Bohemian Rhapsody, a cinebiografia de Freddie Mercury

Bohemian Rhapsody, o esperado filme sobre Freddie Mercury, finalmente chega aos cinemas. Nele acompanhamos a vida de Freddie (Rami Malek) desde sua época de faculdade. Vemos quando ele conhece Roger Taylor (Ben Hardy) e Brian May (Gwilym Lee) e entra para a banda dos dois, até o épico show do Queen no Live Aid, em 1985.

Seu nome era Farrokh Bulsara

O filme começa com Freddie ainda universitário, trabalhando no aeroporto, e decidindo ocidentalizar seu nome. Então, logo no começo, já percebemos que Freddie vive em conflito com sua família de origem indiana. Especialmente com seu pai (Ace Bhatti). Este parece não compreender os desejos e sonhos do filho e espera outras coisas dele.

Assim que o vocalista da banda de May e Taylor larga o posto, Freddie se oferece para o emprego. E passa no teste! Logo depois, John Deacon (Joseph Mazzello) entra como baixista para a banda. Ao mesmo tempo, acompanhamos como Freddie conheceu sua primeira esposa e melhor amiga, Mary (Lucy Boynton) e como o relacionamento dos dois se desenvolveu.

Rami Malek como Freddie Mercury
Rami Malek como Freddie Mercury

Não demora muito para que a banda (agora já com o nome de Queen) grave um disco. Então é contratada por um empresário, e passa a fazer turnês e logo depois se torna um grande sucesso mundial.

O filme dá bastante destaque também a composição da música Bohemian Rhapsody. Ela era considerada muito grande para as rádios na época, mas foi um enorme sucesso de público.

Freddie Mercury

Bohemian Rhapsody conta a história do Queen através da vida de Freddie Mercury. Assim, é possível notar que Freddie é diferente de todos desde as primeiras cenas do filme. Não é só seu pai que tem dificuldade de compreender o que ele pensa, ele claramente se destaca na multidão. O filme também se preocupa em explicar o motivo do alcance de voz de Freddie ser tão alto.

O Queen
O Queen

As fases da vida do cantor passam rapidamente na tela, enquanto os figurinos e os penteados vão mudando e vemos como ele passa de um rapaz excêntrico, a um homem cada vez mais influenciado pelo cultura gay da época, mais especificamente pela cena sadomasoquista, até chegar o momento em que Freddie descobre que ele está infectado pela Aids e mesmo assim não se deixa abater.

A vida de Freddie fica muito clara no filme. Certamente que muito disso se deve a incrível atuação de Rami Malek, que é digna de Oscar. O ator está tão parecido fisicamente com Freddie Mercury, que em vários momentos, é possível confundir os dois. Isso também acontece porque Malek conseguiu incorporar os trejeitos, a postura, a voz e até a maneira que o vocalista se portava no palco.

As relações de Mercury

O filme também fala muito das relações pessoais de Mercury. Primeiro conhecemos a família em que ele nasceu. A irmã e a mãe (Jer Bulsara) parecem ser mais compreensivas com ele. Já o pai, tenta mudá-lo de todas as formas. Depois vemos sua relação com a família que ele arrumou, o Queen.

A semelhança entre Malek e Mercury é impressionante
A semelhança entre Malek e Mercury é impressionante

O longa mostra com clareza a relação de amor e algumas vezes ódio que parece cercar toda grande banda de sucesso. A amizade entre os quatro integrantes é óbvia, mas também o são as disputas de ego e a convivência. Bohemian Rhapsody não retrata Freddie Mercury como a pessoa mais dócil do mundo, muito pelo contrário. Em muitos momentos ele demonstra ter sido uma pessoa difícil de se lidar e ele mesmo se assume como uma “diva”.

A relação entre Freddie e Mary, sua primeira esposa, que continuou sua melhor amiga por toda a vida, é certamente a mais bonita e mais bem desenvolvida do filme. Os dois começam como namorados, viram marido e mulher e mais tarde, melhores amigos a ponto dela ser a primeira pessoa para quem ele conta sobre sua sexualidade.

I Want to Break Free

No entanto, com relação a isso, o filme deixou um pouco a desejar. O longa dá a entender desde os primeiros minutos que Freddie não é heterossexual, de maneira bem singela e discreta, como uma piscadinha de outro rapaz quando Freddie chega em uma festa. E mesmo depois que ele começa a, de fato, se relacionar com outros homens, nada aparece de maneira muito explícita. Isso só fica absolutamente claro quando, Freddie conta sobre suas dúvidas para Mary e mais tarde, quando ele se apaixona por Jim Hutton (Aaron McCusker), seu ultimo parceiro, com quem Freddie ficou até sua morte.

Mercury em uma fase mais velha
Mercury em uma fase mais velha

Como o filme é de 2018, e fala sobre uma figura que, hoje em dia, é abertamente bissexual, acredito que poderia ter falado mais sobre isso.

Outra relação que aparece bastante no filme é a de Freddie com seu assistente pessoal, Paul Prenter (Allen Leech), embora não fique claro se eles foram amantes ou se era uma relação puramente platônica.

Aspectos técnicos

Seria impossível fazer um filme que cobrisse boa parte da vida de Mercury sem que ele ficasse grande, e é o que acontece com Bohemian Rhapsody. O filme tem 2 horas e 15 minutos, mas ele não é arrastado e o espectador mal sente o tempo passando, justamente porque a passagem de tempo no filme é bem rápida. Longe de parecer longo. Termina-se a sessão com vontade de que o filme dure mais um pouco.

Mercury na juventude
Mercury na juventude

A direção de arte é extremamente colorida e reflete o período de tempo perfeitamente. Também é uma ótima forma de demonstrar a personalidade do biografado. A fotografia segue o mesmo padrão e muitas vezes, vemos as cenas literalmente pelos olhos de Freddie.

O filme também é muito bem caracterizado. Ele não se preocupa só em retratar as décadas que cobrem o período, mas também retratar pessoas que existem e existiram, em situações reais. Em muitas cenas, as roupas, penteados e maquiagens são reproduções exatas das verdadeiras.

Freddie e Mary
Freddie e Mary

O filme também tem um grande elenco, que se sai muito bem. Além de Rami Malek, que é claro, é o destaque do filme, temos Mike Myers (da série Austin Powers), Joseph Mazzello (o garotinho de Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros), Lucy Boynton (de Sing Street) e Aidan Gillen (de Game Of Thrones).

Bohemian Rhapsody é uma ótima cinebiografia, que faz jus a vida e ao incrível talento de Freddie Mercury.

O filme entra em cartaz no dia 1 de novembro.

Bohemian Rhapsody

Nome Original: Bohemian Rhapsody
Elenco: Rami Malek, Lucy Boynton, Ben Hardy, Joseph Mazzello, Mike Myers, Gwilym Lee
Direção: Bryan Singer
Gênero: Biografia, Drama, Musical
Produtora: GK Films, New Regency Pictures, Queen Films Ltd., Regency Enterprises, Tribeca Productions
Distribuidora: Twentieth Century Fox
Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close