o cinturão de campeão e tornando-se conhecido no mundo das artes marciais.

Vilões de Baki
Vilões de Baki

Na versão atual, cinco criminosos poderosíssimos fogem da prisão em busca do lutador mais forte e a derrota. Certamente algo que nenhum deles jamais experimentou. A partir daí, novos lutadores vão surgindo na série e é luta para tudo que é lado, de tudo que é jeito e em tudo que é estilo. Alguns em busca de Baki, outros em busca treta. Com técnicas usadas no mundo real e personagens exagerados, a série consegue ir além quando em poucas cenas consegue transmitir as motivações e personalidade dos lutadores malucos do anime.

Lutas emocionantes em Baki
Lutas emocionantes em Baki

Personagens de Baki

Cada um dos personagens utiliza de um estilo diferente para subjugar seus inimigos. Isso inclui ter armas embutidas em partes do corpo. Ou dominar alguma arte milenar que fará com que mesmo o inimigo mais poderoso seja impossibilitado de derrubá-lo, como Goki Shibukawa demonstra. Diferentemente de seu antecessor, essa versão não faz questão de ressaltar o relacionamento de Baki com seu pai Yujiro Hanma, ao invés disso, veremos o campeão em cenas de romance com sua namorada, conflitos entre estilos de artes marciais e um campeonato que rola no submundo movido por Kaohu Hanayama.

Confira também: One Punch Man, um anime de um soco só

Nosso protagonista, como filho do homem mais forte do mundo, tem uma ambição que vai além do desejo de se tornar o mais forte. Ele deseja proteger aqueles que ama. O anime mostra essa queda utilizando Kozue Matsumoto, sua namorada, que chega a ser raptada, gerando ainda mais conflitos.

Baki protegendo Kozue Matsumoto
Baki protegendo Kozue Matsumoto

Em busca do mais forte

Se você gosta de poder, porradaria e sangue, então Baki é a faixa ideal para a sua arte marcial. Ao contrário das adaptações do gênero, esta não faz questão de ensinar golpes. Ao invés disso, cada segundo de combate expõe o máximo que um indivíduo pode chegar, físico e mentalmente. Mesmo que isso acabe se renovando a cada oponente que surge na tela.

Até o momento, o anime que é exibido na Netflix lá na gringa, está beirando o vigésimo episódio e de tempos em tempos mostra alguma história paralela de um dos personagens, o que não torna a história menos interessante. De um jeito ou de outro as lutas vão surgir. Difícil mesmo é saber para quem torcer na hora do combate.

E você? O que achou de Baki? 😉

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar